3 erros que nos levam a comer mal

17 de março de 2020
A indústria nos faz pensar que algumas opções de alimentos são mais saudáveis do que as suas versões originais. No entanto, esse nem sempre é o caso e pode nos levar a cometer erros na alimentação.

Muitas vezes cometemos certos erros na dieta que nos levam a comer mal. Na maioria das vezes, isso ocorre devido à ignorância ou à influência do marketing, que vende um produto que não é tão saudável quanto anuncia.

Considerando o exposto, é necessário estar muito atento aos rótulos para evitar a compra de produtos de qualidade inferior à esperada. A seguir, compartilharemos os erros mais comuns no momento de comprar alimentos.

Erros que nos levam a comer mal

As escolhas alimentares são decisivas para a nossa saúde e peso corporal. No entanto, com tantos equívocos se espalhando entre a população, é comum cometermos erros que nos fazem comer mal. Quais são os mais comuns?

1. Bebidas vegetais em vez de leite

As bebidas vegetais são apresentadas como uma alternativa saudável para substituir o leite de vaca, especialmente em pessoas com intolerâncias. No entanto, nem tudo que reluz é ouro. A maioria dessas bebidas costuma conter uma alta quantidade de açúcar e muito pouco do ingrediente que deveria ser o principal em sua composição.

Essa ingestão de açúcar, muito maior do que a correspondente à mesma quantidade de leite de vaca, é muito agressiva para a saúde pancreática. Ela vai provocar um pico de glicose no sangue com a demanda subsequente de insulina, o que estimula o desenvolvimento de resistência e de diabetes tipo 2, mesmo nos mais jovens.

Não deixe de ler: Como mudar a dieta para controlar o diabetes tipo 2

Portanto, se não houver alergia, o leite de vaca deve ser priorizado em relação às bebidas vegetais. Existem variedades de leite enriquecido ou sem lactose para os intolerantes.

Caso você opte por uma bebida vegetal, é necessário observar o rótulo e escolher uma que não contenha açúcares adicionados em sua composição. No entanto, esses tipos de bebidas perdem boa parte do sabor em sua versão sem açúcar.

Tipos de leites vegetais
Os leites vegetais industrializados costumam conter muito açúcar e aditivos. Portanto, sua qualidade nutricional não excede a do leite de vaca.

2. Consumo de açúcar com outro nome

O açúcar se tornou o inimigo número um da saúde nos dias de hoje. No mercado, podemos encontrar substâncias com a mesma capacidade adoçante, mas com nomes diferentes. Essa situação leva ao pensamento de que estamos adquirindo uma substância diferente do açúcar e, portanto, mais saudável. Entretanto, isso nem sempre acontece.

Mel, xarope de bordo, melaço, etc., são alimentos em cuja composição se encontra basicamente o açúcar. O impacto dos mesmos na curva de glicose é muito semelhante e, portanto, sua ingestão representa um estresse pancreático significativo.

A única solução adoçante conhecida atualmente que, a priori, não tem influência na curva de glicose são os adoçantes artificiais. No entanto, não há certeza sobre seus efeitos na saúde renal e hepática a médio e longo prazo. Por esse motivo, seu consumo é recomendado com moderação.

Não perca: Como cultivar estévia em casa e aproveitar suas propriedades adoçantes

3. Doces ou produtos de confeitaria sem adição de açúcar

Esse tipo de alimento tem a vantagem de manter as características organolépticas de seus equivalentes açucarados, mas com um impacto menos negativo no organismo.

A realidade é que o açúcar não é o único inimigo presente nesse tipo de produto. Normalmente, são alimentos submetidos a altas temperaturas e com uma grande quantidade de gordura trans.

A presença desta última, juntamente com a formação de acrilamida durante o processo de cozimento, os transforma em alimentos potencialmente perigosos para a saúde. Além disso, é muito comum que contenham corantes e conservantes que podem ser prejudiciais a longo prazo.

Por esses motivos, é sempre mais interessante consumir alimentos frescos ou caseiros do que esse tipo de produto industrializado.

Pães de padaria
Produtos de panificação industrializados não são a melhor opção para nos alimentarmos. Além de conter açúcar, eles são ricos em gorduras trans, corantes e conservantes.

Em resumo, o que nos faz comer mal?

Entre os maiores erros alimentares que cometemos está a crença de que certos produtos processados ​​são menos prejudiciais à saúde, pois prometem certas vantagens nos seus rótulos.

Para manter uma boa saúde, é melhor escolher alimentos frescos e naturais em vez dos processados. Também é importante reduzir a ingestão de açúcares e de seus derivados.

Além disso, é necessário evitar frituras em óleos vegetais em altas temperaturas, limitando assim a ingestão de acrilamida. Esta substância é caracterizada por sua toxicidade e seu potencial risco cancerígeno a longo prazo.

Finalmente, é necessário enfatizar a cautela ao consumir adoçantes artificiais. Os efeitos colaterais a longo prazo dessas substâncias na saúde hepática e renal não são totalmente conhecidos. Portanto, devem ser consumidos de forma moderada.

  • Freeman CR., Zehra A., Ramírez V., Wiers CE., Volkow ND., Wang GJ., Impact of sugar on the body, brain and behavior. Front Biosci (Landmark Ed), 2018. 23: 2255-2266.
  • Hess EL., Myers EA., Swithers SE., Hedrick VE., Associations between nonnutritive sweetener intake and metabolic síndrome in adults. J Am Coll Nutr, 2018. 37 (6): 487-493.
  • Pelucchi C., Bosetti C., Galeone C., La Vecchia C., Dietary acrylamide and cáncer risk: an updated meta analysis. Int J Cancer, 2015. 136 (12): 2912-22.