Ioga contra a osteoartrite: tudo que você precisa saber

A ioga é uma prática que proporciona diversos benefícios para a saúde, mas será que ela pode ajudar a tratar a osteoartrite?
Ioga contra a osteoartrite: tudo que você precisa saber

Última atualização: 19 Maio, 2021

A ioga é uma prática milenar que vem da Índia. É considerada um estilo de vida, e não um esporte ou atividade física. Os benefícios comprovados da ioga são muitos e diversos: desde manter a postura correta até nos ajudar a lidar com o estresse diário e várias doenças. Hoje, vamos falar especificamente a respeito de como a ioga pode ser nossa aliada contra a osteoartrite.

A seguir, veremos quais são os sintomas desta doença que a ioga pode ajudar a aliviar, bem como alguns exercícios simples que podemos fazer em casa.

O que é a osteoartrite?

Dor nos joelhos
A osteoartrite pode causar dores na região afetada, além de inflamação e rigidez, entre outros sintomas.

A osteoartrite é uma doença crônica mais comumente sofrida por pessoas com mais de 60 anos de idade, mas pode ocorrer em pessoas de qualquer idade, principalmente adultos.

Esta doença afeta o sistema musculoesquelético e compromete particularmente a saúde das articulações. Os sintomas mais comuns de osteoartrite são:

  • Dor ao realizar movimentos.
  • Sensibilidade na área.
  • Inchaço e rigidez.
  • Perda de flexibilidade.
  • Sinovite.
  • Deformidade.
  • Inflamação.
  • Osteófitos.

Existem vários fatores de risco associados à osteoartrite, como idade, sexo (as mulheres são mais propensas), obesidade, lesões, estresse ou esforço excessivo (em atividades esportivas e de trabalho), além de fatores genéticos e algumas doenças metabólicas, como a hemocromatose.

A osteoartrite é uma doença que se desenvolve lenta e progressivamente e afeta a qualidade de vida de quem a sofre. Até hoje, não há cura.

O tratamento visa principalmente os sintomas e pode ser dividido em intervenção cirúrgica (cirurgia de substituição da articulação), medicamentos (analgésicos e anti-inflamatórios não esteroides, injeções de cortisona), fisioterapia e reabilitação.

Além disso, existem alguns hábitos que contribuem para o tratamento da osteoartrite e que podem auxiliar no controle dos seus sintomas, bem como, eventualmente, prevenir a sua progressão.

A ioga pode ajudar a melhorar os sintomas de osteoartrite?

A prática de ioga está entre as atividades que podem ajudar a melhorar os sintomas da osteoartrite. Nesse sentido, os benefícios da ioga estão relacionados a vários fatores, como:

  • Força e aderência.
  • Flexibilidade.
  • Equilíbrio.
  • Gerenciamento do estresse.
  • Sensação de bem-estar.
  • Qualidade de vida.

Por esse motivo, a ioga é recomendada como terapia complementar aos tratamentos convencionais para a osteoartrite. Mas isso tem base científica? Vamos ver o que as pesquisas dizem a respeito.

Pesquisas sobre a ioga no tratamento da osteoartrite

Ioga contra a osteoartrite
Existem controvérsias a respeito dos supostos benefícios da ioga no alívio dos sintomas da osteoartrite.

Em uma revisão de 2019 sobre a eficácia da ioga no tratamento da osteoartrite, foram analisados ​​diversos estudos sobre o assunto. Estes incluíram 640 pacientes com idades entre 50 a 80 anos, predominantemente mulheres, com osteoartrite nos membros inferiores.

Os resultados revelaram poucas evidências sobre os efeitos positivos da ioga no tratamento da dor na osteoartrite em comparação com outros exercícios. Também não houve fortes evidências dos seus efeitos na qualidade de vida. No entanto, os pesquisadores consideram recomendável a prática de ioga para a osteoartrite no joelho.

Em outra revisão, foi realizada uma metanálise do efeito integrativo da prática de ioga em pacientes com osteoartrite de joelho. A revisão enfocou aspectos como redução da dor, recuperação funcional e bem-estar geral dos pacientes que sofrem desta enfermidade na referida articulação.

Um total de 13 ensaios clínicos foram revisados, envolvendo 1.557 pacientes com osteoartrite de joelho e artrite reumatoide. Os resultados indicam que a prática da ioga em grupo é útil na redução dos sintomas da artrite, na promoção da função física e no aumento do bem-estar geral.

Especificamente em relação aos ensaios clínicos, em um estudo realizado com 66 pacientes com idades entre 30 e 75 anos, também com diagnóstico de osteoartrite de joelho, foi investigado o efeito da Terapia da Ioga de Abordagem Integrada (IAYT).

Os resultados obtidos no grupo experimental, que recebeu a intervenção do IAYT, mostram que houve melhorias significativas no LHGS (teste de força de preensão manual, mão esquerda) e extensão de joelho, em comparação ao grupo de controle.

Por fim, um estudo sobre os efeitos do Hatha Yoga na osteoartrite no joelho constatou que, após oito semanas de realização dos exercícios dessa modalidade, a dor e outros sintomas diminuíram, além de terem melhorado o desempenho das atividades da vida diária e a qualidade de vida.

Ioga para pacientes com osteoartrite

Existem várias modalidades de ioga. No entanto, a Arthritis Foundation tem algumas recomendações, já que alguns tipos de ioga são considerados mais apropriados para pacientes com artrite. Estes incluem: iyengar, anusara, kripalu e viniyoga.

