6 exercícios para ajudar crianças com problemas de linguagem

14 de janeiro de 2020
A leitura pode ser uma boa ferramenta para ajudar crianças com problemas de linguagem. Esta prática tão enriquecedora para a imaginação a ajudará a aumentar seu vocabulário e a aprender as estruturas sintáticas.

As crianças com problemas de linguagem devem receber ajuda de um profissional e dos pais. Somente assim podem conseguir um bom desenvolvimento e melhorar com o tempo.

“A criança chora na sala de aula porque seus companheiros zombam dela. Implicam porque ela não sabe pronunciar palavras como carroça, trem ou estrada. Ela sente culpa por algo que não deveria sentir: ser uma criança que tem problemas para pronunciar bem algumas palavras”.

Não permita que essa situação se repita com alguma criança próxima a você. Leia nossas dicas e ajude-a a corrigir esse problema tão comum na infância. É importante destacar que, no caso de uma criança, um atraso na linguagem não significa necessariamente um problema nos demais âmbitos de seu desenvolvimento.

O fato de que uma criança pode ter dificuldades para falar não significa que seja incapaz ou menos inteligente. Além disso, é bem provável que tais problemas de linguagem se apresentem somente na etapa da infância.

Mesmo que seja difícil de acreditar, adolescentes e adultos com uma excelente forma de falar podem ter tido transtornos de fala quando pequenos, o que não os impediu de se desenvolver e chegar à idade adulta com uma dicção completamente normal.

Leia também: Como a dispraxia afeta a algumas crianças

Quais exercícios podem ajudar crianças com problemas de linguagem?

1. Cartões

Quais exercícios podem ajudar crianças com problemas de linguagem?

Os cartões que fazem referência aos sons são de muita ajuda para que as crianças aprendam a pronunciar corretamente cada sílaba. O melhor é converter esse exercício em um jogo e recompensar a criança quando ela pronunciar cada som da maneira correta.

2. Exercícios com espelho

Os exercícios com espelho são muito úteis para as crianças que têm dificuldade de pronunciar palavras e sons. O espelho serve para ensiná-las como realizar de forma correta o movimento da boca e o som que acompanha cada palavra.

3. Repetições

Repetir as palavras uma e outra vez está entre os exercícios mais eficazes para ajudar as crianças com problemas de linguagem. Cada repetição deve ser realizada de forma lenta. Dessa forma, a criança poderá escutar e conhecer todos os fonemas.

4. Falar com as crianças

Os pais e demais membros da família devem se comunicar de maneira frequente com as crianças que têm um atraso na linguagem

Os pais e demais membros da família devem se comunicar de maneira frequente com as crianças que têm um atraso na linguagem. Dessa maneira, propicia-se a comunicação verbal, proporcionando à criança a oportunidade de escutar novas palavras, aprendê-las, e ser capaz de se comunicar de forma correta.

5. Potencializar a fala

Para potencializar a fala em crianças pequenas, é ideal dar à elas o que pedem somente se disserem a palavra adequada, e não fazê-lo se recorrem unicamente a gestos com as mãos. Isso motiva a criança a buscar formas de usar a linguagem e conseguir o que quer.

6. Ler

Ler é um recurso adequado para potencializar a linguagem das crianças, já que através da leitura elas adquirem um novo vocabulário

Ler é um recurso adequado para potencializar a linguagem das crianças, já que através da leitura elas adquirem um novo vocabulário, como afirma um estudo realizado pela Fundação Educacional Arauco, no Chile.

Com a leitura elas aprendem a estruturar melhor as frases e a pronunciar palavras mais complicadas. Os contos, por exemplo, também ajudam a estimular a criatividade e a imaginação.

Não deixe de ler: Os benefícios do desenho para as crianças

Como os transtornos de linguagem são diagnosticados?

Um dos maiores desafios que os pais enfrentam é identificar se seus filhos têm dificuldades com a linguagem e se precisam da ajuda de um especialista, como aponta um estudo realizado pela Universidade Nacional Autônoma do México. No entanto, é importante destacar que cada criança apresenta variações próprias no desenvolvimento da fala. 

Algumas das situações que podem ajudar a identificar se uma criança tem problemas de linguagem são:

  • Se aos 18 meses a criança ainda não disse nenhuma palavra, não aponta objetos e nem apresenta interesse ou intenção de se comunicar.
  • Tem 18 meses e não entende ordens simples de no máximo três palavras.
  • Aos 2 anos repete unicamente o que escuta e não é possível entende nada do que ela diz.
  • Aos 3 anos não constrói plurais nem utiliza pronomes.
  • Chega aos 4 anos pronunciando mal as consoantes, apresentando sons nasais e não conjugando os verbos através da fala.

Recomendações para pais de crianças com problemas de linguagem

Os pais devem saber que as crianças aprendem a linguagem por imitação, escutando as pessoas ao seu redor. Por este motivo, devemos conversar muito com elas, com uma linguagem simples e clara de entender.

Durante a fase de amamentação, é importante dedicar tempo à comunicação verbal com as crianças, ao ensinamento de sinais e à imitação de sons e gestos. Da mesma forma, a partir dos 6 meses de idade, devemos ler para a criança todos os dias.

Os contos com imagens são ideais para estimular o desenvolvimento da linguagem. Aproveite o momento do banho ou da troca de roupa para reforçar a fala e a linguagem. Estas são situações ideais para nomear objetos, roupas e demais partes do corpo.

Os pais e demais pessoas do entorno da criança não devem rir dos erros que ela possa cometer. A chacota pode causar um grande dano psico-emocional em crianças com problemas de linguagem.

  • Fernández Martín F.. Escuchemos el lenguaje del niño: normalidad versus signos de alerta. Rev Pediatr Aten Primaria  [Internet]. 2013  Jun [citado  2018  Nov  09] ;  15( Suppl 23 ): 117-126. Disponible en: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S1139-76322013000300014&lng=es.  http://dx.doi.org/10.4321/S1139-76322013000300014.
  • Lara-Díaz María Fernanda, Gómez-Fonseca Ángela María, García Milena, Niño Lina, Guerrero Yeison. RELACIONES ENTRE LAS DIFICULTADES DEL LENGUAJE ORAL A LOS 5 Y 6 AÑOS Y LOS PROCESOS DE LECTURA A LOS 8 Y 9 AÑOS. rev.fac.med.  [Internet]. 2010  July [cited  2018  Nov  09] ;  58( 3 ): 191-203. Available from: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S0120-00112010000300004&lng=en.
  • Medina Alva María del Pilar, Kahn Inés Caro, Muñoz Huerta Pamela, Leyva Sánchez Janette, Moreno Calixto José, Vega Sánchez Sarah María. Neurodesarrollo infantil: características normales y signos de alarma en el niño menor de cinco años. Rev. perú. med. exp. salud publica  [Internet]. 2015  Jul [citado  2018  Nov  09] ;  32( 3 ): 565-573. Disponible en: http://www.scielo.org.pe/scielo.php?script=sci_arttext&;pid=S1726-46342015000300022&lng=es.