Higiene íntima: como fazê-la corretamente

21 de janeiro de 2019
Ter hábitos adequados de higiene íntima é essencial para evitar infecções, assim como outros problemas como irritação ou maus odores.

Sua higiene íntima é muito importante, pois disso depende de você gozar de boa saúde, principalmente em relação aos seus hormônios e região genital. Ter uma higiene íntima adequada irá manter você longe de infecções e doenças próprias das mulheres.

Ir aos extremos nunca é bom. Você não pode negligenciar sua higiene, mas também não deve ser obcecada por ela, porque em ambos os casos isso pode ser negativo para sua área íntima. Vamos dizer-lhe o que fazer e o que não fazer nas suas rotinas de higiene pessoal, e na vida diária para evitar doenças ou infecções.

Use o sabonete certo

Evite usar calças muito apertadas se quiser manter a higiene íntima

Para limpar sua área íntima é recomendado usar um sabonete sem parabenos e com pH neutro. Isso ocorre porque os sabonetes muito fortes afetam a acidez da pele e podem causar infecções. Você pode usar sabão comum ou comercial no resto do corpo, mas evite usá-lo em sua área íntima.

Atualmente, no mercado existem sabonetes especiais para a higiene íntima feminina, opte por usar um deles. Este são mais agradáveis ​​com a pele e, além disso, são ideais para eliminar o mau cheiro.

Lavar-se uma vez é o suficiente

Lavar sua área íntima uma vez por dia é suficiente para mantê-la limpa e livre de bactérias. Não se esqueça que a limpeza excessiva também pode alterar o pH da área, tornando-a mais vulnerável à bactérias e fungos.

Caso você seja sexualmente ativa, recomenda-se lavar a área íntima antes e depois do ato sexual. Durante a atividade sexual você pode facilmente contrair bactérias, por isso você deve limpar-se o quanto antes possível para evitar infecções urinárias, como a cistite.

Descubra:  5 hábitos de higiene íntima que não são tão bons quanto pensávamos

Evite usar roupas apertadas

Roupas muito apertadas na área íntima podem causar irritação. A constante fricção das roupas com a sua vulva não só fará com que você se sinta desconfortável, mas também aumentará a transpiração na área, e bactérias e mau cheiro serão produzidos. Isso acontece principalmente com jeans muito apertados.

Quando a roupa está apertada e fica constantemente roçando contra a pele, produz queimaduras ou ferimentos leves, e isso pode causar infecções. Normalmente, a vulva tem muitas bactérias, mas, com a área em constante umidade e com fricção contínua, o risco de infecções aumenta.

Evite as duchas vaginais

A aplicação de ducha vaginal é frequentemente contraindicada para a saúde da mulher. Apenas a aplicação esporádica deste produto sob prescrição é recomendada.

Duchas vaginais alteram a flora vaginal e aumentam o risco de infecções, por isso você deve evitá-las. Sua área íntima é muito delicada, e tem um nível de pH específico. Qualquer produto que você aplique nela pode alterá-lo.  

Limpe-se na direção certa

Quando você vai ao banheiro, costuma limpar-se de trás para frente ou de frente para trás? Limpe de frente para trás porque, caso contrário, você vai arrastar as bactérias do ânus para o seu trato urinário.

Isso pode causar infecções, como a cistite, causada principalmente por bactérias E. coli, alojadas no trato gastrointestinal. Se esta infecção tiver complicações, pode alojar-se até nos rins. Por isso é importante evitá-la, através de uma boa higiene íntima.

Seja mais cuidadoso com sua higiene íntima durante a menstruação

Embora pareça um pouco óbvio, você deve ter mais cuidado com sua higiene íntima no período menstrual. Não só por causa do mau cheiro que geralmente acompanha a menstruação, mas porque o nível de acidez na área diminui, e este é um cenário ideal para as infecções.

Como dissemos antes, não é necessário lavar a área íntima muitas vezes ao dia. O essencial é trocar seus absorventes ou tampões à cada 4 ou 6 horas.

Não limpe a sua área íntima com esponjas

Evite esfregar sua vulva com esponjas. Estes implementos são acumuladores de bactérias, por isso você deve evitar a todo custo. Além disso, a pele da área íntima é muito sensível. Se você esfregar com muita força poderá irritá-la, e isso mais tarde pode causar infecções.

É recomendável que você limpe a área apenas com as próprias mãos, desde que estejam limpas. Evite usar as unhas durante a limpeza, pois você pode se machucar, e isso pode causar infecções.

Leia: Como evitar o mau cheiro da região íntima com 5 remédios caseiros

Depile-se com cuidado

Depile-se com cuidado para manter sua higiene íntima

Ao se depilar você deve ter cuidado para não causar ferimentos na área íntima. Os ferimentos abertos atraem bactérias e podem se infectar. Se você faz uso de cera ou outro método, também deve ter cuidado para não causar irritação.

Recomenda-se também não remover completamente os pelos púbicos, pois estes são responsáveis por protegê-la de muitas bactérias. Sem eles o risco de você contrair uma infecção aumentará.

Use roupas íntimas de algodão

A roupa íntima de algodão absorve a umidade e promove a ventilação, por isso ajudará você a manter-se fresca e livre de bactérias. A roupa íntima de nylon não é recomendada, pois dificulta a ventilação da área e, desse modo, as bactérias podem se formar.

Você já notou um mau cheiro em sua área íntima? Certamente se deve ao uso de roupa íntima de nylon ou qualquer outro material que não seja o algodão. A chave para ficar longe de maus odores é não deixar espaço para a umidade.

 

  • Cuevas, A., Celis, C., Herrán, S., Hernández, I., Paredes, O., & Paradas, A. (2010). Higiene íntima femenina y vaginosis bacteriana. Encuesta epidemiológica latinoamericana 2008. Revista Colombiana de Obstetricia y Ginecología.
  • Guaschino S , Benvenuti C , SOPHY Study Group. SOPHY project: an observational study of vaginal pH, lifestyle and correct intimate hygiene in women of different ages and in different physiopathological conditions. Part II. https://europepmc.org/abstract/med/18854801
  • Chen, Ying. Bruning, Elizabeth. Rubino, Joseph. Role of female intimate hygiene in vulvovaginal health: Global hygiene practices and product usage. https://doi.org/10.1177%2F1745505717731011