6 situações nas quais não se deve manter relações sexuais

· 28 de dezembro de 2016
As relações sexuais devem ser satisfatórias e benéficas para ambos os membros do casal. No momento em que elas representarem algum problema, devemos nos perguntar se é conveniente mantê-las.

Além de aliviar o estresse, manter relações sexuais ajuda a queimar calorias, aumenta a união com o seu parceiro e proporciona muito prazer.

Como se tudo isso fosse pouco, é cientificamente comprovado que o sexo é um aliado da saúde mental e física.

No entanto, há momentos nos quais, definitivamente, manter relações sexuais não é uma opção, e por mais que você deseje se entregar a elas, deve se controlar e aprender a dizer não.

Há alguns momentos da vida nos quais não devemos manter relações sexuais, já que elas poderia ser prejudiciais para a saúde. Estas situações são as seguintes:

1. Não devemos manter relações sexuais quando se sente dor durante o sexo

Mulher com dor por causa das relações sexuais

A dor durante o sexo também é conhecida como dispareunia. Ela pode ser motivada por fatores orgânicos, como infecções bacterianas, feridas na região da vulva e endometriose.

Também pode ser consequência de questões psicológicas, como traumas, inseguranças, falta de desejo e problemas com a relação e a sexualidade.

Os homens também podem sofrer durante o ato sexual, mas é menos comum. As principais causas no caso deles incluem infecções, fissuras e feridas na região genital, que podem ser consequência de doenças sexualmente transmissíveis.

Seja qual for a causa, é conveniente consultar um especialista ao notar os sintomas.

Assim, antes de se atrever a manter relações sexuais somente para satisfazer o seu parceiro, converse com seu médico. Deixe que ele avalie o problema e lhe diga o que fazer.

Lembre-se de que o sexo é uma brincadeira na qual duas pessoas participam, e ambos devem se divertir igualmente.

Descubra: 5 lugares em que você deveria fazer sexo

2. Sexo durante a menstruação

Muitas dúvidas costumam surgir quando falamos sobre este assunto. A resposta é fácil: se ambas as partes estiverem saudáveis, não há nenhuma contraindicação real, principalmente no caso das relações monogâmicas.

Há casos em que as pessoas se sentem incomodadas pela presença do sangue, por isso é preciso conversar e ser muito honesto em relação ao assunto.

Se não for um relacionamento estável, não se deve fazer sexo sem preservativo, pois nesta etapa o corpo fica mais suscetível à transmissão de qualquer infecção através do sangue.

3. Em caso de infecção urinária

Infecção urinaria por causa das relações sexuais

Mulheres com infecção urinária dificilmente conseguirão manter uma relação sexual, e se o fizerem, não será satisfatória.

Pelo fato da vagina estar tão próxima da uretra (ambas são divididas por apenas um músculo), durante o próprio ato sexual, podem ocorrer traumatismos na uretra.

Isso ocorre principalmente quando há muita força ou velocidade. Neste caso, podem ocorrer lacerações na estrutura da uretra.

A recomendação é não manter relações sexuais durante o tratamento (que dura no máximo três dias, então a abstinência temporária não será tão difícil assim).

Leia também: Evite estes alimentos caso tenha infecção urinária

4. Sexo com imunidade baixa

Toda pessoa que seja imunodeprimida ou tenha a imunidade baixa tem mais riscos de contrair infecções e doenças de transmissão sexual.

As principais causas da imunidade baixa são:

  • Uso de corticoides
  • Gravidez
  • HIV

Nestes casos, não se deve manter relações sexuais com parceiros pouco confiáveis, e sempre deve-se usar o preservativo.

Outras doenças mais leves, como a gripe e a dengue, também exigem atenção com a atividade sexual, já que o esforço físico pode dificultar a recuperação.

Além disso, a própria indisposição causada pela doença pode ser um impedimento para o sexo.

5. Durante uma gravidez de alto risco

Mulher grávida que deve evitar relações sexuais

Este tema ainda é tabu para muitos casais. Principalmente no terceiro trimestre, quando o ventre já cresceu consideravelmente, existe o medo de machucar o bebê ou romper a bolsa antes do tempo.

É importante saber que a penetração não é suficiente para alcançar ou machucar o bebê.

Inclusive, as alterações hormonais podem aumentar o desejo sexual, e este ato pode estreitar ainda mais os laços do casal neste momento. Considere que existem muitas posições recomendadas para quando a mulher esta grávida.

Por outro lado, não se deve praticar sexo se a sua gravidez for de alto risco. Também devem ser evitadas as posições em que todo o peso fica sobre a barriga.

6. Sem uma higiene íntima correta

Fala-se muito sobre a higiene íntima depois do ato sexual e muitos são os que não levam em conta que não se deve ter relações se a área não estiver limpa. Às vezes, um encontro sexual inesperado pode transmitir vírus muito fortes.

Substâncias como o suor, corrimentos e secreções ficam mais presentes quando a limpeza não é adequada, facilitando infecções.

Também há micro-organismos que podem conviver normalmente no corpo de algumas pessoas e são nocivos para outras, e este intercâmbio pode ser problemático. O uso do preservativo reduz este risco.

Não temos que nos limpar imediatamente minutos antes do sexo. Basta garantir que a área íntima cumpre com a higiene básica.

Se você tiver a oportunidade e tiver vontade, tomar um banho juntos pode ajudar a acender a faísca e evitar qualquer risco.

Mantenha-se alerta

manter relações sexuais no chuveiro

Algumas situações geram dúvidas sobre se é possível ou não ter relações sexuais sem causar maiores problemas. Se você estiver passando por alguma destas situações, recomendamos esperar.

Confie sempre em seu médico e no seu parceiro antes de tomar qualquer decisão.