Feijão-de-lima ou feijão-manteiga: nutrição, usos e preparação

O feijão-de-lima é uma variedade de leguminosa que se destaca pelo aporte de nutrientes essenciais. Seu consumo proporciona diversos benefícios à saúde.
Feijão-de-lima ou feijão-manteiga: nutrição, usos e preparação

Última atualização: 19 março, 2022

O feijão-de-lima ou feijão-manteiga é uma leguminosa deliciosa, cremosa e suave que deve seu nome à cidade onde foi descoberta, a famosa cidade de Lima no Peru. O Departamento de Agricultura e Serviços ao Consumidor da Carolina do Norte assegura que os indígenas peruanos a cultivam há mais de 7.000 anos.

Nos Estados Unidos, esses grãos também são conhecidos como grãos de manteiga, devido à sua textura e aparência. Em geral, esses grãos ou Phaseolus lunatus são de forma achatada e lembram um rim, seu sabor é suave e a cor varia do verde ao esbranquiçado.

Seu sabor rico e textura apetitosa o incluem com sucesso como um ingrediente estrela e versátil na cozinha. Além disso, seu valor nutricional o valoriza como prato principal. Quer saber mais sobre as razões para incluí-lo em uma dieta saudável? Então continue lendo este post.

Informação nutricional do feijão-de-lima ou feijão-manteiga

De acordo com o USDA, 170 gramas de feijão-de-lima, previamente cozido e escorrido, o que equivale a 1 xícara de feijão verde, fornece os seguintes nutrientes:

  • Calorias: 209
  • Proteína: 11,6 gramas
  • Carboidratos: 40,1 gramas
  • Açúcares: 2,8 gr
  • Fibra: 9,2 gramas
  • Gordura: 0,5 gramas
  • Vitamina C: 19% do VDR ( Valor diário recomendado)
  • Ferro: 23% do VDR
  • Manganês: 92% do VDR
  • Cobre: 58% do VDR
  • Magnésio: 30% do VDR
  • Potássio: 21% do VDR
  • Tiamina: 20% do VDR
  • Vitamina B6: 19% do VDR
  • Fósforo: 18% do VDR

Benefício nutricional

Conforme relatado pela FAO, as leguminosas representam a cultura mais antiga de todas as sementes, incluindo o milho. Um grupo de nutrientes no feijão-de-lima o torna especial entre vários grupos de leguminosas. Abaixo, analisaremos os componentes mais destacados do ponto de vista nutricional.

Proteína

As proteínas de feijão-de-lima fornecem quase 12 gramas por xícara cozida. Segundo o Dr. Julio Boza, as leguminosas são ricas em lisina e deficientes em metionina, cistina e triptofano. Por esta razão , deve ser complementado com outras sementes como cereais e obter uma proteína com melhor valor biológico e nutricional.

Gorduras

O teor de gordura dos feijões-de-lima é tão baixo que eles estão entre os alimentos mais selecionados para dietas de baixa caloria. Além disso, de acordo com o Journal of the Faculty of Medicine, o tipo de gordura nas leguminosas é reconhecido como essencial para o corpo e bom para manter a saúde ideal.

Carboidratos

O feijão-de-lima se destaca pela variedade de carboidratos. Desde os mais complexos, como amido e fibra, até os mais simples, como os açúcares que dão ao feijão-de-lima sua doçura especial.

O amido atua como fonte de energia, enquanto a fibra auxilia nas seguintes funções:

  • Regulação do açúcar no sangue.
  • Aumento da saciedade.
  • Regulação do controle de peso.
  • Favorece a eliminação do colesterol ruim.
  • Aumento do colesterol bom;
  • Promove a saúde intestinal.

Vitaminas e minerais

Assim como outras sementes, o feijão-de-lima se destaca pelo alto teor de vitaminas do complexo B, principalmente tiamina e vitamina B6, que cobrem 20% da necessidade.

O British Journal of Nutrition destaca ainda que entre os minerais do feijão, o manganês é encontrado com quase 100% do valor diário recomendado.

Benefícios potenciais do feijão-de-lima

Além das vantagens nutricionais do feijão-lima, ele também é reconhecido pelos benefícios que traz à saúde do consumidor.

Pode melhorar a saúde do coração

Vários pesquisadores concluíram que a fibra solúvel presente em alimentos como as leguminosas tem a capacidade de formar géis que reduzem o LDL ou colesterol “ruim”, diminuindo a pressão arterial e os níveis de inflamação. Todos esses fatores melhoram a função cardiovascular.

O World Journal of Cardiology relatou que o feijão-de-lima contém antioxidantes suficientes para proteger o coração contra o estresse oxidativo e a inflamação, ajudando a mantê-lo mais saudável e forte.

