5 hábitos de higiene íntima que não são tão bons quanto pensávamos

Embora pareça uma boa prática higiênica, a remoção dos pelos da região íntima pode favorecer o aparecimento de infecções de diferentes tipos, pois eles funcionam como uma barreira protetora.
5 hábitos de higiene íntima que não são tão bons quanto pensávamos

Última atualização: 16 Fevereiro, 2021

A maioria das mulheres tem muito cuidado com seus hábitos de higiene íntima. O medo de infecções e do mau cheiro faz com que muitas prestem especial atenção a esta área do seu corpo. No entanto, na ansiedade de eliminar qualquer fluido ou odor, muitas acabam adotando maus hábitos que podem prejudicar a saúde da vagina.

O problema é que esta área é muito sensível e seu pH pode ser alterado pelo uso de produtos químicos, roupas íntimas inadequadas e uma variedade de outros fatores que são ignorados.

Por esta razão, embora algumas práticas pareçam saudáveis, é importante saber por que elas podem ser prejudiciais e como evitá-las.

Descubra!

1. Ducha vaginal excessiva

5 hábitos de higiene íntima que não são tão bons quanto pensávamos

De acordo com especialistas do Women’s Health, a ducha não é recomendada, pois em vez de trazer benefícios, tudo o que faz é alterar a flora vaginal e aumentar o risco de infecções e de desenvolver desconforto.

Portanto, embora pareçam uma forma eficaz de eliminar bactérias e maus odores concentrados na área íntima, não são convenientes.

O que fazer sobre isso?

  • Em vez de fazer esse tipo de lavagem, o ideal é lavar as partes externas com sabão neutro (indicado para a higiene íntima) e água.
  • Siga as recomendações do ginecologista.

2. Usar protetores diários

A indústria de produtos para higiene íntima tem se encarregado de convencer seus consumidores sobre a necessidade de usar protetores diários e produtos similares para evitar o desconforto devido a fluidos e odores.

A verdade é que seu uso diário pode ser contraproducente, já que sufocam a área e aumentam as chances de coceira, irritação e outros sintomas irritantes. Esses tipos de produtos podem ser usados ​​de vez em quando e é melhor removê-los da sua rotina diária após o banho para evitar problemas.

O que fazer sobre isso?

  • O ideal é limitar o uso desses elementos ao máximo. Por exemplo, eles podem ser usados ​​nos dias antes e depois da menstruação.
  • Para manter a área fresca, é melhor optar por calcinhas ​​de tecidos de algodão que permitem a respiração e que não sejam muito apertadas.

3. Aplicar talco ou perfumes

Talco

Um dos maus hábitos de higiene íntima é a aplicação de perfumes, talco e outros produtos de higiene íntima que irritam a área.

Embora eles tenham sido considerados métodos eficazes de prevenção de excesso de fluxo e odores, hoje se sabe que eles podem causar efeitos indesejados, causando descontroles do pH. Seu uso frequente produz irritações nas partes externas da vagina e, muitas vezes, afeta o aparecimento de leveduras e infecções bacterianas.

O que fazer sobre isso?

  • Não há motivos para ter vergonha: a vagina tem um cheiro particular que não deve ser neutralizado.
  • Se o cheiro for muito forte, é importante consultar o ginecologista para determinar se existe uma infecção.

4. Esfregar a área abruptamente durante a higiene

Tenha cuidado! A pele da área vaginal é mais sensível e requer um tratamento especial. Algumas mulheres exageram e a esfregam bruscamente. Neste processo, podem ser provocadas pequenas feridas que se tornam porta de entrada para agentes infecciosos, por isso devemos lavar a área com um pouco de delicadeza e cuidado.

O que fazer sobre isso?

  • Aplique o sabonete e esfregue suavemente com os dedos ou a palma da sua mão.

5. Remover os pelos da região íntima

Remover os pelos da região íntima

Hoje em dia, é comum as mulheres pensarem que a depilação total dos pelos pubianos é sinônimo de boa higiene íntima. A verdade é que, embora tenha recebido esse rótulo, trata-se de um equívoco. Os pelos desta parte do corpo têm uma função especial: são responsáveis ​​por proteger a vagina contra bactérias, fungos e vírus que podem causar infecções.

Além disso, muitos métodos depilatórios são agressivos e causam irritação e danos à pele. Isso, sem dúvida, também pode gerar algumas complicações.

O que fazer sobre isso?

  • Escolha um método minimamente invasivo de depilação. Cremes depilatórios e produtos depilatórios naturais são uma boa opção, a menos que algum tipo de alergia cutânea seja percebida durante o uso.
  • Tente manter alguns pelos para evitar deixar a área desprotegida.
  • Se você usa lâminas de barbear, descarte-as após cada uso.

Você pratica alguns dos hábitos de higiene íntima mencionados? Embora nós saibamos que sua intenção é manter sua área vaginal limpa, é melhor tentar corrigir esses erros para não descontrolar o seu pH natural e assim se proteger de possíveis infecções.

It might interest you...
Como evitar o mau cheiro da região íntima com remédios caseiros
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como evitar o mau cheiro da região íntima com remédios caseiros

Saiba como evitar o mau cheiro da região íntima, um sintoma incômodo que pode causar estresse social, insegurança e problemas na vida sexual.



  • Marturana A. (2016). How to deal with crotch sweat.
    self.com/story/how-to-deal-with-crotch-sweat
  • Muscat JE, et al. (2008). Perineal talc use and ovarian cancer: A critical review. DOI:
    10.1097/CEJ.0b013e32811080ef
  • Hamlin A, et al. (2018). Brief vs. thong hygiene in obstetrics and gynecology (B-THONG): A survey study. Kelly-Jones A. (2018) Personal interview.
    journals.lww.com/greenjournal/Abstract/2018/05001/Brief_vs_Thong_Hygiene_in_Obstetrics_and.375.aspx
  • Klebanoff MA, et al. (2011). Personal hygienic behaviors and bacterial vaginosis.
    ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2811217/