Lista de alimentos permitidos na dieta cetogênica

22 Novembro, 2020
A dieta cetogênica é caracterizada por restringir o consumo de carboidratos. Quer saber quais alimentos ela permite? Continue lendo para descobrir e aprender a montar o seu próprio cardápio.

Saber quais são os alimentos permitidos na dieta cetogênica é importante para as pessoas que se interessam por essa abordagem nutricional. Trata-se de um plano alimentar que se popularizou nos últimos anos devido aos seus possíveis benefícios para a saúde.

É eficaz para perder peso e também serve para reduzir as crises epilépticas em pacientes não sensíveis a medicamentos. Atualmente, há pesquisas para saber se ela poderia ser um tratamento eficaz para a diabetes.

Essa dieta se baseia em um princípio simples: a restrição do consumo de carboidratos. Entretanto, como elimina todo um grupo de alimentos, esse padrão alimentar não é aconselhável para todos, mas aqueles que se adaptam a ela são capazes de sentir mudanças positivas na composição corporal em um curto espaço de tempo.

Lista de alimentos permitidos na dieta cetogênica

Como mencionamos, a dieta cetogênica é um plano alimentar que não permite o consumo de carboidratos. Por isso, é necessário conhecer os alimentos que podemos ingerir regularmente para não cometer erros. Apresentamos a seguir uma lista para que você não fique com dúvidas.

Alimentos permitidos na dieta cetogênica
O nome “Keto” é a forma abreviada da dieta cetogênica (Ketogenic em inglês), popularizada nos últimos tempos.

Alimentos de origem animal

Todos os produtos de origem animal são permitidos na dieta cetônica. Carne, peixe e ovos são alimentos proteicos que constituem a base da pirâmide alimentar cetogênica.

Garantir a ingestão de proteínas é fundamental para evitar o catabolismo muscular, que previne o desenvolvimento de sarcopenia a médio e longo prazo. Evidências científicas sugerem que a inclusão desses nutrientes deve ser superior a 0,8 grama por quilo de peso por dia, que é o mínimo estipulado pela Organização Mundial de Saúde.

Entretanto, é necessário ficar atento ao método de preparação dos alimentos. O melhor é cozinhá-los sempre na grelha, no forno ou ao vapor. As massas devem ser evitadas, pois podem introduzir carboidratos.

Da mesma forma, é preferível não fritar, para evitar a formação de resíduos tóxicos que podem afetar a saúde. Um exemplo disso seriam os hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, que aumentam o risco de câncer, segundo pesquisas que a revista Scientific Reports publicou.

Os alimentos permitidos na dieta cetogênica são:

  • Carnes brancas.
  • Carnes vermelhas.
  • Peixe branco.
  • Peixes oleosos.
  • Frutos do mar.
  • Ovos.
  • Lacticínios.

Leia também: 6 consequências de uma dieta sem carboidratos

Vegetais

A maioria dos vegetais contém um teor baixo de carboidratos. Por isso, eles podem ser incluídos na dieta cetogênica, desde que evitemos os tubérculos e o excesso nas suas quantidades.

É necessário ressaltar que, quando falamos em vegetais, nos referimos a hortaliças e verduras. Será necessário evitar frutas em grandes quantidades, pois seu teor de frutose interromperá o processo de cetose. Essa é a parte do metabolismo que fundamenta o plano cetônico e que consiste na produção de energia corporal por meio de fontes diferentes das habituais.

Os defensores desse tipo de dieta argumentam que a frutose é capaz de aumentar o risco de doença hepática, fato que algumas pesquisas demonstraram recentemente. Da mesma forma, é necessário restringir o consumo de leguminosas, uma vez que esses alimentos também contêm açúcares capazes de interferir no metabolismo dos ácidos graxos.

Os vegetais que podem ser incluídos são os seguintes:

  • Crucíferos.
  • Salsão.
  • Alface.
  • Vagem.
  • Cebola.
  • Espinafre.
  • Abobrinha.
  • Pimentão.
  • Abacate.

No preparo desses produtos, é importante evitar empaná-los, da mesma forma que acontece com as carnes. É melhor cozinhá-los na grelha ou no vapor. No caso de optar pelo cozimento em água, é preferível não descartar o próprio caldo, para evitar a perda de vitaminas hidrossolúveis.

Não deixe de ler: O que são os ácidos graxos ômega 3, ômega 6 e ômega 9?

Alimentos ricos em gorduras

Por último, é importante incluir alimentos ricos em gorduras regularmente na dieta cetogênica. Eles fornecem os ácidos graxos ômega 3 e 6, necessários para o bom funcionamento do organismo.

Os primeiros têm, entre outras capacidades, um poder específico quando se trata de modular a inflamação sistêmica. De acordo com estudo publicado na revista American Faimily Physician, a ingestão regular desses nutrientes ajuda a reduzir o risco cardiovascular.