Ajuda a manter o peso

O Journal of Nutrition and Metabolism destaca que a alta proporção de fibra no feijão-de-lima proporciona saciedade, pois retarda o esvaziamento do estômago e promove a perda de peso.

O feijão-de-lima também ajuda na perda de peso devido ao seu teor de proteína. Estudos concluíram que uma ingestão ideal de proteínas aumenta a sensação de saciedade, diminui os desejos entre as refeições e mantém o controle do apetite.

Pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue

Outro dos grandes benefícios do feijão-de-lima, segundo a revista Nutrients, é ter um baixo índice glicêmico, ou seja, quando ingeridos, aumentam muito pouco o açúcar no sangue.

A ciência também descreveu que a fibra desempenha um papel importante no controle glicêmico, pois retarda a absorção de açúcar no intestino.

Uma revisão concluiu que o feijão-de-lima pode ajudar a diminuir o açúcar no sangue em jejum e até mesmo controlar a glicemia no diabetes tipo 2.

Outro estudo também relatou que comer leguminosas diariamente está associado a um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Contraindicações do feijão-de-lima ou feijão-manteiga

Os cientistas descobriram que é possível que, embora a alergia ao feijão não seja comum na população, algumas pessoas com alergia a outras leguminosas possam ser sensíveis a ela. É por isso que é recomendado falar com o médico antes de ingerir feijão-de-lima, em caso de sensibilidade a outras leguminosas.

As leguminosas são caracterizadas pela presença de antinutrientes que, quando consumidos em quantidades significativas, podem interferir na absorção de determinados nutrientes. No entanto, o Dr. Adeparusi mostrou que cozinhar e assar feijão sob pressão por 20 minutos reduz alguns antinutrientes.

Em geral, no entanto, uma maneira prática de se livrar dos antinutrientes é simplesmente mergulhá-los e cozinhá-los até amolecerem.

Como prepará-los

A primeira coisa a fazer é abrir a vagem de cada feijão para retirar cada uma das sementes. Lave os grãos em uma peneira e depois cozinhe-os. Se os grãos estiverem frescos, adicione-os à água fervente com sal. Cozinhe até amolecer, cerca de uma hora.

Alguns segredos caseiros ajudam a reduzir o tempo de cozimento do feijão. Alguns deles são:

  • Quando os feijões-de-lima ainda não estão tão frescos, é aconselhável mergulhá-los e levá-los ao lume durante 2 minutos.
  • Em seguida, é mantido com bastante água por 2 horas. Eles são mantidos refrigerados por 5 a 6 horas antes de enxaguar e ferver por 45 minutos.
  • Elimine a espuma que se forma na superfície
  • Sal e temperos devem ser adicionados no final do cozimento, pois isso aumentará o tempo de amaciamento do feijão.

O sabor amanteigado do feijão-de-lima o torna um excelente companheiro para aves, carnes, peixes e grãos. Eles são tão versáteis na cozinha que você pode adicioná-los a sopas, saladas, recheios para tacos, como proteína para sanduíches, molhos ou purê. Eles podem ser um substituto perfeito para qualquer outra leguminosa.

Receita de feijão-de-lima ou feijão-manteiga

O feijão-de-lima pode ser usado em diversas preparações, pois sua textura cremosa e sabor suave dão um toque gourmet a qualquer receita.

Sopa Saudável de Batata, Alho-poró e Feijão Lima

Ingredientes:

  • 1 lata de 425 gramas de feijão sem sal.
  • 1 colher de chá de azeite de oliva.
  • 1 alho-poró (lavado e em juliana)
  • 4 xícaras de batata cortada em cubos e descascada
  • 3 xícaras de caldo de legumes ou caldo de galinha com baixo teor de sódio.
  • Bacon cozido e desfiado ( opcional).
  • 3 dentes de alho, picados
  • 1/2 colher de chá de pimenta preta
  • cebolinha picada
  • Iogurte grego com baixo teor de gordura.

Modo de preparo:

  1. Em uma panela de fundo grosso, aqueça o óleo em fogo baixo.
  2. Adicione a parte branca do alho-poró em juliana e o alho esmagado à panela, até amolecer
  3. Em seguida, adicione as batatas e caldo. Cozinhe em fogo baixo, tampando a panela, até as batatas amolecerem. Calcular um tempo de cerca de 20 minutos.
  4. Quando cada ingrediente estiver macio, retire do fogo, deixe esfriar um pouco e misture.
  5. Aos poucos, adicione o feijão-de-lima e pimenta a gosto.
  6. Sirva em uma tigela e decore com uma colher de sopa de iogurte, 1 colher de chá de cebolinha e outra de bacon esfarelado ou desfiado, se preferir.

