Causas da prostatite e medidas de prevenção

A prostatite é uma doença complexa. No entanto, você ficará surpreso com as implicações sérias e variadas que ela pode ter para a saúde dos homens.
Causas da prostatite e medidas de prevenção

Última atualização: 13 Novembro, 2021

Hoje falaremos sobre as causas e formas de prevenção da prostatite, que envolve processos inflamatórios ou infecciosos que afetam a glândula chamada de próstata. Ela faz parte do sistema reprodutor masculino e está localizada sob a bexiga, próximo ao reto, ao redor da uretra.

A prostatite ocorre com mais frequência entre as idades de 20 e 40 anos. Isso não significa que não possa acontecer a qualquer momento. Na verdade, afeta de 10 a 14 em cada 100 homens.

Principais causas da prostatite

A prostatite tem causas difusas. O diagnóstico tardio e o tratamento inespecífico continuam a ser um problema.

Embora existam várias classificações da patologia, a mais utilizada é aquela que a divide em bacteriana e não bacteriana. Vamos ver.

Prostatite bacteriana aguda

A prostatite bacteriana aguda é uma infecção da próstata causada por bactérias que sobem pelo trato urinário inferior ou linfaticamente do reto. Nestes casos, a infecção é dita retrógrada, uma vez que os elementos bacterianos surgem fora do sistema urogenital.

Prostatite bacteriana devido a infecções urinárias

Nos homens, ao contrário das mulheres, a uretra faz parte do sistema reprodutor. A próstata possui vários mecanismos para se defender contra infecções. Desde o seu arrasto e evacuação durante a micção e a ejaculação até a produção de substâncias antimicrobianas.

No entanto, a má drenagem das secreções ou o refluxo da urina para a próstata leva à inflamação da glândula. É assim que a maioria das prostatites bacterianas tem sua origem em infecções urinárias recorrentes.

Geralmente, apenas um tipo de microrganismo causa a infecção. Em 50% a 87% dos casos, essa bactéria é a Escherichia coli.

Prostatite bacteriana e infecções sexualmente transmissíveis

A prostatite bacteriana também pode ser causada por doenças sexualmente transmissíveis. Bactérias como Gardnerella vaginalis, Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae estão envolvidas.

Junto com isso, esses germes podem desencadear eventos autoimunes, agravando a condição. É o caso da infecção por C. trachomatis, na qual são gerados anticorpos que atacam os espermatozoides.

Prostatite não bacteriana

Quanto à prostatite não bacteriana, sua origem é menos clara. A este respeito, existem várias teorias.

Uma delas é de que há um refluxo da urina que causa irritação e inflamação crônica da próstata. Outra é que os microrganismos ou as substâncias por eles produzidas estimulam uma resposta autoimune.

Outra teoria relaciona a prostatite crônica com hemorróidas e varicocele, tudo devido a um mau funcionamento das veias da região pélvica.

Próstata no sistema reprodutivo
A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino; portanto, suas doenças afetam a fertilidade.

Fatores de risco

Existem diversos fatores que podem favorecer o aparecimento da prostatite. Isso inclui condições médicas como uso de cateter urinário e tratamento de diálise. Da mesma forma, diabetes e infecção pelo vírus da imunodeficiência humana aumentam o risco.

Por outro lado, os hábitos sexuais são determinantes para o desenvolvimento da prostatite. Assim, ter múltiplos parceiros sexuais sem o uso de preservativo é considerado um comportamento de alto risco.

Depressão como fator de risco para a prostatite

De acordo com algumas teorias, a prostatite crônica pode se comportar como uma doença psicossomática. Essa condição tem sido associada ao estresse, ansiedade e aumento da sensibilidade à dor.

Nesse sentido, Lien et al. conduziram um estudo no qual descobriram que homens com depressão tinham quase duas vezes o risco de sofrer de prostatite aguda e crônica em comparação com aqueles sem. Os mecanismos pelos quais isso acontece ainda são uma questão que precisa ser investigada.

