Fruta-dos-monges: o que é, benefícios e desvantagens

A fruta-dos-monges se tornou conhecida entre as opções saudáveis de adoçantes. Os motivos? É indicada para diabéticos, não fornece calorias e tem uma capacidade adoçante 200 vezes mais potente que o açúcar.
Fruta-dos-monges: o que é, benefícios e desvantagens

Última atualização: 04 Novembro, 2021

Quando se trata de substituir o açúcar refinado, há cada vez mais alternativas no mercado. Do mel ao xarope de agave, chegando aos mais recentes eritritol e estévia. Agora, outra planta da China foi adicionada a esta lista: a fruta-dos-monges, ou monk fruit.

Embora ainda seja difícil encontrá-la, está se espalhando como ingrediente de bebidas açucaradas e outros produtos. Talvez você já tenha experimentado um deles, mas se você não conhece a fruta-dos-monges, vai descobrir tudo sobre ela a seguir.

O que é a fruta-dos-monges?

A fruta-dos-monges (Siraitia grosvenorii) é o fruto de uma planta trepadeira da família Cucurbitaceae. É originária do sul da China, onde é conhecida pelo nome de luo han guo. Acredita-se que seu nome derive do fato de que os primeiros a cultivá-la foram monges budistas Arhat.

As primeiras menções datam do século 13 nos registros de monges chineses da região de Guilin. Foi usada (e ainda é) como um remédio tradicional para resfriados, dores de garganta e prisão de ventre. Porém, devido à dificuldade de seu cultivo, a planta não se espalhou para outras partes do país.

No século 20, tornou-se conhecida na Inglaterra, mas não foi até a década de 1980 que as primeiras descobertas sobre a sua capacidade adoçante foram relatadas.

O fruto é pequeno e redondo (cerca de 5 a 7 centímetros de diâmetro). A casca é dura, fina e coberta por pelos finos. Sua cor varia entre o amarelo, o verde e o marrom. O interior é consumido fresco e a casca é utilizada para fazer infusões.

O destaque do seu sabor é a doçura que é realçada quando se fala no pó e no extrato líquido da fruta. Os principais responsáveis por essa propriedade são os mogrosídeos, compostos glicosídeos extraídos de diferentes plantas e usados como substitutos do açúcar.

Açúcar refinado
Há cada vez mais opções para substituir o açúcar refinado no mercado. A fruta-dos-monges oferece uma alternativa natural para fazer isso.

Benefícios e pontos fortes da fruta-dos-monges

Embora seu uso na China remonte a muitos séculos, estamos diante de um adoçante que não foi tão estudado quanto outros que existem no mercado. Grande parte das análises foi realizada em animais e, por se tratar de um produto novo, os efeitos de longo prazo não foram testados.

Porém, levando isso em consideração, é possível listar uma série de vantagens e potencialidades que surgem com o uso do extrato da fruta-dos-monges.

É adequado para diabéticos

Os Padrões de Cuidado Médico em Diabetes da Associação Americana de Diabetes afirmam que “para aquelas pessoas que estão acostumadas com produtos adoçados com açúcar, os adoçantes não nutritivos podem ser uma boa alternativa ao açúcar, mel, xarope de agave.”

Embora seu uso pareça não ter impacto na regulação da glicose, eles facilitam uma menor ingestão de calorias e carboidratos. Portanto, são uma boa opção para quem costuma consumir alimentos e bebidas adoçados.

No entanto, esse mesmo órgão nos incentiva fortemente a diminuir a ingestão de alimentos e bebidas açucarados, e sugere optar por alternativas sem esses aditivos.

Não adiciona calorias ou sabor

O extrato de fruta-dos-monges não fornece calorias ou carboidratos. É por isso que costuma ser um dos adoçantes escolhidos por pessoas que seguem dietas com teor muito baixo de carboidratos, como a cetogênica.

Além disso, seu sabor é bastante neutro. Quando exposto ao calor, não perde propriedades. Portanto, é um substituto perfeito do açúcar para adoçar, cozinhar e assar.

Não costuma causar problemas digestivos

Em princípio, não há efeitos irritantes conhecidos derivados da sua ingestão. Alguns adoçantes do mesmo tipo podem causar gases, distensão abdominal ou diarreia em algumas pessoas.

Tem propriedades benéficas

A composição da fruta-dos-monges é caracterizada pela presença de carboidratos e alguns minerais. No entanto, também contém outros componentes, como flavonóides, ácidos fenólicos, glicosídeos e terpenos, que estão na base de sua atividade medicinal.

