Gagueira: tipos e tratamentos

17 Setembro, 2020
Você sabia que existem diferentes tipos de gagueira? Hoje vamos conhecê-las e também veremos como esse problema pode ser tratado.
 

A gagueira é um problema que afeta o fluxo da fala. A pessoa acometida por ela repete as palavras, sofre interrupções no discurso e tem dificuldade para falar fluentemente. Neste artigo, conheceremos os tipos de gagueira que existem e como eles podem ser tratados.

Como aponta o artigo ‘Abordagem e gerenciamento da gagueira‘, esse problema é caracterizado pela falta de fluência ao falar. Isso se manifesta na forma de repetição de palavras, sílabas, longas pausas e bloqueios. No entanto, por que esse problema ocorre?

O artigo mencionado estima que até 70% dos casos de gagueira estejam relacionados ao histórico familiar. Portanto, se houver alguém na família que já tenha sofrido com essa dificuldade de fala, é provável que outros membros venham a desenvolvê-la.

Tipos de gagueira

Menino gago

Quando pensamos em uma pessoa com gagueira, fazemos isso sem intuir que pode haver diferentes tipos de gagueira. De fato, pode ser a primeira vez que você ouve isso. Por esse motivo, hoje você descobrirá que não existe apenas um tipo e que cada um deles tem características muito específicas.

  • Gagueira no desenvolvimento: ocorre quando as crianças estão aprendendo a falar. Geralmente desaparece quando a criança domina todas as habilidades de fala e linguagem.
 
  • Neurogênica: é causada por uma lesão provocada por algum trauma grave na cabeça e até mesmo um derrame. Pode ser irreversível.
  • Clônica: a criança é incapaz de falar fluentemente porque repete sílabas e palavras involuntariamente.
  • Tônica: a criança sofre de espasmos que interrompem a sua fala. Quando esse tipo é combinado com o anterior (clônico), fala-se de gagueira mista.

Normalmente, o tipo de gagueira que nos vem à mente costuma ser o misto. No entanto, como pudemos perceber, existem outras possibilidades.

Leia também: 6 exercícios para ajudar crianças com problemas de linguagem

Como esse distúrbio da fala é tratado?

Dependendo do tipo de gagueira que a criança apresenta, ela será tratada de maneiras diferentes. Quanto mais cedo o pequeno iniciar um tratamento, mais cedo esse problema melhorará para que ele possa falar fluentemente e sem interrupções.

Problema de fala em crianças

Terapia fonoaudiológica para a fala

Este é o primeiro dos tratamentos aos quais uma criança diagnosticada com esse distúrbio da fala será submetida. Nesse tipo de terapia, são fornecidas ferramentas à criança, além de um trabalho que consiste em abordar os seguintes pontos:

 
  • Aprender técnicas que reduzam a gagueira ao falar
  • Falar mais devagar
  • Trabalhar a respiração 

Esse tipo de terapia costuma fornecer resultados muito bons e é uma maneira por meio da qual a criança também pode reduzir a sua ansiedade. Muitas vezes, a gagueira piora porque elas ficam nervosas ou com medo de passarem vergonha.

Nos casos em que a criança sofre de gagueira neurogênica, a terapia cognitivo-comportamental também pode ser uma opção de tratamento.

Não deixe de ler: Quer saber por que você fica sem voz?

Dispositivos eletrônicos

Existem alguns dispositivos que podem ajudar a reduzir a gagueira. Os que estão sendo usados ​​com mais frequência são dispositivos colocados no ouvido, como um aparelho auditivo. Eles imitam a fala quando a criança a emite como se alguém estivesse falando em uníssono.

A razão pela qual é possível optar por esta ferramenta é porque, muitas vezes, a gagueira ocorre devido a um atraso na escuta dos sons falados. Portanto, essa pode ser uma boa opção para obter uma melhoria notável do problema.

A melhor terapia para a gagueira é a paciência

Apesar de todas essas opções de tratamento, os pais devem estar envolvidos na melhoria da gagueira de seus filhos. Para isso, será essencial ter paciência e seguir as instruções dos profissionais. Você deve evitar repreendê-lo, falar com ele rapidamente ou ficar com raiva dele.

Muitas pessoas sofrem desse distúrbio, mas, com todas as opções que temos hoje, é possível melhorá-lo até que se torne quase imperceptível para outras pessoas. Porém, o trabalho em casa, o ato de elogiar a criança, não a estressar, ouvi-la e ser paciente são elementos essenciais.

 

Você já sofreu de gagueira? Alguém próximo de você está gaguejando? Esperamos que este artigo tenha lhe permitido compreender melhor como é esse distúrbio e, também, a maneira como você pode ajudar aqueles que sofrem com ele.

  • Almonte, C., Lecaios, S., Schwalm, E., Ch, S., & Astric, M. (1987). Aspectos clínicos y psicopatológicos de la tartamudez precoz patológica. Revista chilena de pediatría58(6), 456-460.
  • García Morales, Dailys, & Morejón Barrueto, Yanet. (2015). Consejos a la familia para evitar la aparición de la tartamudez. MediSur13(5), 575-577. Recuperado en 31 de marzo de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1727-897X2015000500003&lng=es&tlng=es.
  • Sangorrín, J. (2005). Disfemia o tartamudez. Revista de neurología41(1), 43-46.