Sintomas

Homens com prostatite apresentam vários sintomas geniturinários inferiores inespecíficos. Dentre eles, destaca-se a dor entre o escroto e o reto que se irradia para a virilha e até os órgãos genitais. Em alguns casos, há dor na região lombar.

Outros sintomas comuns são febre, mal-estar geral, aumento da micção ou retenção urinária, bem como desconforto ao urinar, incluindo dor durante a relação sexual e ejaculação precoce.

Em alguns pacientes, os sintomas mais perceptíveis são os sintomas urinários. Em outros, as manifestações são evidentes na vida sexual.

Prostatite assintomática

Muitos homens com prostatite são assintomáticos. Isso faz com que a condição se torne crônica. Ocasionalmente, em homens com mais de 50 anos de idade, o diagnóstico é feito acidentalmente, devido a achados anormais em um exame de urina.

Diagnóstico

O diagnóstico de prostatite não é simples. Um histórico médico completo e um exame físico detalhado sempre serão importantes. O levantamento dos sintomas da prostatite proposto pelo National Institutes of Health dos Estados Unidos pode ser útil.

Prostatite aguda

Na prostatite bacteriana aguda, a próstata fica aumentada, sensível e muito dolorida à palpação. A Associação Asiática de Infecção do Trato Urinário e Infecção Sexualmente Transmissível (AAUS) recomenda a realização de um exame de urina que mostraria leucócitos e bactérias, junto com uma cultura de urina.

A determinação do antígeno prostático (PSA) não é um exame de rotina para o diagnóstico de prostatite. Mas se você o fizer, o resultado será elevado. Em tal circunstância, um acompanhamento pós-tratamento deve ser feito.

Prostatite crônica

Por sua vez, na prostatite crônica, o exame de toque retal não é muito útil. Ampliação e sensibilidade minimamente altas serão encontradas.

Nesse caso, outros testes são úteis, como cultura de esperma e cultura de sêmen. Ocasionalmente, uma biópsia pode ser necessária para fazer o diagnóstico.

Um ultrassom da próstata é a chave no diagnóstico de prostatite aguda e crônica. Servirá para descartar a presença de complicações, como um abscesso da próstata.

Possíveis complicações

A gama de complicações da prostatite é ampla. Uma variante bacteriana mal tratada pode ter consequências graves, como abscesso, infecção testicular ou sepse.

Quando o problema se torna crônico, ele traz consigo dor crônica e disfunção sexual. Até a infertilidade é um resultado esperado.

Disfunção sexual e problemas psicológicos derivados da prostatite

A falta de uma consulta a tempo leva a sintomas que se tornam crônicos e piores. A intensidade da dor causada pela prostatite pode ser tanta que compromete o desempenho sexual masculino. Os relacionamentos podem se tornar uma experiência traumática e dolorosa.

Por se tratar de um assunto tabu, os homens não o compartilham com ninguém. Esta situação leva a distúrbios de natureza psicológica.

Prostatite e infertilidade masculina

A próstata é uma glândula que secreta um fluido prostático rico em zinco, que representa entre 25% a 30% do volume ejaculado. As glândulas acessórias secretam proteínas como a semenogelina, que produz viscosidade no sêmen.

Esta é a razão pela qual a prostatite pode impedir ou dificultar a fertilização. As condições do sêmen devem ser perfeitas para um processo eficiente.

Prostatite e câncer de próstata

De acordo com a American Cancer Society, vários pesquisadores descobriram uma associação entre a prostatite e o câncer de próstata. No tecido inflamado da próstata, foram encontradas células cancerosas.

Embora sejam necessários estudos adicionais para confirmar essa hipótese, isso nos faz pensar no cuidado e na dedicação com que devemos diagnosticar os pacientes. O manejo e o bom tratamento da prostatite serão a base para evitar desfechos fatais.

