O que é ejaculação retardada?

28 de março de 2020
A ejaculação retardada é uma disfunção sexual caracterizada pela incapacidade do homem de ejacular. Isso pode acontecer em pares ou apenas com estimulação manual. Esse distúrbio afeta aproximadamente 1,5 em cada 1000 homens.

A ejaculação retardada é a dificuldade de ejacular apesar de uma ereção completa, com excitação suficiente e estimulação sexual adequada. Embora possa ocorrer durante a masturbação, é muito mais comum acontecer durante a relação sexual.

Esse transtorno pode gerar insatisfação na vida sexual e causar conflitos no relacionamento. Portanto, é importante que seja avaliado por um profissional de saúde o mais rápido possível.

A seguir, analisaremos as causas que levam a essa disfunção, assim como o diagnóstico e o tratamento adequado para a sua melhora.

Causas da ejaculação retardada

Homem preocupado com ejaculação retardada
Existem muitas causas por trás da ejaculação retardada, entre as quais podemos citar fatores físicos e psicológicos.

A ejaculação retardada pode ser causada por problemas psicológicos, físicos ou por certos medicamentos. No entanto, na maioria dos casos, ocorre devido a uma combinação dos dois primeiros fatores.

Causas psicológicas

O gozo sexual está intimamente relacionado à saúde mental do indivíduo. Portanto, a vida sexual de uma pessoa pode ser afetada se houver certos tipos de preocupações ou desconfortos psicológicos. A seguir, veremos quais são as causas psicológicas mais comuns que levam à ejaculação retardada:

  • Transtornos de ansiedade, estresse e depressão.
  • Distúrbios da percepção da imagem corporal.
  • Baixa autoestima.
  • Experiências sexuais traumáticas.
  • Problemas com a parceira sexual: falta de atração ou medo de não atender às expectativas.
  • Hábitos de masturbação: a masturbação apoiada por conteúdo pornográfico difícil de reproduzir no sexo “da vida real” pode gerar insatisfação.

Leia mais: Dicas para ter uma sexualidade plena e segura

Causas físicas

Vejamos algumas das causas físicas que levam à ejaculação retardada:

  • Causas neurológicas: dano neurológico causado por derrames, lesões na medula espinhal ou diferentes neuropatias.
  • Anomalias congênitas que afetam o sistema reprodutor masculino.
  • Causa hormonal: déficit nos níveis de hormônios da tireoide ou baixos níveis de testosterona.
  • Infecção do trato urinário.

Causas farmacológicas

Os medicamentos apresentados a seguir podem atrasar a resposta ejaculatória:

  • Antidepressivos: especialmente ISRS (inibidores seletivos da recaptação de serotonina).
  • Ansiolíticos.
  • Anti-hipertensivos.
  • Anticonvulsionantes.
  • Drogas: álcool, anfetaminas, etc.

Diagnóstico da ejaculação retardada

  • Histórico clínico: a exploração do histórico clínico do paciente pode esclarecer as causas do surgimento desse transtorno sem a necessidade de um exame físico. Assim, se a causa for farmacológica, a disfunção deve desaparecer após a descontinuação do tratamento.
  • Exames de sangue para verificar sinais de, por exemplo, doença cardíaca, diabetes ou baixos níveis de testosterona não detectados anteriormente.
  • Exame de urina para detectar possíveis infecções relacionadas ao trato urinário que podem causar ejaculação retardada.
  • Exame físico: exame minucioso dos órgãos genitais masculinos que pode incluir palpação e teste de sensibilidade.

Leia mais: 6 situações nas quais não se deve manter relações sexuais

Tratamento da ejaculação retardada

Sessão de terapia
Quando a ejaculação é prejudicada por um mal-estar psicológico, a terapia pode ser de grande ajuda para o casal.

O tratamento vai depender da causa subjacente. Se for devido ao uso de um determinado tipo de medicamento, ele será suspenso, diminuído ou substituído por outro. No entanto, se a causa for física, alguns medicamentos podem ser usados para tratá-la. Caso a causa seja psicológica, será necessário um tratamento psicológico adequado.

Tratamento medicamentoso

Atualmente, não existem medicamentos especialmente projetados para tratar a ejaculação retardada. Por isso, costumam ser usados alguns medicamentos criados para tratar outras doenças, como:

  • Amantadina: medicamento originalmente criado para tratar o mal de Parkinson.
  • Buspirona: um ansiolítico.
  • Cipro-heptadina: um anti-histamínico cuja função original é o tratamento de alergias.

Terapia psicológica

Dependendo do fato de a causa ser decorrente de problemas do casal ou problemas psicológicos do próprio indivíduo, será aplicado o tratamento psicológico apropriado.

Nos casos em que há falta de desejo sexual ou problemas no relacionamento, a terapia sexual pode ser aplicada com um profissional de saúde mental que orientará o tratamento no sentido de melhorar a intimidade e a comunicação emocional.

Por fim, se os problemas psicológicos do indivíduo forem os responsáveis, como por exemplo a depressão, ansiedade, distúrbio da imagem corporal ou baixa autoestima, o profissional aplicará o tratamento que considerar adequado para resolver esses problemas, para que o paciente possa manter uma vida sexual saudável e satisfatória.

  • Quesada Vázquez, A. J. (2002). Trastornos del funcionamiento sexual en pacientes diabéticos. Revista Cubana de Medicina General Integral (Vol. 18). 1999, Editorial Ciencias Médicas. Retrieved from http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0864-21252002000400005
  • García Gutierrez, E., Aldana Vilas, L., Lima Mompó, G., Espinosa Riverón, M. del R., Castillo Castillo, C., & Felinciano Álvarez, V. (2005). Disfunción sexual masculina y estrés. Revista Cubana de Medicina Militar (Vol. 34). Centro Nacional de Información de Medicina Militar. Retrieved from http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0138-65572005000100005