Os 7 mitos sexuais mais populares e irreais

17 de abril de 2020
Embora muitos desses mitos sexuais tenham sua origem nos tempos passados, há aqueles que ainda acreditam neles e mantêm uma postura rígida diante do sexo.

No mundo da sexualidade, existe uma infinidade de mitos sexuais, tanto femininos quanto masculinos.

A primeira coisa que deve ser levada em consideração é que um mito é apenas uma história generalizada, mas que não costuma ter veracidade.

É necessário entender melhor as relações sexuais. Muitos desses mitos causam ignorância e desinformação nas pessoas, o que, em muitos casos, leva a gestações indesejadas e doenças sexualmente transmissíveis.

O sexo desempenha um papel importante em nossas vidas. Perguntas a respeito de como obter mais prazer, praticar sexo com segurança e o que fazer em casos de emergência são as mais comuns e frequentes.

Hoje, trazemos uma lista desses mitos sexuais mais comuns e irreais sobre o sexo. É hora de você tirar algumas das suas dúvidas e parar de acreditar neles.

7 mitos sexuais comuns e irreais

1. “Aqueles que têm o pé grande têm o pênis grande”

O tamanho importa?

Este mito se refere aos homens que calçam sapatos grandes. Durante muito tempo, houve uma crença de que o tamanho do pé era indicativo do tamanho do pênis. Errado! Nada mais longe da realidade.

A morfologia de um homem não tem nada a ver com o tamanho do seu pênis. Na verdade, há homens de estatura média ou pequena que podem surpreender. Portanto, esta regra não é aplicável.

2. “A penetração é o mais importante”

Certamente, este é outro mito que é relevante para muitas mulheres e homens. A penetração não é necessária para fazer sexo.

Sem dúvida alguma, há muitas maneiras de fazer sexo sem a necessidade de penetração, embora isso seja um pouco mais subjetivo para cada pessoa.

Podemos citar o sexo anal ou oral, masturbação, e até o sexo por telefone como variantes dentro do mundo sexual. Você tem muitas opções para obter prazer e se sentir satisfeito com o seu parceiro. A criatividade é a chave para manter a chama viva.

3. “Os homens só pensam em sexo”

Os mitos sexuais mais populares

Isso é parcialmente verdadeiro, mas não totalmente. Os homens pensam e expressam sua sexualidade muito mais abertamente do que as mulheres. No entanto, isso não significa que as mulheres não o façam: elas também pensam nisso com a mesma frequência dos homens.

O que acontece é que não é socialmente bem visto que as mulheres façam comentários ou se expressem tão abertamente sobre sexo. Mesmo na atualidade e com tudo o que já avançamos nesta questão, ainda existe um certo tabu.

4. “Fantasias são para prostitutas”

Nunca pense assim. Certamente, não há nada mais emocionante e excitante para um casal do que satisfazer suas fantasias, mesmo as mais sombrias.

Essas fantasias aumentam e estimulam a libido do parceiro(a), nos tornam menos recatados e nos permitem desfrutar mais o sexo.

Definitivamente, a comunicação é o aspecto mais importante em um relacionamento. Com ela, ambos ficam satisfeitos sexualmente.

5. “A iniciativa deve ser tomada pelo homem”

Casal com problemas na cama

Completamente falso. Sem dúvida alguma, este é um pensamento machista que ainda existe em muitas culturas.

Primeiramente, pensa-se que as mulheres são malvistas apenas pelo fato de estarem tomando a iniciativa no sexo. Portanto, deixe-nos dizer-lhe que você não deve se deixar levar por esses tipos de mitos sexuais.

Para obter mais prazer e manter boas relações sexuais, é ideal que ambos tomem a iniciativa. Em conclusão, se você for mulher e, em algum momento, quiser fazer sexo, não perca a oportunidade por pensar “no que eles vão dizer”. Seja corajosa e dê o primeiro passo.

6. “O álcool é o melhor estimulante sexual”

A realidade é que o álcool, em quantidades moderadas, só funciona como um desinibidor. Isso não estimula ou aumenta o apetite sexual, só faz você se dar conta dele.

No entanto, quando nos excedemos, isso pode causar a perda de consciência, e os resultados podem ser muito sérios, incluindo sexo indesejado, contrair uma doença sexual, ou até uma gravidez.

Sendo assim, se você for beber, faça-o com moderação.

7. “O sexo oral é mais seguro do que o sexo vaginal”

Sexo oral

Sem dúvida alguma, não é porque não há penetração que não há risco de contrair uma infecção ou até mesmo uma doença sexualmente transmissível. É importante que qualquer tipo de sexo seja praticado com cuidado.

Embora não haja risco de gravidez, o sexo oral deve ser praticado com um parceiro sexual com quem você se sinta seguro.

Se houver cortes ou feridas dentro da cavidade oral, a pessoa é tão propensa a contrair HPV, HIV, herpes, gonorreia, sífilis ou clamídia quanto aqueles que praticam sexo vaginal.