Torção do cordão espermático: sintomas e causas

30 de junho de 2019
Alguns homens são mais propensos à torção do cordão espermático devido a defeitos no tecido conjuntivo do escroto.

A torção testicular é a torção do cordão espermático, que sustenta os testículos no escroto. Quando isso acontece, o suprimento de sangue para o testículo e tecidos adjacentes é interrompido. Os testículos são as glândulas que produzem espermatozoides. Eles são ovoides e estão localizados no saco escrotal.

O suprimento de sangue para os testículos vem das artérias espermáticas que chegam através do cordão espermático. Por outro lado, a drenagem venosa ocorre através de veias espermáticas que seguem o mesmo caminho, mas na direção oposta.

Causas da torção do cordão espermático

Homem com sinal de alarme no púbis: torção do cordão espermático

A torção testicular pode ocorrer em qualquer idade e pode ocorrer em homens mais velhos. No entanto, é mais frequente durante a puberdade ou durante o período neonatal.

Alguns homens são mais propensos à torção do cordão espermático devido a defeitos no tecido conjuntivo do escroto. Embora nem sempre haja uma causa clara.

Esta condição pode aparecer depois de sofrer uma lesão na área do escroto que produz muita inflamação. Embora também possa acontecer depois de realizar um exercício pesado.

Em alguns casos, existe uma predisposição anatômica na qual a fixação do testículo é incompleta ou inexistente. Também pode ser porque o cordão espermático é mais longo que o normal.

Quais são os sintomas?

A dor é o principal sintoma e caracteriza-se por ser de desenvolvimento súbito e de grande intensidade. A dor é localizada no testículo afetado, embora possa irradiar para a região da virilha. Pode até atingir o abdome inferior. Outros sintomas que podem acompanhar a dor são:

  • Náusea
  • Vômito
  • Mal-estar, incomodo geral.

Há casos em que se pode ver que o testículo está ascendido e horizontal no saco escrotal. Além disso, geralmente, o testículo afetado está inflamado, com vermelhidão e endurecimento da pele do escroto.

A intensidade desses sintomas depende do tempo de evolução. No entanto, em alguns casos, a torção do cordão espermático se resolve espontaneamente e a dor desaparece pouco a pouco.

Leia também: Pilomatricoma múltiplo: principais características

Diagnóstico de torção do cordão espermático

O diagnóstico de torção do cordão testicular pode ser feito através da história clínica e do exame físico do paciente. O ultrassom é o exame de imagem que confirma o diagnóstico, mas nem sempre é necessário realizá-lo.

O ultrassom mostrará que o fluxo sanguíneo para o testículo é diminuído em relação ao testículo saudável. Este teste de diagnóstico é usado em pacientes que têm um exame clínico ou duvidoso.

Você também pode estar interessado em ler ademais: Complexo do pênis pequeno: existe um problema?

Tratamento

A cirurgia é a forma usual de tratamento, a fim de resolver a torção e fixar o cordão.

É uma emergência cirúrgica e o tempo é de vital importância. Isso porque quanto mais o tempo passa, maior o risco de necrose e perda do testículo. Se ocorrer dentro das primeiras 6 horas, a maioria dos testículos pode ser salva.

Quando uma criança se queixa de dor testicular que aparece abruptamente, é aconselhável consultar o médico imediatamente. O tratamento consiste em desfazer a torção e subsequente fixação do testículo afetado.

Em alguns casos, quando não há muita inflamação e a cirurgia não será imediata, você pode desfazer a rotação manualmente, mas sempre procedendo à cirurgia mais tarde.

Por fim, se a condição for detectada precocemente e tratada imediatamente, o testículo pode continuar a funcionar corretamente. As chances de que seja necessário remover o testículo aumentarão se o fluxo sanguíneo for reduzido por mais de 6 horas. No entanto, às vezes, pode perder a capacidade de funcionar.

  • Sanz Jaka, J. P., Villanueva, J. A., Garmendia Larrea, J. C., Mendívil Dacal, J., & Arocena Lanz, F. (1989). Torsión del cordón espermático. Archivos Espanoles de Urologia.
  • Mongiat-Artus, P. (2012). Torsión del cordón espermático y de los anexos testiculares. EMC – Urología. https://doi.org/10.1016/s1761-3310(04)40737-3
  • Gonzalo-González, A., Longás, J., Pérez-Barrero, P., Infantes, M., Pérez-Alfranca, C., & Ruiz-Pérez, R. (2007). Bloqueo del cordón espermático como tratamiento del dolor crónico testicular. Revista de La Sociedad Espanola Del Dolor.