Como curar a ferida da rejeição

Você não sabe como administrar uma rejeição amorosa? Aqui estão 7 coisas que você pode fazer para se recuperar de um amor não correspondido.
Como curar a ferida da rejeição

Última atualização: 16 Novembro, 2021

A rejeição é algo com que todos nós temos que lidar em algum momento de nossas vidas. O amor nem sempre será correspondido e, sejamos honestos, quase todo relacionamento tem um ponto final. Se você está passando por uma situação desse tipo, preparamos algumas dicas para curar a ferida da rejeição que serão de grande ajuda.

Superar uma rejeição amorosa exige tempo e comprometimento. É normal que você tenha muitos sentimentos negativos agora e entender isso faz parte do processo. Prometemos que se você refletir sobre nossos passos para curar a ferida da rejeição, poderá se recuperar e olhar para o que o espera no futuro.

7 passos para curar a ferida da rejeição

Um artigo publicado na revista Dialogues in Clinical Neuroscience em 2015 examinou as emoções que ocorrem após a rejeição. Ele descobriu que as pessoas desenvolvem sentimentos de ciúme, solidão, saudades, culpa, vergonha, ansiedade social, tristeza e raiva.

Outra pesquisa publicada na Science em 2003 estimou que a dor causada pela rejeição é semelhante à dor física se considerarmos a resposta que o cérebro produz diante dela. Com tudo isso, queremos dizer que o que você sente hoje é perfeitamente natural.

Para as reflexões que faremos sobre como curar a ferida da rejeição, levamos em consideração um contexto de amor. No entanto, elas também podem ser usadas para uma rejeição de emprego, rejeição de uma amizade ou qualquer outra situação.

1. Aceite

Curar a ferida da rejeição começa com a aceitação
Embora possa ser triste, pensar e aceitar que a rejeição é real é o primeiro passo para a cura.

Sim, o primeiro passo para curar a ferida da rejeição é aceitá-la. Isso é muito mais fácil de escrever do que fazer, pois é um processo bastante complexo. No entanto, você nunca será capaz de sair do atoleiro se não aceitar que foi rejeitado.

Entre outras coisas, isso acontece respeitando a decisão da outra pessoa. Você tem que estar ciente de que o ser humano é livre para aceitar ou rejeitar as propostas dos outros, de modo que você não pode fazer nada para forçá-los a escolher o que você quiser. Aceitar a rejeição é aceitar esse princípio, o que obviamente implica um exercício de humildade.

Significa também recuar, começar a dar os primeiros passos para fechar o ciclo, sabendo que suas ambições atuais não se materializarão, e evitar culpar a pessoa. Aceitar que você foi rejeitado implica perceber a realidade que você tem diante de si.

Se você acredita que essa realidade não existe, ou que pode fazer algo para alterá-la à sua maneira, você cairá cada vez mais fundo no buraco. Como veremos em breve, isso não significa esconder seus sentimentos ou fingir que não doeu. Pelo contrário, implica assimilar que alguém expressou que o amor que você sente não é correspondido.

2. Abrace seus sentimentos

Como explicamos no início, o coquetel de sentimentos que você sente agora é completamente normal. Você desenvolverá um ou outro com maior intensidade de acordo com muitas variáveis.

A dor é a mais característica, seguida por tristeza e raiva. A última coisa que você deve fazer é reprimir essas emoções, pois fazê-las não existir não significa eliminá-las. Pelo contrário, o que você faz é escondê-las para que, mais cedo ou mais tarde, elas brotem de você. Farão isso como frustrações e insatisfações com muito mais intensidade e repercussão.

É claro que aceitar as suas emoções não significa que elas o controlem. Sim, chore quando tiver que chorar e fique triste quando essa emoção te invadir, mas também aprenda a gerenciá-las. Caso contrário, todo o seu dia será condicionado por elas e você não encontrará um espaço para as outras, como a alegria e a esperança.

3. Obtenha um aprendizado

Como outras experiências de vida, curar a ferida da rejeição é um processo de aprendizado. Claro, você não precisa fazer isso nos primeiros dias, mas depois de algumas semanas, você tem que avaliar objetivamente quais lições você pode tirar da situação.

