Transtorno do desejo sexual hipoativo em homens

15 de abril de 2019
O transtorno do desejo sexual hipoativo em homens é uma alteração que pode ser causada por vários motivos, caracterizada porque o indivíduo afetado deixa de sentir necessidades sexuais.

O transtorno do desejo sexual hipoativo em homens é uma alteração caracterizada quando o indivíduo afetado deixa de sentir necessidades sexuais. Este é um problema que ocorre de maneira bastante frequente.

O transtorno costuma se caracterizar quando situações que, em momentos anteriores subiriam a libido, deixam de causar efeito na pessoa. Ainda mais, costuma deixar de ter fantasias. Definitivamente, o homem não consegue se excitar, estando ou não em casal.

Conceito e classificação do transtorno

A mencionada alteração encontra-se amparada em uma redução ou até mesmo absoluta perda da libido por parte do homem. Os profissionais diferenciam a existência de duas classes dentro do transtorno do desejo sexual. Estas seriam as seguintes:

  • Primário: neste caso, o homem não sente desejo sexual em relação ao seu parceiro. Por outro lado, pode sim sentir atração por outros homens ou mulheres.
  • Secundário: o homem não sente nenhum tipo de desejo sexual, com nenhuma pessoa.
Homem com transtorno do desejo sexual hipoativo

Com relação a evolução do transtorno, o homem pode experimentar desenvolvimento diferentes. Será pontual no caso de já ter tido um desejo sexual normalizado em momentos anteriores de sua vida. Considera-se que o afetado experimenta um desenvolvimento crônico se nunca sentiu desejo sexual em termos normais.

O que causa o transtorno do desejo sexual hipoativo em homens?

Existem diversas causas que podem originar o transtorno. Entre as mais frequentes é possível destacar, por exemplo:

  • Estresse e ansiedade.
  • Ingestão de fármacos, como os antidepressivos.
  • Determinadas doenças do tipo endócrinas.
  • Carências hormonais.
  • Rotina no relacionamento.

Os profissionais Masters, Johnson e Kolodny, pioneiros na pesquisa sexual, indicam que é importante saber diferenciar entre as causas que motivam o transtorno.

Há que separar as que são de origem orgânica das devidas a fatores psicossociais. Ainda que, assim como dizem os pesquisadores, na maioria dos casos, ambas coexistem.

Talvez te interesse ler também: 6 exercícios para ter relações sexuais incríveis

Causas orgânicas

As causas orgânicas são as originadas por determinadas doenças crônicas, como a insuficiência renal, hepática, cardíaca ou a diabetes.

Homens com desejo sexual hipoativo têm problemas de disfunção

Igualmente, também podem causá-lo determinados estados de alteração nos níveis de hormônios que se manifestam durante a andropausa. Isso é, no momento no qual a testosterona, hormônio sexual masculino relacionado com o desejo, reduz mais do que o esperado para a idade.

Cabe mencionar que a ingestão crônica de uma grande quantidade de álcool, tabaco ou medicamentos, pode causar igualmente o transtorno do desejo sexual hipoativo em homens.

Causas psicossociais

O estresse é considerado como a primeira causa psicossocial do transtorno, seguido dos problemas que afetam de maneira distinta a relação, no caso de o homem estar em uma.

Problemas de comunicação ou conflitos fortes, costumam ser os motivos que mais afetam o desenvolvimento do transtorno. Da mesma forma, uma perda de confiança no parceiro pode originá-lo.

Outras causas psicossociais que motivam o aparecimento do transtorno são o fato de ter vivido experiências traumáticas. Por exemplo, uma repressão excessiva sexual durante a infância, ou ter sofrido abusos sexuais.

Além disso, o homem pode ter experimentado problemas relacionados com o sexo, como a ejaculação precoce ou a incapacidade para manter uma ereção. Estes problemas motivam o sentimento de frustração e podem provocar o transtorno.

Descubra: 6 hábitos para melhorar a vida sexual

Tratamento do transtorno do desejo sexual hipoativo em homens

O transtorno do desejo sexual hipoativo em homens tem solução. O mais importante é basear o tratamento nas causas que o originaram. É essencial procurar primeiro um sexólogo, que possa orientar o paciente e evitar a cronificação do problema.

Certamente, o médico focará o tratamento nas causas identificadas, sejam orgânicas ou psicossociais. Dessa forma, o tratamento pode variar desde métodos hormonais até terapias psicossociais. Estas podem ser focadas no relacionamento de casal, assim como em levar uma vida saudável.

Por fim, devem ser corrigidas as causas médicas, dar medicamentos que aumentem o desejo sexual e apoiar as consequências emocionais. Dessa maneira, através de determinados exercícios, pouco a pouco irá se sensibilizando, sensualizando e re-erotizando a pessoa afetada.