Sintomas de prostatite
Muitos homens não investigam os sintomas da prostatite por medo. Isso dificulta o tratamento adequado.

3 dicas para prevenir a prostatite

Considerando as suas diferentes causas, existem medidas simples que podem prevenir a prostatite. Sua aplicação é fácil e não requer muitas complicações.

1. Lave as mãos

Lavar as mãos antes e depois de urinar diminui o número de microrganismos encontrados nas extremidades. Portanto, com essa medida, podemos evitar infecções.

2. Vida sexual saudável

Todas as ações que ajudam a prevenir infecções sexualmente transmissíveis também previnem infecções do trato urinário e prostatite. Dentre elas, destaca-se o uso correto do preservativo.

3. Corpo saudável, próstata saudável

Para o cuidado da próstata aplicam-se todas aquelas ações que promovem o bem-estar. Evite o estresse, faça atividades físicas e tenha uma alimentação balanceada.

Superar a vergonha

A mensagem mais importante é consultar um médico diante de qualquer sintoma. Esquecer, esconder ou ignorar os incômodos só aumentará o problema. É fundamental ficar atento às causas da prostatite, deixar de lado o constrangimento e ir ao médico na hora certa.

Pode interessar a você...
5 dicas que ajudam a prevenir o câncer de próstata
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
5 dicas que ajudam a prevenir o câncer de próstata

Saiba o que podemos fazer em nosso dia a dia para prevenir o câncer de próstata, que causa inúmeras mortes todos os anos.



  • Matsumoto M, Yamamoto S. AAUS guideline for acute bacterial prostatitis 2021. J Infect Chemother. 2021;27(9):1277-1283.
  • Puerta-Suárez J., Cardona-Maya W. D. La próstata desde una perspectiva inmunológica. Medicina y Laboratorio 2020;24(1):13-35.
  • Magri V, Boltri M, Cai T, Colombo R, Cuzzocrea S, De Visschere P et al. Multidisciplinary approach to prostatitis. Arch Ital Urol Androl. 2019;90(4):227-248.
  • Robles A, Garibay T. R., Acosta E, Morales S. La próstata: generalidades y patologías más frecuentes. Revista de la Facultad de Medicina (México), 2019;62(4):41-54.
  • Repetto E, Sosa A, Colla R, Metrebian E, Metrebian S. Relación de prostatitis en la aparición del cáncer de próstata y la hiperplasia benigna prostática. Revista Cubana de Urología 2019;8(1):22-33.
  • Puerta J., Cardona W. Prostatitis: revisión de una patología enigmática y su relación con la fertilidad masculina. Urol Colomb 2018;27(3):233–242.
  • Torres K. L. Prostatitis. Revista Médica Sinergia 2018;2(1):26-31.
  • Reyes N., Correa Ó. Inflamación y cáncer de próstata: implicaciones biológicas y posible utilidad clínica. Iatreia 2914;27(1):73-84.
  • Jiménez-Cruz J. F., Broseta-Rico E. Clasificación, etiología, diagnóstico y tratamiento de las prostatitis. Otros tipos de prostatitis. Enferm Infecc Microbiol Clin 2005;23(Supl. 4):47-56.
  • Lien CS, Chung CJ, Lin CL, Chang CH. Increased risk of prostatitis in male patients with depression. World J Biol Psychiatry. 2020;21(2):111-118.
  • Collins MM, O’Leary MP, Calhoun EA, Pontari MA, Adler A, Eremenco S et al; Chronic Prostatitis Collaborative Research Network. The Spanish National Institutes of Health-Chronic Prostatitis Symptom Index: translation and linguistic validation. J Urol. 2001;166(5):1800-3.
  • En la referencia de la Bibliografía Reyes N., Correa Ó. Inflamación y cáncer de próstata: implicaciones biológicas y posible utilidad clínica. Iatreia 2014;27(1):73-84