Alimentação para controlar o colesterol alto

10 de dezembro de 2019
Aprender a comer melhor é um fator determinante para controlar o colesterol alto. Você conhece as chaves para uma boa dieta? Descubra uma série de recomendações.

O colesterol é essencial para muitos processos fisiológicos. No entanto, seu excesso é prejudicial. Conheça a correta alimentação para controlar o colesterol alto.

A hipercolesterolemia duplica o risco de ter um ataque cardíaco ou derrame. Diante disso, a estratégia é sempre reduzir o consumo de alimentos ricos em colesterol. No entanto, tendo em conta que 90% do colesterol no nosso sangue não provém de alimentos, mas do nosso próprio organismo, trata-se de uma ação desnecessária e, por vezes, contraproducente.

De fato, a Sociedade Espanhola de Cardiologia diz que “80% das pessoas com hipercolesterolemia de alto risco cardiovascular não controlam seus números”. Então, o que você deve comer quando tem colesterol alto? A chave é agir sobre a síntese endógena.

Como é a correta alimentação para controlar o colesterol alto

Não tire alimentos com colesterol da dieta

Sim, você leu bem. Trata-se fazer exatamente o oposto do que você pensou. Nosso corpo regula o colesterol através de mecanismos de feedback negativo, ou seja, quanto mais colesterol tiver, menos ele irá produzir. No entanto, a produção endógena só pode ser interrompida por um aumento no colesterol da dieta.

De fato, quando está baixo, é ativada uma série de processos para aumentar sua produção. No entanto, você deve ter cuidado ao escolher alimentos com colesterol, uma vez que alguns deles são prejudiciais devido à outras circunstâncias. Nesse sentido, o ovo pode ser uma boa alternativa.

Veja também: Como preparar uma bebida especial de beterraba para controlar o colesterol

Consuma alimentos ricos em ômega 3 e ômega 9

alimentação para controlar o colesterol: ômega-3

O ômega 3 e o ômega 9 inibem a produção de colesterol. Além disso, o ômega 3 também reduz a síntese das proteínas que o transportam para as artérias, e ajuda a eliminar as placas de colesterol já formadas. O ômega 9 pode ser obtido facilmente através de alimentos como o azeite.

No entanto, o ômega 3 é oxidado pelo calor e, portanto, é muito difícil obtê-lo na nossa dieta. A única maneira de garantir uma contribuição adequada é através de suplementos. Lembre-se de escolher aqueles que garantem uma absorção correta, e uma baixa presença de contaminantes.

Reduza o consumo de carboidratos de alto índice glicêmico

A insulina é capaz de ativar os mecanismos necessários para aumentar a síntese do colesterol. Por isso é essencial evitar o consumo desses alimentos que aumentam sua produção. Estes são, fundamentalmente, os chamados carboidratos de alto índice glicêmico.

Descubra ademais: O colesterol alto: por que é um perigo para a saúde e como reduzir seus níveis

Consuma alimentos que podem aumentar a proteína HDL

Abacate

O HDL é o acrônimo em inglês para “proteína de alta densidade”. Embora não seja um tipo de colesterol (há apenas um colesterol), mas um transportador do mesmo, nos exames de sangue aparece como “colesterol HDL”, e é comumente conhecido como “colesterol bom”.

Sua função é essencial para manter nossos níveis de colesterol na raia, uma vez que é responsável pelo transporte para regiões que podem usá-lo ou eliminá-lo. Portanto, incrementar o consumo de alimentos capazes de aumentar os níveis de HDL é uma medida fundamental.

Inclua probióticos na alimentação para controlar o colesterol alto

O Lactobacillus reuteri demonstrou ser eficaz no tratamento da hipercolesterolemia, aumentando a eliminação de sais biliares através do intestino. Quando isso ocorre, o organismo aumenta o uso de colesterol para a formação de novos sais e, portanto, reduz os níveis de colesterol no sangue.

Para ser eficaz, os probióticos devem conter pelo menos 10 × 6 UFC, ser de origem humana, e atingir e permanecer ativo no intestino.

Em suma, longe de evitar o colesterol na dieta, a chave é agir sobre a síntese endógena. Para isso, devemos reduzir o consumo de alimentos que o ativam, e aumentar o consumo daqueles que conseguem aumentar seu transporte para regiões capazes de usá-lo ou eliminá-lo.