A influência da dieta na qualidade do esperma

27 Outubro, 2020
A deficiência de zinco, o consumo de álcool e os açúcares simples parecem influenciar negativamente a qualidade do esperma. Descubra neste artigo como melhorar a sua dieta para aumentar a fertilidade.

A fertilidade está diretamente relacionada à dieta e ao estilo de vida. O consumo de toxinas, álcool e uma dieta inadequada podem influenciar a qualidade do esperma e, portanto, o sucesso reprodutivo.

Para evitar essa situação, recomenda-se manter hábitos alimentares saudáveis, com ênfase no consumo de peixes e vegetais. Além disso, é necessário reduzir a ingestão de ultraprocessados ​​e aumentar a atividade física.

O álcool reduz a qualidade do esperma

O álcool é uma substância que afeta negativamente o corpo. Além de induzir uma deterioração cognitiva temporária, aumenta o risco de desenvolvimento de doenças complexas a médio e longo prazo.

O consumo regular dessa substância está relacionado a um pior estado de saúde. Além disso, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Reproductive Biomedicine Online, a ingestão regular de álcool reduz o volume do esperma.

É preciso levar em consideração que, para que ocorra a fecundação, é necessário que uma quantidade mínima de espermatozoides chegue ao aparelho reprodutor feminino. Se o volume do esperma expelido é reduzido, o mesmo ocorre com o número de células disponíveis a partir da fertilização. Por esse motivo, diminuem as possibilidades de reprodução.

A dieta influencia a qualidade do esperma
O álcool reduz a quantidade de espermatozoides circulantes no sêmen, e isso diminui as chances de fertilização.

Leia também: Efeitos do álcool no organismo

Os micronutrientes afetam a motilidade dos espermatozoides

Um déficit na contribuição de micronutrientes leva ao aparecimento de patologias a médio ou longo prazo. Um exemplo típico é a anemia causada por falta de ferro. No entanto, a qualidade do esperma também é prejudicada se a ingestão desses nutrientes não for adequada.

Especificamente, a qualidade, o volume do sêmen e a mobilidade dos espermatozoides que ele contém estão diretamente ligados à ingestão alimentar de zinco. A apresentação de baixos níveis desse micronutriente afeta a produção e a qualidade do esperma e pode desencadear um problema de infertilidade. Isso é afirmado por uma pesquisa publicada no International Journal of Reproductive Biomedicine.

O açúcar prejudica a qualidade do esperma

O açúcar simples e adicionado é uma substância comum na dieta alimentar. Este ingrediente é capaz de aumentar o risco de desenvolver doenças metabólicas. Por outro lado, está associado ao desenvolvimento da obesidade quando consumido por pessoas que não são atletas.

Além disso, a ingestão de açúcar simples está relacionada à redução da qualidade do esperma. Essa situação condiciona o sucesso reprodutivo e pode provocar uma infertilidade temporária.

Felizmente, melhorar os hábitos alimentares no que se refere ao consumo dessa substância permite restaurar os valores normais do esperma. No entanto, o problema de uma dieta pobre não está apenas em uma porcentagem menor de sucesso na concepção. Pesquisas recentes associam a nutrição inadequada dos pais à saúde precária de seus descendentes.

Açúcar branco
O açúcar simples pode diminuir a qualidade do esperma e afetar a fertilidade quando consumido em excesso.

Não deixe de ler: Por que é necessário aumentar o consumo de zinco na dieta?

Cuide da sua dieta para melhorar a qualidade do esperma

Tanto o volume quanto a qualidade do esperma são afetados pelos hábitos de vida. Portanto, uma dieta rica e variada e a prática regular de exercícios físicos influenciam muito a probabilidade de engravidar.

Existem alimentos ou substâncias tóxicas que podem reduzir o volume dos espermatozoides e a sua mobilidade, o que dificulta o processo de fertilização. É o caso do álcool e do açúcar refinado.

Por outro lado, as deficiências de micronutrientes estão associadas a uma menor mobilidade e qualidade dos espermatozoides presentes no sêmen. O zinco é o mais representativo de todos eles. Alguns processos de infertilidade estão associados a baixos níveis dessa substância; portanto, a suplementação pode ser uma solução eficaz.

Uma alimentação variada, rica em vegetais e peixes, especialmente quando o casal pretende engravidar, é um dos pilares do processo. Dessa forma, as chances de sucesso aumentam. Ao mesmo tempo, você condicionará positivamente a saúde dos seus descendentes, pois a dieta dos pais parece interferir na saúde de seus filhos.

  • Ahmadi S., Bashiri R., Ghadiri Anari  A., Nadjarzadeh A., Antioxidant supplements and semen parameters: an evidence based review. Int J Reprod Biomed, 2016. 14 (12): 729-736.
  • Ricci E., Beitawi S., Cipriani S., Candiani M., et al., Semen quality and alcohol intake: a systematic review and meta analysis. Reprod Biomed Online, 2017. 34 (1): 38-47.
  • Gutiérrez, Alejandra María Gómez, Briana D. Gómez Ramírez, and Walter D. Cardona Maya. “¿ Tienen los Hábitos de Vida y de Alimentación Impacto en la Calidad Seminal?.” Revista Urología Colombiana/Colombian Urology Journal (2020).
  • Dupont, Charlotte, and Rachel Lévy. “Nutrition, environment and male fertility.” Médecine de la Reproduction 20.3 (2018): 206-214.
  • Alves, Marco G., Branca M. Silva, and Pedro F. Oliveira. “Nutritional Factors and Male Reproduction.” Encyclopedia of Reproduction (2018): 458.