10 dicas para a masturbação a dois

A masturbação a dois pode ser benéfica para o relacionamento. Você quer experimentar, mas não sabe por onde começar? Preste atenção às dicas a seguir.
10 dicas para a masturbação a dois

Última atualização: 27 Maio, 2021

Uma das queixas mais frequentes entre os casais é que as suas interações sexuais se tornaram rotineiras e pouco satisfatórias, geralmente por causa do estresse e das obrigações diárias. Quando se trata de inovar e melhorar a qualidade das trocas íntimas, tudo é válido. No entanto, existe um recurso que é tão relevante quanto esquecido: a masturbação a dois.

Ainda existem muitos mitos e tabus em torno da masturbação. Alguns até se sentem ofendidos, chateados ou rejeitados se o parceiro recorre à masturbação individual. No entanto, esta é uma prática totalmente saudável e natural, que pode nos beneficiar de várias maneiras.

Benefícios da masturbação a dois

Casal na cama
A masturbação a dois é uma forma de estreitar os laços.

Aumenta a confiança e a intimidade

A masturbação a dois permite que você descubra o outro e se deixe descobrir, e até mesmo que vocês se conectem em um nível mais profundo. Esta é uma prática na qual a pessoa costuma estar mais presente, mais atenta às sensações. Embora isso possa fazer com que algumas pessoas se sintam vulneráveis, o grau de intimidade e confiança alcançado é muito maior.

Promove a comunicação e o conhecimento do outro

Muitas das dificuldades sexuais de um casal são causadas pela falta de comunicação assertiva. Ser capaz de transmitir ao outro o que você quer e do que você gosta é essencial, bem como estar disposto a ouvir e a aprender. A masturbação a dois oferece a oportunidade perfeita para observar, orientar e ser orientado para dar e para receber prazer.

Aumenta a satisfação

Talvez você pense que o sexo e a penetração são essenciais e obrigatórios. É comum acreditar que eles são o objetivo e que todo o restante não tem importância. Porém, na verdade, é necessário gerar um grau suficiente de desejo e excitação para que a relação sexual seja satisfatória. E, para isso, a masturbação a dois é uma excelente ferramenta.

10 dicas para uma masturbação a dois agradável

Dicas para a masturbação a dois
Deixe tabus e mitos de lado: a masturbação a dois é uma forma de dar e de receber prazer.

Elimine tabus

É importante que você reveja as suas crenças a respeito da masturbação e modifique aquelas que forem limitantes. Da mesma forma, se sentir vergonha, pudor ou falta de aceitação do seu corpo, será necessário que isso seja trabalhado previamente; caso contrário, a experiência pode ser mais desconfortável do que gratificante.

Decida quando experimentá-la

Dependendo da sua personalidade e da personalidade do seu parceiro, o momento ideal para pensar em experimentar a masturbação a dois será diferente. Os mais espontâneos podem apresentar a proposta em qualquer encontro, de forma natural. Porém, se vocês são mais tradicionais, é preferível conversar em um ambiente neutro, fora da relação sexual.

Crie um ambiente adequado

O desejo é alimentado por estímulos de todos os tipos, e um ambiente propício e sugestivo pode tornar a experiência muito mais agradável. Assim, encontre um local confortável, íntimo e tranquilo, e reserve algum tempo para prepará-lo. Abaixar a luz, acender algumas velas, colocar música de fundo ou usar a aromaterapia são algumas das opções.

Sem regras

Lembre-se de que este momento é apenas para você e o seu parceiro, e deve ser adaptado às suas preferências. Vocês podem tirar a roupa ou não, podem se acariciar mutuamente ou um ao outro, usar brinquedos sexuais ou não. Não existem regras, vocês é que escolhem o tempo todo.

Experimente e aprenda

Casal na cama
Deixe os tabus e medos de lado, experimente e viva a experiência da masturbação a dois.

Uma das maiores vantagens dessa prática é que ela permite que você conheça melhor o seu parceiro e também se deixe conhecer. Permita-se experimentar e explorar novas sensações, esteja atento às reações do outro e às suas próprias e, assim, vocês vão descobrir mutuamente os seus gostos e preferências.

Comunique-se

Em relação ao que foi dito acima, também é essencial que ambos sejam capazes de se comunicar de forma assertivaO outro não pode ler a sua mente; portanto, você deve transmitir as suas opiniões e sugestões. Da mesma forma, você deve saber ouvir e se deixar guiar sem se sentir agredido ou rejeitado.

Pense menos, sinta mais

É essencial que, durante este período de tempo, você seja capaz de “desconectar a sua mente” e se conectar com o seu corpo. Medos, preconceitos e preocupações podem arruinar o momento e impedir que você o aprecie. Portanto, concentre-se na sua respiração, nas sensações que vierem e deixe-se levar.

Não tenha pressa

Para que a masturbação a dois seja agradável, é importante que ela seja vista como um fim em si mesma. Não tente buscar e alcançar o orgasmo a todo custo, vá com calma e aproveite o processo.

Não busque a perfeição

Se for a primeira vez que você tenta fazer esta experiência com o seu parceiro, é muito provável que o resultado fique longe de ser perfeito. Mas isso não é regra e não deve te desanimar. Com o tempo, o conhecimento do outro e a confiança mútua vão aumentar e, assim, os resultados serão mais positivos.

Repita e inove

Finalmente, tente introduzir a masturbação a dois como um elemento frequente na sua vida sexual. É inútil tentar apenas um dia e depois nunca mais. Faça com que ela seja parte da rotina, inovando em ambientes, posições e meios de estimulação.

Pode interessar a você...
8 dados sobre a masturbação feminina
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 dados sobre a masturbação feminina

A masturbação feminina é um daqueles temas que ainda gera pudor em muitas mulheres, não só pela falta de informação, e sim por todos os tabus.



  • Villaverde, P. L. (2004). Influencia de los mitos y falacias en las prácticas sexuales de la población adolescente madrileña: proyecto de encuesta. Revista profesional española de terapia cognitivo-conductual2, 87-93.
  • Coleman, E. (2003). Masturbation as a means of achieving sexual health. Journal of Psychology & Human Sexuality14(2-3), 5-16.
  • Santos-Iglesias, P., & Sierra, J. C. (2010). El papel de la asertividad sexual en la sexualidad humana: una revisión sistemática. International Journal of Clinical and Health Psychology10(3), 553-577.