Hipertensão epididimária ou bolas azuis: o que é e por que ocorre?

Conhecida coloquialmente como "bolas azuis", ela é produto do desvio do fluxo sanguíneo para os testículos devido a uma excitação sexual que não culmina em orgasmo. Será que ela representa um risco para a saúde?
Hipertensão epididimária ou bolas azuis: o que é e por que ocorre?

Última atualização: 02 janeiro, 2022

A hipertensão epididimal ou bolas azuis se refere à dor nos testículos que ocorre após a excitação sexual que não termina de forma satisfatória. Em outras palavras, não ocorre ejaculação.

Ela é consequência de uma excitação sexual prolongada e se manifesta por uma dor surda e sensação de peso em um ou ambos testículos. Essa dor se resolve de forma espontânea ou com ajuda manual, e não representa nenhum risco do ponto de vista clínico.

O que são as bolas azuis?

As bolas azuis também são conhecidas como hipertensão epididimal, já que a pressão aumenta no epidídimo (que é um duto que transporta os espermatozoides dos testículos para os canais deferentes). O epidídimo fica dolorido porque a pressão não é liberada.

Quando existe excitação sexual, ocorre a ativação do sistema nervoso parassimpático, o que aumenta os estímulos nervosos para os órgãos genitais. Acontece uma distensão das artérias que conduzem o sangue para essa área, enquanto as veias (responsáveis pelo retorno do sangue ao coração) se contraem.

Isso resulta em um aumento no fluxo sanguíneo, não apenas em direção ao pênis mas também para os testículos. O acúmulo de sangue ocorre porque o retorno venoso é impedido. Isso leva ao endurecimento do pênis com uma ereção.

O acúmulo prolongado de sangue provocado pela excitação sexual provocará uma ereção sustentada e uma congestão testicular. Este fenômeno fisiológico é aliviado após a ejaculação ou pela perda da excitação sexual, pois com o relaxamento das veias ocorre o retorno venoso. Nesse momento os testículos e o pênis voltam ao tamanho original.

Após o orgasmo, durante a ejaculação, ocorre uma ativação do sistema nervoso simpático, que põe fim à congestão.

Excitação provocando bolas azuis.
Se a excitação sexual não se finaliza em ejaculação, o resultado final será uma congestão de sangue nos testículos.

Sintomas das bolas azuis

O principal sintoma das bolas azuis é uma dor testicular associada à excitação sexual prolongada que não culmina em ejaculação. Essa é uma dor temporária, que melhora quando a pressão sanguínea nos testículos volta ao normal.

Além disso pode ocorrer uma sensação de peso ou desconforto em um ou ambos testículos, devido à congestão secundária ao aumento do fluxo sanguíneo. Esses sintomas não estão associados a inchaço.

Por outro lado, embora o nome faça referência a isso os testículos não costumam adquirir uma coloração realmente azul. Em alguns casos o escroto pode ficar com uma tonalidade azul clara, devido ao aumento no volume de sangue. Mas nada mais.

Esse fenômeno ocorre apenas em homens?

As bolas azuis são típicas dos homens porque são eles que têm testículos. No entanto as mulheres podem experimentar um fenômeno semelhante chamado vulva azul ou congestão pélvica.

A vulva azul é produzida pelo mesmo mecanismo das bolas azuis: ocorre aumento no fluxo sanguíneo para o clitóris e para a vulva, com a contração das veias para diminuir o retorno venoso. Ela se manifesta como uma sensação de dor ou peso ao redor do clitóris e da vulva, que melhora com o orgasmo.

Tratamento das bolas azuis

As bolas azuis geralmente não duram muito tempo. Os sintomas se aliviam espontaneamente com a ejaculação ou ao cessar a excitação sexual.

Para diminuir a excitação é recomendável se distrair com uma atividade que exija muita concentração (como pensar no trabalho). A deambulação, a atividade física (desviando o fluxo sanguíneo para grandes músculos) ou a exposição ao frio (um banho de água fria, por exemplo) também ajudam.

A ejaculação pode acontecer por meio de relações sexuais ou masturbação. Não precisa ocorrer coito.

É necessário ir ao médico?

A hipertensão epididimal não representa nenhum risco para a fertilidade ou saúde em geral. Ela desaparece assim que a excitação sexual passar ou ocorrer o orgasmo.

Os sintomas podem desaparecer pouco depois do seu início ou até 10 a 12 horas após a ocorrência da ejaculação. Não é necessário ir ao médico.

No entanto, caso a dor não melhorar em algumas horas, for incapacitante, não estiver associada à excitação, for recorrente ou impedir o desempenho sexual, é recomendável procurar um profissional, pois esse pode ser um indicativo de outros problemas. Esses sintomas podem levantar suspeitas para os seguintes distúrbios:

  • Epididimite.
  • Trauma testicular.
  • Pedras na uretra.
  • Câncer de testículo.
  • Orquite.
  • Torção testicular.
  • Varicocele.
  • Hérnia inguinal.

O câncer de testículo se manifesta como uma dor surda e persistente, acompanhada por uma sensação de peso nos testículos e presença de caroços. O prognóstico é bom quando o problema é diagnosticado de forma precoce, portanto esses sintomas não devem ser ignorados.

Por outro lado existe uma condição na qual os testículos geralmente ficam azuis: a torção testicular, produto da torção do cordão espermático que fornece sangue aos testículos. Este é um caso de emergência médica.

Dor testicular de bolas azuis.
A dor é temporária no caso desta condição. Se ela persistir por vários dias, deve ser feita uma consulta médica.

Uma condição subestimada

Os termos bolas azuis ou hipertensão epididimal não são usados com frequência na prática médica, pois sugerem uma condição não patológica associada à excitação sexual. Não foi dedicado muito tempo ao estudo científico desta condição; em parte por se tratar de uma patologia benigna.

São recomendadas técnicas para diminuir a excitação sexual, de forma a aliviar os sintomas ou desconforto. Embora a masturbação possa resolver o problema, ela não é clinicamente descrita como um tratamento.

This might interest you...
Por que um chute nos testículos dói tanto?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Por que um chute nos testículos dói tanto?

Um chute nos testículos não é uma ocorrência comum, mas quando acontece, causa uma dor incapacitante. Saiba um pouco mais sobre o assunto.



    • Chalett JM, Nerenberg LT. “Blue balls”: a diagnostic consideration in testiculoscrotal pain in young adults: a case report and discussion. Pediatrics. 2000 Oct;106(4):843.
    • Panchatsharam, P. K., et al. Physiology, erection. StatPearls 2021. Disponible en ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK513278/.
    • Saavedra J, et al. Cáncer de testículo. Analas de Radiología México 2009;1. Disponible en https://www.medigraphic.com/pdfs/anaradmex/arm-2009/arm091f.pdf.