Dieta pegan: o que você deve saber

15 de setembro de 2019
O sucesso dessa dieta está nos ingredientes que devem ser naturais, livres de produtos químicos e de outras transformações artificiais.

A dieta pegan é baseada no consumo de alimentos de origem vegetal. Consiste em uma combinação da dieta paleo com a dieta vegana. A dieta paleo é a que segue a comida que nossos ancestrais tinham no paleolítico.

Em que se baseia a dieta pegan?

Dieta pegan e alimentos sem glúten

A dieta pegan foi desenvolvida pelo nutricionista americano Mark Hyman. A principal ideia da dieta paleo, e que é adotada pela dieta pegan, é o fato de não consumir alimentos processados ​​de qualquer tipo.

Não se trata apenas de comer os alimentos que nossos ancestrais comiam, mas também de comer da maneira que os consumiam. É por isso que não se pode consumir alimentos refinados, frios, salsichas, etc.

Além disso, combinando a dieta vegana com a dieta paleo, apenas os alimentos de origem vegetal são consumidos, mas a regra de não poder consumir alimentos processados ​​será mantida. Por esse motivo, alimentos como tofu ou tempeh são descartados.

Quais são as chaves para a dieta pegan?

O sucesso dessa dieta está nos ingredientes, que devem ser naturais, livres de produtos químicos e outras transformações artificiais. 75% dos alimentos devem ser à base de vegetais e ervas, que devem ser naturais, de origem autêntica, ecologicamente correta e sustentável.

As gorduras saudáveis ​​são necessárias, uma vez que têm um papel fundamental na saúde do corpo. Abacate, óleo de coco, frutos secos ou azeite de oliva extra virgem são mais que bem-vindos. As gorduras saudáveis ​​fornecem, entre outros nutrientes, ácidos graxos essenciais.

Na dieta pegan, a carne deve ser de animal alimentado com pasto, o peixe deve ser selvagem e os ovos orgânicos. Leguminosas, e especialmente as lentilhas, são permitidas. A quantidade diária dos legumes deveria ser de uma xícara.

Os cereais permitidos são aqueles sem glúten como:

  •  quinoa,
  • amaranto,
  • aveia sem glúten,
  • milho,
  • arroz ou milho.

O consumo de açúcar aumenta o risco de doenças cardiovasculares, diabetes e excesso de peso, portanto, açúcares e cereais refinados são eliminados.

Além disso, a dieta pegan suprime os laticínios e os substitui, por exemplo, por bebidas vegetais, como as preparadas com soja ou aveia.

Vai começar um regime? Então leia: Dietas perigosas: conheça os sinais de advertência!

Quais são os benefícios da dieta pegan?

Este estilo de alimentação não exclui nenhum ingrediente fundamental para o organismo. Portanto, fornece, em equilíbrio, tudo o que você precisa para ter energia e funcionar bem. Suas principais propriedades são as seguintes:

Equilibra os níveis de glicose e insulina no sangue

Alimentação e níveis de glicose

Sendo uma dieta com baixa carga glicêmica, equilibra os níveis de insulina e glicose no sangue, pois contém pouca ou nenhuma farinha e carboidratos refinados.

Portanto, seguir a dieta pegan ajuda a melhorar os sintomas de diabetes, estresse, ansiedade e outras patologias associadas a distúrbios de açúcar no sangue.

Regula o colesterol

Essa ação sobre o colesterol também reduz o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, melhora a inflamação graças à contribuição do ômega 3, que pode ser obtido a partir de linho, peixe azul, algas e nozes, e a diminuição do consumo de carne.

Não deixe de ler também: Alimentação para controlar o colesterol alto

Baixa toxicidade

Este tipo de alimento promove o consumo de produtos de proximidade, ecológicos, sem agrotóxicos e de animais criados com respeito. Portanto, tudo isso pode ajudar a perda de peso e a manter o organismo saudável.

A dieta pegan é realmente saudável?

Alimentos para uma dieta saudável

A questão é se a dieta pegan realmente é saudável e pode nos ajudar a manter um peso sadio. Entretanto, o maior problema com esta dieta é que ela se torna muito rigorosa, precisamente por causa da combinação das outras duas.

Além disso, também limita o consumo de legumes, de algumas proteínas de origem vegetal e de qualquer alimento que tenha sido minimamente processado. Caso decida segui-la, é melhor fazer isso sob o controle de um nutricionista.

Conclusão

É importante lembrar que, até o momento, não foram encontradas evidências de que esse tipo de dieta tenha alguma vantagem sobre outros tipos de dietas menos rigorosas.

Apesar de seus benefícios, qualquer uma das outras duas dietas que combinam a dieta pegan, tanto a paleo quanto a vegana, são menos estritas e mais recomendadas a longo prazo.

  • TURBON, D., & PÉREZ-PÉREZ, A. (1991). Paleodieta y Paleopatología. In Arqueología. Nuevas tendencias.

  • Andreu, M. J. (2015). Nutrición y salud en la dieta vegana. Universitat Oberta de Catalunya (UOC).

  • De Biase, S. G., Francine, S., Fernandes, C., Gianini, R. J., Luiz, J., & Duarte, G. (2007). Dieta Vegetariana e Níveis de Colesterol e Triglicérides Vegetarian Diet and Cholesterol and Triglycerides levels. Arq Bras Cardiol.