Dieta do Vale do Silício: Por que é tão popular?

17 de fevereiro de 2019
Existem várias dietas que vão ajudar você a recuperar a sua aparência. Nesta ocasião você vai saber tudo o que precisa saber sobre a famosa dieta do Vale do Silício e como aplicá-la para perder peso.

Existe uma infinidade de dietas, com nomes impensados. De tantas que existem no catálogo, certamente você não sabe qual escolher. Hoje falaremos sobre a dieta do Vale do Silício.

Talvez você não tenha escutado falar dela, mas é muito famosa no lugar que lhe dá esse nome. O Vale do Silício está situado na Califórnia, Estados Unidos, e é conhecido como o centro onde todas as empresas informáticas de alta tecnologia convergem.

Porém, além de impor novas criações eletrônicas, frequentemente inovam com tendências culturais, combinações novas de roupa e estranhos cortes de cabelo. Mas isso não é tudo, agora focam seu centro da atenção nesta polêmica dieta.

No que consiste a dieta do Vale do Silício

A dieta do Vale do Silício é o novo método emagrecedor que conquistou a muitos na capital tecnológica. Se destacou como uma novidade diante do olhar clássico que os nutricionistas promovem nos planos alimentares.

Café para a dieta do Vale do Silício

Consiste em duas etapas simples: fazer jejum e beber quantidades exorbitantes de café. Sem uma dúvida, não está livre de polêmica, porque pode ser que ajude sim a eliminar os quilos excedentes. No entanto, o que acontece com os nutrientes que o organismo precisa para funcionar corretamente?

É uma pergunta válida, mas aqueles que defendem esse método justificam isso com dois argumentos muito precisos:

  1. O jejum permite regular a sensação de fome e gera saciedade. Além disso, facilita o controle da glicose presente no sangue.
  2. Através da oxidação de gordura, a cafeína produz mais energia. Por causa disso, você consegue estar ativo toda vez que bebe muito café.

Te recomendamos ler: 7 recomendações para ter um cérebro jovem

O jejum e nosso corpo

Phil Libin é o principal promotor da dieta do Vale do Silício. Ele é o antigo CEO do Evernote e ao longo de sua carreira se dedicou a desenvolver pesquisas e invenções de inteligência artificial. Sua rotina de alimentar consiste em jejuar de dois a oito dias, adicionando apenas café, chá e água.

Nos momentos em que poderia comer normalmente, o fazia em restaurantes muito seletos da cidade de São Francisco. No dia seguinte ele voltava ao jejum.

Essa tendência era conhecida como biohacking, que se traduz como “sabotar” nosso organismo. Libin explicou em várias ocasiões que esta técnica lhe ajudou a ter mais concentração, melhor humor e uma contribuição mais constante de energia.

As realizações de Libin

Durante este processo, Phil Libin perdeu um total de 40 quilos. O biohacking que implementou transpassou os benefícios da dieta e não só conquistou um melhor estado de saúde, mas melhorou seu rendimento intelectual.

Homem fazendo a dieta do Vale do Silício

Libin se introduziu com mais força em seu mercado de trabalho, tornando-se uma das peças mais competitivas. Essa sequência de sucessos fez com que a dieta do Vale do Silício se tornasse conhecida por lá como uma verdadeira revolução na alimentação.

Por que ela é tão popular?

A dieta do Vale do Silício tem muitos defensores no nicho da tecnologia. Um deles é Geoffrey Woo, cofundador da HVMN, uma das plataformas de comércio eletrônico mais conhecidas do mundo.

Considerado um guru da tecnologia, Woo diz que a biohacking oferece a clareza mental que todo CEO precisa. Como parte da sua experiência com a dieta do Vale do Silício, promoveu que seus empregados basearam sua alimentação em água pura durante sete dias consecutivos.

Desta forma, ele mediu seus níveis de glicose e cetonas no sangue. Diante da diminuição da glicose, aparecem as cetonas que sobrevivem com a gordura armazenada no corpo.

Woo defende que, embora apareçam tonturas e náuseas, as cetonas impulsionam a saúde mental. Dessa maneira, essa proposta ganhou impacto na mente dos empreendedores mais jovens.

É uma decisão boa ou ruim?

Aitor Sánchez, nutricionista e especialista em dietas, autor espanhol do livro “Mi dieta ya no cojea”, publicou um artigo para El País sobre este assunto, intitulado, “O que é a dieta do Vale do Silício? Uma novidade?” Ali expõe que a perda de peso ocorre não pelo jejum, mas sim porque a pessoa come menos.

Na dieta do Vale do Silício é proibido não comer

Portanto, não é um método novo. No entanto, é preciso estar alerta porque este regime só considera a saúde mental e esquece nossas necessidades físicas. “Esta dieta não é nem sobre a forma ideal para perder peso, tampouco a mais cômoda ou intuitiva”, disse Sánchez.

Talvez te interesse ler: Mitos e verdades sobre as massas que ajudam a perder peso

Definitivamente, a dieta do Vale do Silício é uma prática radical para perder peso. Por isso, antes que você decida se submeter a este regime, vale a pena visitar um especialista que te guie neste caminho e que te recomende um modelo de alimentação desenvolvido para seu corpo e suas necessidades.

Em conclusão, lembre-se de que cada pessoa é diferente e que todos têm as mesmas necessidades. Se você quer perder peso, é importante que conheça o seu organismo e que trabalhe com um plano sob medida para as suas características.

  • Wollard, K. K. (2012). Thinking, Fast and Slow. Development and Learning in Organizations: An International Journal. https://doi.org/10.1108/14777281211249969
  • Pattillo, G. (2019). Fast Facts. College & Research Libraries News. https://doi.org/10.5860/crln.80.3.184
  • Jones, S. C. (2007). Fast cars, fast food, and fast fixes: industry responses to current ethical dilemmas for Australian advertisers. Journal of Public Affairs. https://doi.org/10.1002/pa.256
  • Campbell, J. D. (1863). Fast. Notes and Queries. https://doi.org/10.1093/nq/s3-IV.84.110-b