Complicações da varicocele: tudo que você precisa saber

02 Julho, 2020
A varicocele é a principal causa de infertilidade masculina, com uma incidência de até 40%. No entanto, é uma doença que, na maioria das vezes, não apresenta sintomas e não causa dificuldades ou complicações.
 

A varicocele é uma doença que ocorre em homens e mulheres, mas sua incidência é muito maior no sexo masculino. Trata-se da inflamação do cordão espermático, que drena o testículo ou a veia ovariana, no caso das mulheres. Neste artigo, falaremos sobre as principais complicações da varicocele.

Foi estabelecido que esta é a principal causa de infertilidade no sexo masculino. Aproximadamente 40% dos homens inférteis têm problemas para conceber devido à varicocele.

Esta doença tem uma incidência significativa. De acordo com os dados disponíveis, ocorre entre 15% e 20% dos homens. Não há informações estatísticas consolidadas sobre a sua prevalência entre as mulheres.

A varicocele costuma ser diagnosticada entre os 15 e 25 anos de idade. É muito raro que apareça em homens com mais de 45 anos. Tanto a ausência de tratamento quanto o próprio tratamento podem levar a complicações.

A varicocele

Vasos sanguíneos
A variocele é uma das principais causas da infertilidade masculina, principalmente devido a problemas vasculares.

A varicocele é uma dilatação das veias do cordão espermático, que drena o testículo. No caso das mulheres, corresponde à dilatação da veia ovariana, que dá origem a varizes na região pélvica e causa a síndrome de congestão pélvica.

 

Há varicocele primária e secundária. A primária é causada por uma deficiência anatômica que impede o refluxo de sangue no duto espermático. A secundária se deve a outros fatores, como tumor retroperitoneal, carcinoma de células renais, cirrose hepática com hipertensão portal ou fibrose retroperitoneal, entre outros.

O mais comum é que a varicocele seja extratesticular e afete o testículo esquerdo. Apenas 2% dos casos correspondem a varicoceles intratesticulares. Ela também pode aparecer no lado direito ou nos dois lados.

Leia também: 10 dores misteriosas que não devemos ignorar

Complicações da varicocele não tratada

A maioria dos casos de varicocele não apresenta sintomas. No entanto, quando aparecem, geralmente são muito dolorosos e desconfortáveis. O tratamento pode ser terapêutico ou cirúrgico.

As principais complicações de uma varicocele não tratada são as seguintes:

  • Atrofia testicular. Causa uma redução significativa do tamanho dos testículos. O funcionamento normal das gônadas é interrompido e, como consequência, pode causar infertilidade prematura ou disfunção erétil.
  • Infertilidade parcial ou total. A varicocele pode levar a um aumento da temperatura no testículo. Isso impede que o esperma seja produzido normalmente e leva à infertilidade total ou à dificuldade em conceber

Outra complicação da varicocele não tratada é a dor crônica. Essa dor tem o potencial de limitar e até impedir alguns movimentos do quadril. Em geral, a dor responde bem aos analgésicos comumente usados.

Complicações no tratamento da varicocele

Cirurgia para tratar varicocele
Nos casos mais graves de variocele, é necessário fazer uma operação cirúrgica.
 

Em princípio, a varicocele é tratada com suporte escrotal e medicamentos vasoconstritores. No entanto, se aparecer alguma complicação, é apropriado fazer uma ligação cirúrgica. Também é possível realizar um procedimento chamado embolização do testículo. Em ambos os casos, podem ocorrer complicações.

A varicocelectomia é um procedimento ambulatorial que, na maioria dos casos, não causa problemas. O principal risco é causar danos ​​à artéria que fornece sangue ao testículo, embora isso raramente ocorra. Uma infecção, contusão ou dano aos tecidos circundantes também pode ocorrer.

A embolização testicular, por outro lado, é um procedimento minimamente invasivo e, portanto, mais seguro do que a varicocelectomia. O risco de complicações é muito menor e a recuperação é muito mais rápida.

Tanto a embolização quanto a varicocelectomia têm uma taxa de sucesso de 90%. A diferença é que o primeiro não requer incisão cirúrgica, e isso reduz significativamente os riscos de hematomas, infecções e danos a outros tecidos.

Não deixe de ler: 5 remédios caseiros para tratar a disfunção erétil

Outros riscos possíveis

Qualquer pessoa que se submeta a um procedimento cirúrgico para tratar a varicocele deve assinar um consentimento informado. Ele deve alertar claramente sobre os riscos e complicações que podem surgir com o referido procedimento.

Geralmente, não há grandes inconvenientes. No entanto, essas possíveis complicações não podem ser descartadas:

 
  • Em uma pequena porcentagem de casos não há melhorias na fertilidade após a realização de uma varicocelectomia ou embolização do testículo.
  • Às vezes, o procedimento não reduz a dor causada pela varicocele, pois as dilatações varicosas persistem no escroto.
  • Raramente há formação de uma hidrocele, ou fluido no escroto.
  • Em casos raros, ocorre sangramento de intensidade variável, o que pode requerer uma reoperação, e até provocar a morte do paciente.

  • Briceño, L., Díaz, I., Gómez, P., & Cavelier, L. E. (2008). Varicocele e infertilidad masculina. Revista Urología Colombiana, 17(1).
  • Castañeda VJC, Serrano BEA, Tapia SR, et al. Impacto de la varicocelectomía bilateral en el análisis de semen y su efecto en la fertilidad. Bol Col Mex Urol. 2005;20(2):34-40.
  • Anuja Shah. 2017. Masa escrotal indolora. Manual MSD. https://www.msdmanuals.com/es/professional/trastornos-urogenitales/s%C3%ADntomas-de-los-trastornos-urogenitales/masa-escrotal-indolora
  • Sanabria Rojas, Pamela, & Morales González, Fernando. (2015). Síndrome de congestión pélvica como causa de dolor pélvico crónico. Medicina Legal de Costa Rica, 32(2), 129-137. Retrieved May 25, 2020, from http://www.scielo.sa.cr/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1409-00152015000200014&lng=en&tlng=es.
  • Varicocele. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/varicocele/diagnosis-treatment/drc-20378772
  • Luís Sepúlveda; Diana Coimbra; Mário Lourenço; Liliana Santos; Catarina Oliveira; Silvia Coutinho; Manuel Ramos. 2018. Varicocele treatment in patients up to 35 years olda multicentric retrospective study comparing 3 different techniques. Centro Hospitalar Universitário de Coimbra. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6507571
  • Owen, R. C., McCormick, B. J., Figler, B. D., & Coward, R. M. (2017). A review of varicocele repair for pain. Translational andrology and urology6(Suppl 1), S20–S29. https://doi.org/10.21037/tau.2017.03.36