Além disso, de uma forma particular, existem certas rotinas, exercícios e posturas de ioga que podemos fazer para aliviar os sintomas da osteoartrite. Entre eles, estão os seguintes:

Postura da montanha

postura da montanha é um exercício muito simples. Você começa com os dedões dos pés juntos e os calcanhares ligeiramente separados. Enquanto respira profundamente, abrindo o peito, coloque as mãos, palma com palma, na altura do coração. Em seguida, eleve-as acima da cabeça e olhe para o céu.

Guerreiro

O guerreiro é um exercício de ioga que trabalha os músculos abdominais, pernas e glúteos. É realizado da seguinte forma: em pé, firme, os pés ficam separados de forma que haja aproximadamente um metro e vinte (1,20) entre o calcanhar do que está à frente e o dedão do que está atrás.

Em seguida, a perna é virada (para o lado direito se for direito e vice-versa) e o joelho flexionado, formando um ângulo de 90°. As mãos são então levantadas para cima, as palmas das mãos juntas, tanto quanto possível. Respire fundo e troque as pernas.

Postura do sapateiro

Este exercício é feito sentado no chão com as pernas esticadas para a frente. Em seguida, os joelhos são flexionados, aproximando as solas dos pés e tentando trazer os calcanhares em direção à pelve.

Os joelhos caem para os lados, sem forçá-los a cair; isto é, sem tentar abrir mais. Essa posição é mantida por um minuto, então as pernas são alongadas e os pés voltam à posição original.

Postura do bastão

Começa em uma posição semelhante à anterior: sentado no chão, com as pernas juntas e retas, os joelhos sem dobrar. Se você precisar e for mais confortável para você, pode colocar um tapete para se sentar.

As costas devem permanecer firmes e retas. Mãos para os lados, palmas voltadas para frente. Da mesma forma, os pés devem estar retos, com a sola também voltada para a frente. Você deve ficar nesta posição por um minuto.

Ioga contra a osteoartrite: sim ou não?

Postura de ioga
Antes de iniciar a prática de ioga, recomenda-se agendar uma consulta médica.

Se você sofre de osteoartrite, a ioga é uma terapia complementar que pode ser considerada uma alternativa. No entanto, ela não pode substituir o tratamento recomendado pelo médico.

É mais apropriado procurar um instrutor profissional com experiência em trabalhar com pessoas com sintomas semelhantes. Além disso, devemos perguntar ao médico quais exercícios podem ser realizados.

Por outro lado, lembremos que as aulas de ioga incluem três partes ou momentos que devemos levar em consideração para obter o maior benefício:

  • Consciência e técnicas de respiração.
  • Movimentos de força, flexibilidade e equilíbrio.
  • Relaxamento e meditação.

Da mesma forma, como em qualquer outro exercício, a prática de ioga deve começar lentamente e permanecer leve até sentir o corpo aquecendo. É por isso que é importante se aquecer primeiro.

Por fim, é fundamental ouvir o corpo e prestar atenção aos sinais. Se você sentir dor ou desconforto, significa que deve parar. A ideia é diminuir a dor e melhorar a qualidade de vida, e não o contrário.

Pode interessar a você...
Amêndoas, nozes ou avelãs: qual delas é melhor para a saúde?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Amêndoas, nozes ou avelãs: qual delas é melhor para a saúde?

Amêndoas, nozes ou avelãs: qual é a melhor? Ao escolher oleaginosas, muitos se perguntam qual delas tem efeitos mais positivos no corpo.



  • Bukowski EL, Conway A, Glentz LA, Kurland K, Galantino ML. The effect of iyengar yoga and strengthening exercises for people living with osteoarthritis of the knee: A case series. Int Q Community Health Educ. 2006–2007; 26: 287–305.
  • Ebnezar J, Nagarathna R, Yoghita B, Negendra HR. Effect of integrated yoga therapy on pain, morning stiffness and anxiety in osteoarthritis of the knee joint: A randomized control study. Int J Yoga. 2012; 5: 28–36.
  • Egan BA, Mentes JC. Benefits of physical activity for knee osteoarthritis: A brief review. J Gerontol Nurs. 2010; 36: 9–14.
  • Garfinkel MS, Schumacher HR, Husain A, Levy M, Reshetar RA. Evaluation of a yoga based regimen for treatment of osteoarthritis of the hands. Journal of Rheumatology, 1994; 21(12): 2341-3.
  • Jacquemart P, Elkefi S. El yoga terapéutico. Buenos Aires: Robin Cook, 1994.
  • Lin CW, Taylor D, Bierma-Zeinstra SM, Maher CG. Exercise for osteoarthritis of the knee. Phys Ther. 2010; 90: 839–42.
  • Marsh J, Hager C, Havey T, Sprague S, Bhandari M, Bryant D. Use of alternative medicines by patients with OA that adversely interact with commonly prescribed medications. Clin Orthop Relat Res. 2009; 467: 2705–22.
  • Richardson G, Hawkins N. Cost-effectiveness of a supplementary class-based exercise program in the treatment of knee osteoarthritis. Int J Technol Assess Health Care. 2006; 22: 84–9.
  • Saparrowe L, Walden P. El libro del yoga y de la salud para la mujer. Madrid: EDAF, 2004.
  • Vallath N. Perspectives on yoga inputs in the management of chronic pain. Indian J Palliat Care. 2010; 16: 1–7.