O feijão-de-lima representa um tipo de leguminosa que combina muito bem com uma ampla variedade de pratos.

Em qualquer caso, é um alimento com benefícios nutricionais que contribuem para o bem-estar. Por esta razão, vale a pena integrá-los à dieta regularmente.


  • North Carolina Department of Agriculture and Consumer Services Food and Drug Protection Division. Frijol de Lima (Butter beans). Disponible en: http://www.ncagr.gov/FOODDRUG/espanol/documents/FrijoldeLima.pdf
  • U.S. Departament of Agriculture. USDA. Disponible en: https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/169135/nutrients
  • Organización de las Naciones Unidas para la Alimentación y la Agricultura (FAO).  Las Legumbres. Disponible en: http://www.fao.org/3/i5528s/i5528s.pdf
  • Claudia Constanza Cabezas-Zábala1 • Blanca Cecilia Hernández-Torres2 • Melier Vargas-Zárate. Aceites y grasas: efectos en la salud y regulación mundial. Rev. Fac. Med. 2016 Vol. 64 No. 4: 761-8. DOI: http://dx.doi.org/10.15446/revfacmed.v64n4.53684
  • Excmo. Sr. D. JULIO BOZA LÓPEZ Academia de Ciencias Veterinarias de Andalucía Oriental. VALOR NUTRITIVO DE LAS LEGUMINOSAS GRANO EN LA ALIMENTACIÓN HUMANA Y ANIMAL. Disponible en: https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/7425810.pdf
  • Trinidad, T., Mallillin, A., Loyola, A., Sagum, R., & Encabo, R. (2010). The potential health benefits of legumes as a good source of dietary fibre. British Journal of Nutrition, 103(4), 569-574. doi:10.1017/S0007114509992157
  • Almeida-Alvarado Sonia Lorena, Aguilar-López Tania, Hervert-Hernández Deisy. La fibra y sus beneficios a la salud. An Venez Nutr  [Internet]. 2014  Jun [citado  2021  Sep  30] ;  27( 1 ): 73-76. Disponible en: http://ve.scielo.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0798-07522014000100011&lng=es.
  • Surampudi P, Enkhmaa B, Anuurad E, Berglund L. Lipid Lowering with Soluble Dietary Fiber. Curr Atheroscler Rep. 2016 Dec;18(12):75. doi: 10.1007/s11883-016-0624-z. PMID: 27807734.
  • Mangge H, Becker K, Fuchs D, Gostner JM. Antioxidants, inflammation and cardiovascular disease. World J Cardiol. 2014;6(6):462-477. doi:10.4330/wjc.v6.i6.462
  • Hervik AK, Svihus B. The Role of Fiber in Energy Balance. J Nutr Metab. 2019;2019:4983657. Published 2019 Jan 21. doi:10.1155/2019/4983657
  • Leidy HJ. Increased dietary protein as a dietary strategy to prevent and/or treat obesity. Mo Med. 2014;111(1):54-58.
  • Vega-López S, Venn BJ, Slavin JL. Relevance of the Glycemic Index and Glycemic Load for Body Weight, Diabetes, and Cardiovascular Disease. Nutrients. 2018;10(10):1361. Published 2018 Sep 22. doi:10.3390/nu10101361
  • Akbar A, Shreenath AP. High Fiber Diet. [Updated 2021 May 9]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK559033/
  • Bielefeld D, Grafenauer S, Rangan A. The Effects of Legume Consumption on Markers of Glycaemic Control in Individuals with and without Diabetes Mellitus: A Systematic Literature Review of Randomised Controlled Trials. Nutrients. 2020;12(7):2123. Published 2020 Jul 17. doi:10.3390/nu12072123
  • Becerra-Tomás N, Díaz-López A, Rosique-Esteban N, Ros E, Buil-Cosiales P, Corella D, Estruch R, Fitó M, Serra-Majem L, Arós F, Lamuela-Raventós RM, Fiol M, Santos-Lozano JM, Díez-Espino J, Portoles O, Salas-Salvadó J; PREDIMED Study Investigators. Legume consumption is inversely associated with type 2 diabetes incidence in adults: A prospective assessment from the PREDIMED study. Clin Nutr. 2018 Jun;37(3):906-913. doi: 10.1016/j.clnu.2017.03.015. Epub 2017 Mar 24. PMID: 28392166.
  • Verma, A.K., Kumar, S., Das, M. et al. A Comprehensive Review of Legume Allergy. Clinic Rev Allerg Immunol 45, 30–46 (2013). https://doi.org/10.1007/s12016-012-8310-6