Dicas para cuidar da pele de bebês e crianças no verão

A pele de bebês e crianças deve receber uma atenção especial durante o verão. Ela é mais delicada e tende a sofrer ferimentos graves se não estiver protegida do sol. O que devemos considerar? Descubra a seguir.
Dicas para cuidar da pele de bebês e crianças no verão

Última atualização: 23 Fevereiro, 2021

Cuidar da pele de bebês e crianças torna-se ainda mais importante durante o verão. Devido à sua delicadeza, os raios UV do sol podem causar várias agressões se as medidas preventivas necessárias não forem tomadas.

Como sabemos, nesta estação as crianças são mais expostas ao sol, já que muitas das atividades em que participam são ao ar livre. O que fazer para evitar as queimaduras?

Como cuidar da pele de bebês e crianças no verão?

A temporada de verão é uma das mais esperadas do ano. No entanto, devido à mudança brusca de temperatura e aos múltiplos planos ao ar livre, é aconselhável manter cuidados extremos, especialmente quando se trata de saúde da pele. Descubra abaixo algumas recomendações destinadas a proteger a pele de bebês e crianças.

Protetor solar

A partir dos 6 meses de idade, os bebês podem usar protetor solar como parte de medidas para mitigar a agressão solar. Em bebês menores, evitar a exposição direta ao sol e manter-se à sombra é a melhor medida para evitar transtornos.

O ideal é que as crianças usem creme solar cujo fator de proteção (FPS) seja igual ou superior a 50. Além disso, deve ter um amplo espectro de proteção, abrangendo UVA e UVB.

Por outro lado, é aconselhável controlar o tempo de exposição solar e o horário. O período entre 12 e 16 horas deve ser evitado, pois é quando os raios são mais prejudiciais.

Protetores para cuidados com a pele de bebês e crianças no verão estão disponíveis em várias apresentações. Alguns deles são os seguintes:

  • Géis.
  • Cremes.
  • Aerossóis.
  • Loções.
  • Pomadas.
  • Bálsamos labiais.
Criança passando protetor solar
A aplicação da proteção solar é fundamental para evitar que as crianças sejam agredidas pelo impacto dos raios UV.

Também é aconselhável verificar a data de validade do produto antes de aplicá-lo. Uma vez aberto, ele dura apenas um ano. Deve ser aplicado nas orelhas, rosto, pescoço, braços e qualquer área do corpo que não esteja coberta por roupas.

Na medida do possível, é melhor usá-lo antes da exposição solar e repetir sua aplicação a cada 2 horas. Na verdade, o produto deve ser usado mesmo em dias nublados, já que os raios UV atuam da mesma forma.

Não é recomendado o uso de loções contendo ácido p-aminobenzoico (PABA), pois causa alergias frequentes e manchas nas roupasO octitoxicinador, o protetor de raios UVB usado para crianças, não causa alergias.

Roupas de proteção solar

Durante o verão, um dos cuidados básicos para proteger a pele de bebês e crianças é vesti-los com roupas que cobrem qualquer parte do corpo que possa ser exposta. Deve-se notar que a roupa em si não bloqueia os raios UV em sua totalidade, mas pode ajudar a reduzir seus efeitos.

No entanto, existem atualmente empresas têxteis que comercializam tecidos com proteção UV. Eles geralmente têm um rótulo indicando o valor do fator de proteção UV em uma escala de 15 a 50+. Quanto maior, mais proteção ele proporciona.

Devemos nos lembrar ainda de que bebês com menos de 6 meses de idade não devem ser expostos prolongadamente ao sol, por isso a primeira opção será sempre procurar a sombra. Claro, sua proteção deve ser complementada com barreiras físicas, como roupas e chapéus.

Repelentes

Não devemos ignorar a presença de insetos nos espaços onde o verão é apreciado. No entanto, é essencial lembrar que a mistura de repelente com protetor solar não é recomendada.

A maneira correta é aplicar o protetor solar 30 minutos antes do repelente. Também é melhor evitar o uso de perfumes, cosméticos ou qualquer substância que tenha corantes, pois podem causar reações de hipersensibilidade e irritação.

Cuidar da pele de bebês e crianças no verão
A aplicação do repelente previne picadas de mosquitos e outros insetos que geralmente estão em espaços ao ar livre durante o verão.

Chapéus

Os chapéus são bons complementos para mitigar os efeitos negativos da exposição solar. De acordo com um artigo publicado no The British Journal of Dermatologyaqueles com abas largas são os mais apropriados. Protegem as orelhas, olhos, nariz, testa e couro cabeludo.

Essas áreas são suscetíveis a danos causados pela radiação solar, embora às vezes sejam negligenciadas. Assim, seu uso ajuda a cobrir mais áreas do corpo e, juntamente com as demais medidas, diminui o risco de uma possível insolação.

Banhos e higiene

A higiene é essencial para manter a barreira cutânea saudável. Os banhos não devem ser longos, nem com água morna, para não causar desidratação da pele ou piorar algum eczema e dermatite atópica, condições comuns nos primeiros anos de vida.

Um estudo publicado em 2016 no Journal of Pediatrics recomenda géis e xampus syndet (sem detergentes) para evitar irritação. Após cada banho, deve-se aplicar uma loção ou hidratante. É neste momento que a pele absorve mais o produto.

No verão, é essencial enxaguar a pele das crianças depois de frequentar a praia ou a piscina, para evitar que cloro e o sal a ressequem. Além disso, é aconselhável secá-los com uma toalha limpa, especialmente nas dobras dos braços e joelhos, onde a umidade é retida, o que pode levar ao eritema.

Cuidar da pele de bebês e crianças no verão é fundamental

A exposição ao sol durante o verão é um tema muito sério, especialmente quando se trata de bebês e crianças. É, portanto, aconselhável garantir a máxima proteção, pois há um alto risco de queimaduras e complicações associadas. Além disso, no futuro, as agressões solares aumentam o risco de melanoma.

Pode interessar a você...
Grávida no verão: os efeitos do calor na gestação
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Grávida no verão: os efeitos do calor na gestação

Estar grávida no verão traz algumas inseguranças e dúvidas relacionadas às mudanças de temperatura e suas consequências. Saiba mais aqui!



  • Julian E, Palestro AM, Thomas JA. Pediatric Sunscreen and Sun Safety Guidelines. Clin Pediatr (Phila). 2015;54(12):1133-1140. doi:10.1177/0009922815591889
  • Adam J. Sun-protective clothing. J Cutan Med Surg. 1998;3(1):50-53. doi:10.1177/120347549800300115
  • Volkmer B, Greinert R. UV and children’s skin. Prog Biophys Mol Biol. 2011
  • Paller AS, Hawk JL, Honig P, et al. New insights about infant and toddler skin: implications for sun protection. Pediatrics. 2011;128(1):92-102. doi:10.1542/peds.2010-1079
  • Mendes BR, Shimabukuro DM, Uber M, Abagge KT. Critical assessment of the pH of children’s soap. J Pediatr (Rio J). 2016
  • Kiely AD, Hourihane J. Sun exposure and sun protection practices of children and their parents. Ir Med J. 2009;102(5):139-143.
  • Thoonen K, Schneider F, Candel M, de Vries H, van Osch L. Childhood sun safety at different ages: relations between parental sun protection behavior towards their child and children’s own sun protection behavior. BMC Public Health. 2019;19(1):1044. Published 2019 Aug 5. doi:10.1186/s12889-019-7382-0
  • Phillips D, Adams G. Child care and our youngest children. Future Child. 2001;11(1):34-51.