Epididimite: sintomas, causas e tratamento

06 Novembro, 2020
A maioria dos casos de epididimite é resultado de uma infecção bacteriana, geralmente causada por doenças sexualmente transmissíveis. É uma condição dolorosa, que quase sempre pode ser combatida com antibióticos e medidas domiciliares.

Epididimite é a inflamação do epidídimo, uma estrutura tubular localizada na parte de trás do testículo. É responsável por armazenar o esperma para maturação e, em seguida, transportá-lo, pois conecta o testículo com os ductos deferentes.

Os homens podem sofrer desta doença em qualquer idade da vida. É uma condição dolorosa, que muitas vezes é acompanhada por inflamação e vermelhidão dos testículos. Nesses casos, é chamada de orquiepididimite.

A epididimite geralmente é superada com o tratamento convencional com medicações. É muito raro que deixe sequelas, embora em casos muito raros possa afetar a fertilidade. Da mesma forma, apenas em uma minoria de casos ela se torna um problema crônico.

Causas da epididimite

A epididimite é causada por infecções bacterianas, na maioria dos casos. A doença é mais comum em homens jovens, na faixa de 19 e 35 anos de idade. É muito comum que a infecção que dá origem à epididimite comece na próstata ou trato urinário.

Assim, as principais causas da epididimite são:

  • Infecções sexualmente transmissíveis. É a causa mais comum de epididimite em homens jovens e sexualmente ativos. Gonorreia e clamídia são as origens mais comuns.
  • Coli. A bactéria E. Coli, e bactérias similares, são a causa mais comum desta patologia em crianças e homens mais velhos. Além disso, também em homens que fazem sexo com outros homens.
  • Outras bactérias e vírus. Bactérias que causam infecção no trato urinário ou próstata podem se espalhar e infectar o epidídimo. Além disso, algumas infecções virais, como caxumba, acabam causando epididimite. Raramente, a tuberculose leva a esse mal.
  • Epididimite química. Ocorre quando a urina se retrai no epidídimo. Isso geralmente acontece quando objetos pesados foram levantados ou muito esforço físico foi feito.
  • Trauma. Alguns ferimentos na virilha podem causar essa doença.

Você pode estar interessado: Torção do cordão espermático: sintomas e causas

Epididimite
A epididimite ocorre principalmente como resultado de doenças sexualmente transmissíveis. No entanto, também é causada por traumas ou outros tipos de infecções.

Fatores de risco

O principal fator de risco é fazer sexo sem proteção, ou seja, sem preservativo. Aqueles que tiveram doenças sexualmente transmissíveis no passado estão mais vulneráveis à doença. Existem outras condições que se tornam fatores de risco. São as seguintes:

  • Ter um histórico de infecções urinárias ou de próstata.
  • Usar um cateter urinário ou ter sido submetido a um exame que envolvesse a introdução de um tubo ou endoscópio no pênis.
  • Ter anormalidades anatômicas no trato urinário.
  • Não ser circuncidado.
  • Apresentar um aumento da próstata.

Sintomas da epididimite

A epididimite muitas vezes começa com sintomas leves como febre baixa, calafrios e sensação de peso nos testículosEstes se tornam cada vez mais sensíveis à pressão e, à medida que a doença progride, a dor aguda aparece.

Não é incomum que outros sintomas apareçam, como secreções na uretra, que é o buraco na extremidade do pênis. Também pode haver sangue no sêmen, desconforto no abdômen inferior ou virilha, ou um nódulo perto do testículo.

Somente em alguns casos a dor também ocorre ao ejacular ou urinar, assim como inflamação no escroto ou virilha e dor no testículo, que piora durante o movimento intestinal. O diagnóstico é feito, em princípio, com um exame físico. O médico pode pedir exames como:

  • Ultrassom Doppler
  • Hemograma completo
  • Varredura testicular
  • Urocultura
  • Exame de urina
  • Exame para identificar gonorreia ou clamídia

Leia também: Complicações da varicocele: tudo que você precisa saber

Dor nos testículos
Inicialmente, homens com essa patologia experimentam uma sensação de peso nos testículos. Posteriormente, quando o problema progride, eles podem sentir dor.

Tratamento

O tratamento dessa doença consiste basicamente na administração de medicamentos e na aplicação de medidas sintomáticas. Um antibiótico de amplo espectro, bem como analgésicos e anti-inflamatórios, costumam ser prescritos. O tratamento medicamentoso geralmente dura entre 21 e 30 dias.

Da mesma forma, a pessoa afetada deve descansar e manter o escroto elevado quando estiver em pé. Isso é conseguido por meio de um suspensório escrotal, por exemplo. Também é aconselhável aplicar bolsas de gelo para reduzir a dor e a inflamação.

A remoção cirúrgica do epidídimo raramente é recomendada, pois só alivia a dor em 50% dos casos, e gera infertilidade. A cirurgia só é usada nos casos em que a epididimite aguda está supurada, ou em casos refratários ao tratamento. Raramente, os testículos precisam ser removidos.

  • Trojian, T. H., Lishnak, T. S., & Heiman, D. (2009, April 1). Epididymitis and orchitis: An overview. American Family Physician. American Academy of Family Physicians.
  • Taylor, S. N. (2015). Epididymitis. Clinical Infectious Diseases61, S770–S773. https://doi.org/10.1093/cid/civ812
  • Tracy, C. R., Steers, W. D., & Costabile, R. (2008, February). Diagnosis and Management of Epididymitis. Urologic Clinics of North America. https://doi.org/10.1016/j.ucl.2007.09.013
  • Michel, V., Pilatz, A., Hedger, M. P., & Meinhardt, A. (2015). Epididymitis: Revelations at the convergence of clinical and basic sciences. In Asian Journal of Andrology (Vol. 17, pp. 756–763). Medknow Publications. https://doi.org/10.4103/1008-682X.155770
  • Lai Y, Yu Z, Shi B, Ni L, Liu Y, Yang S. Chronic scrotal pain caused by Mild Epididymitis:Report of a series of 44 cases. Pak J Med Sci. 2014;30(3):638–641. doi:10.12669/pjms.303.4256