Por exemplo, pode ser que a estratégia que você usou durante o flerte não estivesse correta, que você tenha sido muito direto ou que suas expectativas fossem muito altas. Seja como for, faça um exercício de reflexão para descobrir quais erros você cometeu e como pode melhorar no futuro.

Claro, você pode não encontrar nada para mudar. Como já apontamos, o livre arbítrio é algo que você deve respeitar, já que o fato de você amar alguém não significa que seu amor seja correspondido. Este é um ótimo aprendizado, que irá servi-lo bem para as suas próximas experiências amorosas.

4. Busque o apoio dos seus amigos

Conversar com os amigos
As pessoas queridas estão lá para dar suporte nos momentos mais difíceis da vida, inclusive em situações de rejeição.

Seus amigos e familiares podem ser de grande ajuda neste processo, portanto, nunca os deixe de lado. É muito comum que queiramos enfrentar esta experiência sozinhos e até que nos isolemos dos outros. Entenda que seus amigos e familiares estão aqui para apoiá-lo em momentos como este.

Eles não só podem lhe oferecer um ombro amigo, mas também podem ajudá-lo a colocar as coisas em perspectiva e dar-lhe conselhos úteis. Além disso, eles podem servir como uma distração para que você não pense na rejeição repetidamente. Portanto, não hesite em fazer atividades com eles para que comece a se recuperar e curar a ferida da rejeição.

5. Lembre-se de quem você é e do que é capaz de fazer

Como os pesquisadores indicam, a baixa autoestima é uma das respostas clássicas à rejeição. Mesmo quando você é uma pessoa com uma autoconfiança sólida, é inevitável que esta sofra um pouco depois de um episódio desse tipo.

Portanto, para curar a ferida da rejeição, você deve se lembrar de quem você é e do que é capaz de fazer. Não deixe que essa experiência se traduza em uma opinião ruim a seu respeito, que possa atrapalhar seus próximos casos de amor. Existem muitas maneiras de recuperar a sua autoestima, e aqui estão algumas idéias.

6. Siga em frente

Com isso, queremos dizer não dar um passo para trás e se isolar de tudo ao seu redor. A vida continua, e sempre continuará, independentemente de qualquer rejeição. Manter o compromisso com o trabalho, interagir com sua família, amigos e colegas, dedicar tempo aos seus hábitos, praticar esportes e criar espaços de distração são apenas algumas maneiras de seguir em frente.

Certamente pode ser um pouco difícil nos primeiros dias, pois você sempre se lembrará de que foi rejeitado. Continuar com a sua vida permitirá que você reduza os momentos em que está com a mente em branco e também o lembrará de que há muitas coisas nela que você valoriza.

7. Não deixe isso condicionar suas próximas experiências

Por último, uma das maneiras de se recuperar de uma rejeição amorosa é não permitir que ela condicione as suas experiências futuras. Com isso, não queremos encorajá-lo imediatamente a começar a namorar outra pessoa, mas não se feche completamente para essa ideia depois de se sentir pronto.

Como já explicamos, curar a ferida da rejeição é algo muito complexo, um processo que cada pessoa vivencia de maneira diferente. Há aqueles que se recuperam em um ou dois dias, e há outros que demoram meses. Essas dicas irão apoiá-lo para que você possa se recuperar e encorajá-lo a viver sua vida sem virar as costas para novas experiências de amor por medo de decepções.

Pode interessar a você...
6 passos para superar uma rejeição amorosa
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 passos para superar uma rejeição amorosa

Talvez você tenha tido a sorte de não viver uma rejeição amorosa, mas é algo muito mais comum do que imaginamos. Veja alguns passos para superar a ...



  • Eisenberger NI, Lieberman MD, Williams KD. Does rejection hurt? An FMRI study of social exclusion. 2003 Oct 10;302(5643):290-2.
  • Ford MB, Collins NL. Self-esteem moderates neuroendocrine and psychological responses to interpersonal rejection. J Pers Soc Psychol. 2010 Mar;98(3):405-19.
  • Leary MR. Emotional responses to interpersonal rejection. Dialogues Clin Neurosci. 2015 Dec;17(4):435-41.