Gua sha: o que é e quais são os seus benefícios?

Você já ouviu falar da antiga técnica do gua sha? Você conhece seus benefícios para ajudar a eliminar as rugas da pele? Continue lendo e descubra-os.
Gua sha: o que é e quais são os seus benefícios?

Última atualização: 28 Abril, 2021

Gua sha é uma técnica da medicina tradicional chinesa com cerca de 2.000 anos. É uma técnica de “raspagem”, como o nome indica: gua significa ‘raspar" e sha é definido como ‘areia".

Na verdade, neste tratamento, raspa-se na pele uma pedra plana de jade ou quartzo. Atualmente, faz parte do conjunto de terapias alternativas ou naturais.

O objetivo é contribuir para o tratamento de alguns problemas de saúde, pois ajuda a relaxar a musculatura, amenizar dores, promover a drenagem dos tecidos e melhorar a circulação. Também passou a ser utilizado para fins estéticos como parte dos tratamentos antienvelhecimento, porque teria a capacidade de reduzir as rugas.

Ferramentas necessárias para o Gua sha

O principal instrumento da técnica de gua sha é a pedra. Pode ser feita de jade ou de quartzo e geralmente tem a forma de um coração, embora existam formatos diferentes específicos para cada parte do corpo.

Algumas parecem peixes, outras parecem pés de pássaro e algumas são retangulares. Além disso, nas massagens utiliza-se um rolo de jade, bem como um óleo facial ou algum creme hidratante ou emoliente.

Quer mais dicas de beleza? Leia: Como minimizar a presença de rugas naturalmente

Quais são os benefícios do gua sha?

Embora os benefícios do gua sha não tenham sido totalmente estudados de forma científica, os defensores do seu uso não hesitam em afirmar que suas aplicações têm múltiplos benefícios no tratamento de várias doenças. Isso dependeria do tipo de pedra, já que a jade está associada a propriedades calmantes e o quartzo ajudaria a reduzir a inflamação, melhorar a circulação e estimular a drenagem linfática.

Enxaqueca, artrite, dor no pescoço e nas costas

O gua sha é tradicionalmente usado para tratar os sintomas de várias doenças que causam inflamação, bem como a dor crônica. Por outro lado, considera-se que pode ajudar nas enxaquecas, bem como nas dores do pescoço e das costas provocadas pela má postura.

A massagem com a técnica Gua sha alivia a tensão nos músculos. Segundo uma pesquisa, foi eficaz no tratamento da dor cervical crônica em comparação com outras técnicas, como a almofada térmica. Além disso, um estudo clínico comprovou a sua eficácia para a enxaqueca, mesmo em pacientes que não responderam aos analgésicos de venda livre.

Mulher com enxaqueca
Essas massagens com pedras podem ser eficazes na redução da dor associada à enxaqueca.

Síndrome da perimenopausa e ingurgitamento mamário

A perimenopausa se refere a um conjunto de sintomas que estão presentes quando as mulheres se aproximam da idade da menopausa. Entre os sinais mais comuns, estão os seguintes:

  • Períodos de sono irregular.
  • Menstruação ausente ou excessiva, com presença de dismenorreia.
  • Ansiedade.
  • Síndrome de fadiga.
  • Sensação de sufocamento.

Um estudo comprovou que o gua sha pode ajudar a reduzir esses sintomas da perimenopausa em algumas mulheres. Por outro lado, também tem sido usado no manejo do ingurgitamento mamário.

Assim, pesquisas indicam que as mulheres que recebem massagens com a técnica de gua sha após o parto têm menor probabilidade de apresentar ingurgitamento mamário, o que as beneficia no processo de amamentação.

Finalidades estéticas

Atualmente, a maior atenção dada ao gua sha é quanto aos seus benefícios estéticos e aplicações. Esta técnica é utilizada como parte dos tratamentos antienvelhecimento, visto que acredita-se que reduza as rugas, combatendo a flacidez.

Para esses fins, essa técnica se aplica nas costas, glúteos, braços e pernas. Entretanto, também é usada em várias áreas do rosto como uma massagem facial. Isso estimularia a circulação sanguínea e ajudaria a fazer com que os produtos usados ​​sejam melhor absorvidos.

O gua sha tem contraindicações?

Por ser um tratamento natural e não invasivo, o gua sha é seguro. No entanto, esfregar ou raspar a pele com a pedra de massagem pode causar hematomas que desaparecem em alguns dias.

Por outro lado, ele é contraindicado em alguns casos, como os que mencionamos a seguir:

  • Não deve ser aplicado se a pessoa foi submetida a alguma cirurgia recentemente, principalmente na área a ser massageada.
  • Se você toma anticoagulantes ou tem problemas de coagulação, o gua sha não deve ser realizado, pois durante a aplicação desta técnica alguns pequenos vasos sanguíneos podem se romper.
  • Da mesma forma, não se deve esfregar a pedra em traumas, golpes, cortes, feridas, edemas ou trombos.