Além das propriedades reconhecidas pela Farmacopéia Chinesa, existem outros estudos sobre seus benefícios. Conforme observado na revistaFuture Medicial Chemistry, estes são alguns dos mais proeminentes:

  • Os mogrosídeos demonstraram a capacidade de reduzir o colesterol total e os triglicerídeos no sangue em camundongos diabéticos.
  • A fruta-dos-monges é capaz de neutralizar a ação dos radicais livres e prevenir a peroxidação dos lipídios. Isso está relacionado a um menor risco de sofrer de alguns problemas de saúde, como aterosclerose e doenças inflamatórias.
  • Os mogrosídeos exercem atividade anti-inflamatória, pois impedem a liberação de algumas moléculas como as prostaglandinas.

Diferentes maneiras de usá-la como adoçante

A fruta inteira tem uma vida útil muito curta e ainda é difícil encontrá-la longe dos países onde é cultivada. Por esse motivo, ela raramente é consumida e costuma ser mais utilizada em infusões.

O adoçante é feito de um extrato da fruta seca. Pode ser utilizado em qualquer tipo de comida e bebida, quente ou fria. Na hora da dosagem, deve-se levar em consideração que ele é entre 150 e 250 vezes mais doce que o açúcar refinado comum.

Você pode testá-lo nas seguintes situações:

  • No café, chá ou qualquer tipo de infusão como substituto do açúcar.
  • Em refrigerantes, limonadas e sucos.
  • Para adoçar laticínios como iogurte, kefir, smoothies ou sorvete.
  • Para substituir o açúcar no preparo de qualquer tipo de doce e sobremesa: biscoitos, bolos, pudins. Neste caso, é necessário levar em consideração que a textura, o sabor e a aparência final podem ser diferentes.

Possíveis desvantagens da fruta-dos-monges

A maioria dos órgãos reguladores declara que a fruta-dos-monges é um produto seguro e adequado, mesmo para mulheres grávidas e crianças. É o caso da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) e da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos.

Seu uso é permitido como substituto do açúcar e até o momento não foram observados efeitos deletérios derivados da sua ingestão. No entanto, é necessário ter em mente que se trata de um produto muito novo e seus efeitos a longo prazo ainda não foram estudados.

O risco mais importante pode vir na forma de uma reação alérgica. Pessoas com alergia a plantas da mesma família (abóbora, melancia ou melão) devem ter mais cuidado com o seu consumo.

A fruta-dos-monges é delicada, fermenta muito rapidamente e o seu cultivo é problemático. Esses são alguns dos motivos que explicam a dificuldade de encontrá-la nas lojas e o seu preço mais elevado.

O extrato de fruta-dos-monges é um adoçante interessante para diabéticos, mas alguns dos produtos nos quais ele é usado podem conter outros adoçantes que afetam a glicose no sangue.

Mulher diabética comendo fruta-dos-monges
Os diabéticos são forçados a procurar alternativas ao açúcar tradicional. Para eles, a fruta-dos-monges pode ser útil.

Considerações finais sobre a fruta-dos-monges

A fruta-dos-monges é um adoçante natural de uma planta cultivada na China. Nos últimos anos, ganhou fama como um substituto do açúcar mais saudável, graças a algumas das suas vantagens. É um aditivo seguro, adequado para dietas com teor muito baixo de carboidratos.

Porém, seu cultivo e exportação são pequenos se comparados ao aumento da demanda por esse produto. Por esse motivo, é difícil de encontrar na maioria das lojas e costuma ser usado na indústria alimentícia para adoçar bebidas.

Deve-se ter em mente que, na indústria, este é um elemento muito novo e seus benefícios não foram testados em humanos. Portanto, o melhor conselho é usá-lo moderadamente e em pequenas quantidades.

Pode interessar a você...
Benefícios da estévia na perda de peso
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Benefícios da estévia na perda de peso

Ao usar a estévia como substituto do açúcar conseguimos adoçar as sobremesas, mas com menos calorias. Escolha sempre as opções mais naturais.



  • American Diabetes Association. Lifestyle management: standards of medical care in diabetes – 2019. American Diabetes Association Diabetes Care. Enero 2019. 42 (Suppl 1): S46- S60.
  • Gong X, et al. The fruits of Siraitia grosvenorii: a review of chinese food-medicine. Frontiers in Pharmacology. Noviembre 2019. 10: 1400.
  • Liu C, et al. Pharmacological activities of mogrosides. Future Medicinal Chemistry. Febrero 2018. 10 (8).
  • Kumar Thakur B, et al. Introduction, adaptation and characterization of monk fruit (Siraitia grosvenori): a non-caloric new natural sweetener. Scientific Reports. Marzo 2021. 11: 6205.
  • Nutra Source Inc. Determination of the Generally Recognized as Self (GRAS) status of Siraitia Grosvenori swingle (luo han guo) fruit extract as a food ingredient. Mayo 2017. Office of Food Additive Safety. Food and Drug Administration.
  • Younes M, et al. Safety use of Monk fruit extract as a food additive in different food categories. EFSA Journal. Diciembre 2019. 17 (12): e05921.