Como recuperar a autoestima após uma separação

A autoestima pode ser muito afetada após uma separação. Por esse motivo, é importante saber como lidar e o que fazer para superar a situação. Neste artigo, falaremos mais sobre o assunto.
Como recuperar a autoestima após uma separação

Última atualização: 09 Março, 2020

Terminar um relacionamento pode ser doloroso, por isso, queremos apresentar algumas dicas que podem ajudá-lo a recuperar a autoestima após uma separação.

Se o relacionamento tiver sido longo ou tóxico, ou se não foi um término de acordo mútuo, é provável que a sua autoestima tenha sido afetada e seja necessário um tempo considerável de “luto” para se recuperar.

Recuperar a autoestima após uma separação

Antes de tudo, é preciso entender o que é autoestima, pois é uma palavra que costumamos ouvir com frequência. Os dicionários de psicologia geralmente definem a autoestima como a avaliação que fazemos de nós mesmos.

Ou seja, ela abrange todas as percepções, sentimentos, pensamentos e avaliações a que nos submetemos constantemente. Alguns estudos indicam que:

“Autoestima é uma autoavaliação. Essa percepção e avaliação podem ser positivas ou negativas e agradáveis ​​ou desagradáveis.”

Se não mantivermos uma boa autoestima, dificilmente conseguiremos viver em equilíbrio emocional, pois o primeiro passo para conseguir isso é aceitar a nós mesmos.

Amar a si mesma
A autoestima é a avaliação que fazemos de nós mesmos. Abrange os pensamentos e avaliações a que nos submetemos constantemente.

Como saber se uma separação amorosa afetou a nossa autoestima?

Quando os relacionamentos terminam, pode haver uma situação de sofrimento emocional. Mas isso não precisa significar o fim de mais nada em nossas vidas. No entanto, também é válido reconhecer se o que está sendo vivido neste momento é apenas uma crise ou uma separação definitiva.

Neste último caso, devemos entender que todo o amor de que precisamos está em nós, mas geralmente o procuramos do lado de fora, e esse é um dos grandes erros que cometemos após uma separação.

A Dra. Jill Weber indica que é normal sentir confusão, tristeza ou raiva ao terminar um relacionamento. No entanto, quando os relacionamentos terminam, não é necessário se castigar ou sentir culpa. Todos nós já vivemos esse tipo de circunstância, mas não são elas que nos definem.

Pelo contrário, a vida sempre continua e devemos aprender e continuar o nosso caminho de evolução. Se você acha que alguns dos itens a seguir o definem um pouco, então essa separação está afetando a sua vida e chegou o momento de fazer algumas mudanças.

Indicadores de baixa autoestima

  • Você sente que a vida perdeu o sentido porque a outra pessoa foi embora.
  • Você se sente feio quando se olha no espelho e até pensa que ninguém mais se apaixonará por você.
  • Você acha que a pessoa que foi embora era perfeita e a única no planeta para você.
  • Você considera a pessoa que foi embora como referência para estabelecer comparações com o restante das pessoas que conhece.
  • Você não cuida mais da sua aparência.
  • Você não sente entusiasmo por nada. Você perdeu a motivação e não está mais interessado nas atividades que amava realizar antes.
  • Você sente que a dor não permite que você tenha pensamentos claros.
  • Você se sente culpado por muitas ações e pensa que, se tivesse agido de maneira diferente em determinadas situações, talvez aquela pessoa ainda estivesse ao seu lado.

Se você se identifica com alguns desses pontos, é preciso entender que a solidão também pode ser apreciada; é aí que nos encontramos e que surge o verdadeiro amor.

Passos para recuperar a autoestima após uma separação

Casal se separando
A separação do casal pode deixar algumas sequelas na autoestima. É importante saber como enfrentar a situação para que ela não se torne um obstáculo.

Não existe uma fórmula mágica para se recuperar de uma separação amorosa; isso leva tempo. No entanto, os resultados são incríveis, e o amor que você vai sentir por si mesmo após essa experiência será muito maior. Para começar, você deve seguir estas recomendações:

  • Liberte-se e viva todos os estágios do luto após a separação, sem tentar se reprimir. É preferível conversar sobre o que você sente com alguém em quem confia em vez de ficar calado.
  • Não recorra à evasão, apenas viva-a, porque esta é a melhor maneira de transformar feridas em portas de luz para renascer. Após este processo, você será o único protagonista da sua vida.
  • Depois de viver esse momento, você entenderá que a sua vida não depende dessa pessoa, nem deve girar em torno dela. São duas pessoas, dois mundos diferentes e cada um pode aproveitar ao máximo a sua vida explorando todo o seu potencial.
  • Estabeleça uma nova rotina e rompa com os velhos hábitos que você tinha com aquela pessoa.
  • Inicie a busca a partir de dentro. A felicidade está em você e não na vida de outra pessoa. Alimentar o amor por si mesmo é um passo crucial para ver todo o seu valor e entender por que você não merece estar em lugares com pessoas tóxicas.
  • Evite o desgaste de falar sobre essa pessoa e sobre o que aconteceu o tempo todo. Não tem problema desabafar, mas é preciso voltar a sua atenção para si mesmo e ser o seu centro novamente.
  • Cuide-se, ame-se e dê atenção à sua aparência. Olhe no espelho e veja como você é bonito. Faça isso através dos seus olhos, e não através dos olhos de outra pessoa.
  • Cuide da sua saúde física e mental. Procure ajuda com um psicólogo, caso queira acompanhamento, e volte a realizar todas as atividades que você amava antes.
  • Cerque-se de coisas positivas, esqueça as canções melosas ou tristes neste momento da sua vida, e atraia apenas alegria.

Se você se amar e se valorizar, perceberá que existem facetas que nem conhecia, coisas que nem imaginava fazer, mas que agora, depois de recuperar a sua autoestima, você pode alcançar.

Pode interessar a você...
Hábitos de amor próprio que toda mulher deve adotar
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Hábitos de amor próprio que toda mulher deve adotar

Durante muitos séculos, as mulheres vem conquistando um papel mais igualitário na sociedade. Para isso, os hábitos de amor próprio seriam um começo...



  • González Arratia, N., Valdez Medina, J., & Serrano García, J. (2003). Autoestima en jóvenes universitarios. CIENCIA Ergo-Sum.
  • Quispe Rojas, V. (2017). La autoestima. Universidad César Vallejo.
  • Vazquez, A., Jimenez, R., & Vasquez-Morejon, R. (2004). Escala de autoestima de Rosenberg. Apuntes de Psicologia.
  • VV.AA. (2018).A Study on the Self Esteem and Academic Performance Among the Students. https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3121006