Como a técnica do gua sha é realizada?

Somente uma pessoa com experiência e conhecimento nesta técnica deve aplicar o gua sha. Ao realizar a massagem no corpo, a pedra deve deslizar para cima e sempre na mesma direção. O mesmo vale para o rosto. Vejamos alguns exemplos:

  • Pescoço: o profissional começa massageando a nuca, fazendo movimentos de cima para baixo e também de dentro para fora, passando pelo lado em forma de coração e exercendo um pouco mais de pressão na base.
  • Contorno facial: realiza-se o movimento a partir do queixo em direção à orelha, acompanhando o contorno do rosto com o mesmo lado da pedra. No final do movimento, exerce-se uma leve pressão.
  • Maçãs do rosto: realizam-se vários movimentos, desde o nariz até as maçãs do rosto e destas para as orelhas, aplicando também uma leve pressão no final de cada um.
  • Sulcos nasogenianos: realizam-se movimentos diagonais que vão da ponta do lábio em direção ao queixo e, da mesma forma, em direção à borda das sobrancelhas.
  • Contorno dos olhos: segue-se a linha da sobrancelha até terminar na têmpora, com a lateral da pedra que tem formato de coração e mantendo o movimento ascendente.
  • Testa e rugas entre as sobrancelhas: pressiona-se a pedra entre as sobrancelhas fazendo o movimento para cima, até a linha do cabelo, com a parte convexa da pedra.
Rugas no pescoço
O uso do gua sha como técnica de antienvelhecimento é o mais difundido atualmente.

Tem um efeito comprovado?

Para os críticos da técnica do gua sha, o tratamento não tem embasamento científico. Embora a massagem sem dúvida tonifique os músculos e aumente a vascularização, isso acontece independentemente do que se usa, ou seja, a pedra não é essencial e os efeitos não se devem a ela.

No entanto, vários estudos têm demonstrado que o uso do gua sha ajuda a reduzir a intensidade da dor cervical nos pacientes com apenas uma semana de tratamento. Em outra pesquisa, observou-se que essa técnica auxilia no ganho de mobilidade e flexibilidade do paciente, reduzindo o consumo de analgésicos.

Finalmente, em uma pesquisa que a Universidade de Beijing realizou, usou-se a técnica do gua sha para ativar respostas imunológicas e reduzir a inflamação em camundongos infectados com PR8. Essa técnica inibiu a infiltração inflamatória. Entretanto, esse estudo foi realizado em condições controladas e em animais.

O gua sha à noite e sem maquiagem

A pedra de jade ou de quartzo se adapta aos contornos da pele para estimular, desde que os movimentos sejam feitos de maneira adequada. Outras recomendações para levar em conta indicam que é melhor realizar a técnica com o rosto limpo e hidratado, após retirar toda a maquiagem. Praticar à noite, antes de dormir, não só contribui para o rejuvenescimento, mas também relaxa os músculos.

Pode interessar a você...
Você conhece a massagem facial feita com uma colher? Descubra seus efeitos incríveis!
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Você conhece a massagem facial feita com uma colher? Descubra seus efeitos incríveis!

Apesar da constância ser fundamental para obtermos bons resultados com a massagem facial, estes também dependerão do nosso tipo de pele. Saiba mais aqui!



  • Chan ST, Yuen JW, Gohel MD, Chung CP, Wong HC, Kwong KK. Guasha-induced hepatoprotection in chronic active hepatitis B: a case study. Clin Chim Acta. 2011;412(17-18):1686-8.
  • Lee MH, et al. A single case of Tourette’s syndrome treated with traditional Chinese medicine. Journal of Acupuncture and Meridian Studies. 2017; 10(1): 55-61.
  • Nielsen A. Gua sha: A Traditional Technique for Modern Practice. Londres: Elsevier, 2013.
  • Nielsen A, Knoblauch NT, Dobos GJ, Michalsen A, Kaptchuk TJ. The effect of Gua Sha treatment on the microcirculation of surface tissue: a pilot study in healthy subjects. Explore. 2007;3(5): 456-66.
  • Nielsen A, Kligler B, Koll BS. Addendum: Safety Standards for Gua sha (press-stroking) and Ba guan (cupping). Complement Ther Med. 2014; 22(3): 446-448.
  • Tang K. Gua sha: an ancient therapy for contemporary illnesses. New Jersey: World Scientific, 2019.
  • Witham C. Gua Sha: Guía de autotratamiento completo. Málaga: Editorial Sirio, 2015.