Quando mencionamos alimentos gordurosos, nos referimos, fundamentalmente, a:

  • Óleos vegetais.
  • Frutas gordurosas (abacate).
  • Oleaginosas.

Esses produtos devem ser consumidos sempre crus, para não prejudicar o seu valor nutritivo. Submeter os lipídios a altas temperaturas aumenta a produção de gorduras trans. De acordo com a literatura científica, essas substâncias apresentam capacidades inflamatórias prejudiciais ao organismo.

Bebidas permitidas na dieta cetogênica

Quando se trata da dieta cetogênica, é importante levar em conta a lista de bebidas permitidas. A água é sempre a opção preferida. O ideal é consumi-la sozinha, embora também seja possível, ocasionalmente, recorrer à água com gás.

Café e chá são permitidos, embora seja importante não usar açúcar ou adoçantes artificiais para evitar o estresse pancreático. É possível misturar esses líquidos com um pouco de leite.

A dieta cetogênica, muito esporadicamente, permite a ingestão de pequenas quantidades de álcool. No entanto, os especialistas não apoiam essa prática, pois as bebidas alcoólicas pioram a saúde em outros aspectos.

Salmão com vegetais
Uma refeição da dieta cetogênica pode incluir peixes e vegetais.

Exemplo de cardápio com alimentos permitidos na dieta cetogênica

Vamos apresentar um exemplo de cardápio com alimentos da dieta cetogênica, para que você aprenda a configurá-lo sozinho:

Café da manhã:

  • Uma xícara de kefir com sementes e oleaginosas.
  • 2 ovos mexidos com 1/2 xícara de framboesas.

Almoço:

  • Sobrecoxa de frango assado com brócolis e pimentão.
  • Salmão grelhado com aspargos e abacate.

Lanche:

  • Iogurte com sementes de linhaça e abacaxi em pedaços.
  • Rolinhos de peito de peru e queijo.

Jantar:

  • Robalo assado com salada verde.
  • Costela de porco assada com abacate e couve-flor.

Introduza uma variedade de alimentos permitidos na dieta cetogênica

Como você viu, é possível planejar uma dieta cetogênica variada dentro dos grupos de alimentos que ela permite. Entretanto, se você tiver dúvidas, procure um especialista. Ele lhe dará indicações precisas e individualizadas.

Lembre-se de que a dieta cetogênica não é um plano para todos. Existem pessoas que não se adaptam a este modelo ou que apresentam uma série de patologias que condicionam o seu estado geral; portanto,  não é conveniente que iniciem estas estratégias restritivas.

  • Wolfe RR., Cifelli AM., Kostas G., Kim IY., Optimizing protein intake in adults: interpretation and application of the recommended dietary allowance compared with the acceptable macronutrient distribution range. Adv Nutr, 2017. 8 (2): 266-275.
  • Stec AA., Dickens KE., Salden M., Hewitt FE., et al., Occupational exposure to polycyclic aromatic hydrocarbons and elevated cancer incidence in firefighters. Sci Rep, 2018.
  • Horst KWT., Serlie MJ., Fructose consumption, lipogenesis, and non alcoholic fatty liver disease. Nutrients, 2017. ç
  • Rogers TS., Seehusen DA., Omega 3 fatty acids and cardiovascular disease. Am Fam Physician, 2018. 97 (9): 562-564.
  • Ahmed SH., Kharroubi W., Kaoubaa N., Zarrouk A., et al., Correlation of trans fatty acids with the severity of coronary artery disease lesions. Lipids Health Dis, 2018.
  • Braillon A., Alcohol: cardiovascular disease and cancer. J Am Coll Cardiol, 2018. 71 (5): 582-583.
  • Hernández Alcántara, Gloria, Arturo Jiménez Cruz, and Montserrat Bacardí Gascón. “Efecto de las dietas bajas en carbohidratos sobre la pérdida de peso y hemoglobina glucosilada en personas con diabetes tipo 2: revisión sistemática.” Nutrición Hospitalaria 32.5 (2015): 1960-1966.
  • da Cunha Vaz, Inês Dias. “Dieta Cetogénica e Resistência à insulina.” (2019).
  • Covarrubias Gutiérrez, P., M. Aburto Galván, and L. F. Sámano Orozco. “Dietas cetogénicas en el tratamiento del sobrepeso y la obesidad.” Nutrición Clínica y Dietética y Hospitalaria 33.2 (2013): 98-111.
  • Espinoza, C. “Dieta cetogénica en pediatría.” Sanjurjo, P, Baldellou, A. Diagnóstico y Tratamiento de Enfermedades Metabólicas Hereditarias. 3a ed. Madrid: Ergón. C/arboleda 1 (2010): 265-273.