Cirurgia estética genital: labioplastia ou ninfoplastia

30 de dezembro de 2019
A cirurgia estética genital é cada vez mais difundida. Em que casos é realizada e quais são os resultados? Nós nos aprofundamos neste assunto com a matrona Sara Cañamero.

A cirurgia estética área genital é mais frequente do que se pensa, e não apenas isso, mas é uma prática em ascensão. Qual o motivo, e em que consiste esta intervenção?

Falamos da cirurgia ou do retoque cosmético dos pequenos lábios, quando estes se projetam excessivamente além dos grandes lábios. E, embora seja chamada de cirurgia estética, a maioria das mulheres que opta por essa intervenção não o faz para tornar sua vulva mais bonita (o que também pode ser visto), mas por questões funcionais.

Vamos ver com mais profundidade quais costumam ser as principais causas desta intervenção, que variam de fatores estéticos e funcionais a fatores higiênicos:

Causas da cirurgia estética genital

exercícios para pós-cirurgia

  • Dificuldade ao inserir tampões ou copos menstruais.
  • Desconforto nas relações sexuais, já que podem impedir ou atrapalhar a penetração durante a relação sexual/coito.
  • Alterações da autoestima ao realizar certas práticas sexuais. Muitas mulheres com hipertrofia relatam não praticar, por exemplo, cunni-lingus, pois não se sentem confortáveis ​​com seus órgãos genitais em curtas distâncias.
  • Dificuldade na higiene, com acúmulo de fluidos vaginais, urina …

Leia também: Você sabia que o estresse pode ser a causa do atraso no ciclo menstrual?

  • Vergonha por ter uma vulva diferente (isso é algo para o qual muitos grupos estão trabalhando, pela visibilidade de variabilidade na morfologia e anatomia de cada vulva).

Em que consiste a cirurgia estética genital?

É uma cirurgia ambulatorial que não requer internação; de fato, geralmente é feita com anestesia local ou sedação. O mais comum é que seja feita a laser ou eletrocirurgia.

Você pode estar interessado em ler também: Sedação consciente com analgesia e sedação processual

Nela, o cirurgião recortará a parte proeminente, buscando acima de tudo retornar a sua funcionalidade, mas sem remover a sensibilidade.

Quanto ao período pós-operatório, é um tanto longo (cerca de 4 semanas), já que se trata de uma ferida sujeita à umidade e fricção constante. No entanto, com os cuidados padrão de higiene, cuidados da ferida e da roupa íntima adequada e de algodão, a mulher pode incorporar-se à sua vida normal entre 2-4 dias da intervenção.Problemas na região genital

E após a intervenção, quais são os resultados?

Toda mulher é única, bem como seus órgãos genitais. É verdade que uma hipertrofia dos grandes lábios não é uma patologia, e que sua causa na maioria dos casos é desconhecida (embora pareça que idade e fatores hormonais possam estar envolvidos), mas também é verdade que as mulheres que foram submetidas a essas intervenções relatam uma satisfação geral com a cirurgia. O que melhora consideravelmente a sua autoestima.

Em primeiro lugar, porque melhora sua vida sexual, não porque a intervenção tenha esse objetivo, mas porque, em um nível psicológico, essas mulheres passam a não querer nem olhar, tão pouco a sentir-se à vontade com seus órgãos genitais. E, é claro, se a causa for funcional, as mulheres operadas terão melhor qualidade de vida, pois podem ser evitadas irritações, fricções, ou feridas na área mais íntima.