Benefícios da massagem no corpo

· 6 de fevereiro de 2014
Para intensificar os efeitos, é recomendável aplicar calor antes da massagem, com a finalidade de aumentar a circulação do sangue nos músculos.

Atualmente precisamos de massagem no corpo, pois convivemos com situações constantes de estresse e preocupações por tantas responsabilidades com as quais lidamos.

Necessitamos dedicar um tempo para nós e investir em nossa saúde para evitar consequências negativas.

A massagem, ou também chamada massoterapia tem sido utilizada ao longo do tempo pelos múltiplos benefícios que nos oferece.

Neste artigo, falaremos sobre os benefícios da massagem para, assim, incluí-la nas medidas de luta contra o estresse, impedindo seus efeitos negativos.

Benefícios das massagens

É antiestresse, alivia o estresse emocional, contraturas e relaxa os músculos, já que aumenta a circulação do sangue, eliminando os resíduos acumulados na corrente sanguínea. A nível do aparelho circulatório, reduz o ritmo cardíaco e diminui a pressão sanguínea. A pessoa experimenta uma sensação de calma e tranquilidade.

Diminui as dores. Ao melhorar a circulação de sangue e nutrientes, faz com que o oxigênio chegue com mais rapidez nas áreas necessitadas. Reduz a inflamação e melhora a cicatrização dos machucados. O contato da mão do especialista com nosso corpo causa conforto e regula e alivia a tensão psicofísica.

Proporciona maior elasticidade à pele, esta torna-se macia e suave. Em nosso sistema digestivo, aumenta as secreções gástricas, melhorando problemas estomacais e intestinais. Fortalece o sistema imunológico e desintoxica o corpo, ao fazer com que o sangue circule mais livre em nosso organismo.

Recomendamos que leia: 6 lugares do corpo excelentes para fazer massagem

Quais áreas do corpo requerem mais massagens

Massagem que alivia contraturas musculares

Na realidade, todo o corpo é beneficiado por uma boa massagem.

Por isso, recomendamos que procure um profissional para evitar dores e incômodos posteriores por causa da má utilização da técnica.

Outro ponto que deve ser considerado é que o terapeuta deve ir aumentando a pressão ou força da massagem na medida em que o paciente o permitir.

Nunca se deve realizar massagens bruscas e com muita força. Um músculo contraído necessita de tempo para relaxar, uma pressão desmedida pode causar mais dor e inflamação.

Os lugares que geralmente requerem massagem são as regiões do pescoço, costas e cintura. O Estresse e os nervos repercutem, geralmente, no pescoço e costas.

Enquanto isso a cintura é mais afetada pelos maus movimentos ou por carregar pesos inadequados.

Quando devemos evitar a massagem

Estados febris, traumatismos recentes, ruptura de músculos, feridas sem cicatrizar, doenças infecciosas, veias varicosas avançadas, doenças infecciosas da pele, dentre outras.

Sempre comente com o terapeuta caso você sofra de alguma doença, para receber o tratamento adequado.

Não perca: Benefícios da massagem no corpo

Como iniciar uma boa sessão de massagem

O lugar deve estar tranquilo e ambientado para a situação. A pessoa que solicita uma massagem necessita de muita tranquilidade.

Seria bom falar com o terapeuta sobre nossos gostos. Conte a ele sua música preferida, algum aroma em especial, e peça que a luz seja tênue.

A aplicação de calor prévio à sessão ajuda a aumentar a circulação de sangue nos músculos potenciando os efeitos da massagem.

Pode ser realizado através de uma lâmpada infravermelha, aplicando este calor por um período de 10 a 15 minutos.

O calor gerado deve ser constante e suportável. Todas as pessoas são diferentes, algumas podem tolerar mais calor que as outras, os de pele branca são menos resistentes e mais propensos a queimaduras.

Atenção a estas recomendações para evitar momentos desagradáveis. Inicie a sessão de maneira suave e lenta para desfrutar plenamente dos benefícios que nos oferecem as massagens.

Borges, M. de C., Borges, C. dos S., Silva, A. G. J., Castellano, L. R. C., & Cardoso, F. A. G. (2013). Avaliação da qualidade de vida e do tratamento fisioterapêutico em pacientes com cervicalgia crônica. Fisioterapia Em Movimento. https://doi.org/10.1590/S0103-51502013000400016