Candidíase genital: pode afetar minha vida sexual?

9 de outubro de 2019
Embora não seja uma DST, a candidíase pode ser transmitida. Além disso, por provocar irritação e dor na região vaginal, fazendo com que a relação sexual seja realmente incômoda.

A candidíase genital é um tipo de infecção muito comum. De fato, estatisticamente, a maioria das mulheres vai contraí-la em algum momento de suas vidas. No entanto, é comum que surja uma pergunta específica: a candidíase genital afeta a vida sexual? Vamos descobrir mais sobre esse assunto neste artigo.

A candidíase genital

A candidíase é uma infecção provocada por um fungo chamado Candida albicans. Ele pode afetar não apenas os órgãos genitais, mas também outras partes do corpo, provocando candidíase na pele, muguet (candidíase oral) etc.

Quando se trata da região genital, a candidíase é uma das doenças ginecológicas mais comuns, especialmente entre mulheres. No entanto, não é exclusiva do sexo feminino, pois também pode afetar os homens.

Em geral, a cândida é um fungo que vive junto com outros microrganismos no interior da vagina. Ali, eles coexistem em pleno equilíbrio formando a microbiota vaginal. No entanto, em determinadas ocasiões, o fungo da cândida pode crescer, levando a um desequilíbrio da flora vaginal e provocando a candidíase.

Candidíase genital: pode afetar minha vida sexual?

Embora não seja um problema grave, em muitos casos pode se tornar uma infecção recorrente. Por isso, é importante consultar um ginecologista.

Por outro lado, como já indicamos, a candidíase também pode afetar os homens. É verdade que as mulheres são mais propensas a desenvolvê-la, mas os homens não estão livres de sofrer com esse tipo de infecção.

Desse modo, quando o fungo da cândida afeta o pênis, provoca balanite, isto é, a inflamação do prepúcio e da glande. Além disso, podem ocorrer outros sintomas como vermelhidão, sensação de ardor e comichão, e até mesmo o aparecimento de uma camada esbranquiçada. Assim como no caso das mulheres, pode provocar incômodos e dor durante o ato sexual.

Também recomendamos ler: Como prevenir a candidíase vaginal

Causas

Algumas das causas do aparecimento da candidíase podem ser:

  • Alterações da flora vaginal (consumo prolongado de antibióticos)
  • Diabetes, obesidade
  • Consumo excessivo de álcool
  • Enfraquecimento do sistema imunológico (HIV, transplantes, quimioterapia etc.)
  • Uso de roupa íntima sintética
  • Mudanças hormonais (na gravidez, por exemplo)
  • Higiene excessiva com sabão e substâncias agressivas
pílula para candidíase genital

Os sintomas mais característicos de uma infecção genital por cândida são:

  • Coceira, ardência
  • Irritação
  • Vermelhidão e inflamação
  • Dor ao urinar
  • Secreção vaginal espessa de cor branca
  • Nos homens, balanite ou inflamação do prepúcio e da glande

Tratamento

Visto que a candidíase é causada por um fungo, é normal que o ginecologista receite um tratamento antifúngico. De fato, normalmente a recomendação será aplicar uma pomada ou um creme de acordo com a dose recomendada. Assim, a infecção vai reduzir em poucos dias. No entanto, devemos procurar o ginecologista, pois:

  • Somente o especialista poderá determinar que a infecção é realmente causada pela cândida. Portanto, só ele poderá receitar o tratamento adequado, descartando outros tipos de infecções.
  • Por outro lado, os cremes antifúngicos podem ser comprados sem receita. No entanto, é importante saber que não devemos nos automedicar, sempre seguindo as indicações do médico.

Também recomendamos ler: Como tratar a candidíase vaginal com remédios naturais

A candidíase genital afeta a vida sexual?

O uso de métodos contraceptivos de barreira impede o contágio da cândida entre os parceiros sexuais.

E a resposta é: sim. De fato, a candidíase pode afetar a vida sexual. Por isso, devemos tomar precauções se vamos manter relações sexuais enquanto estivermos com candidíase. Os motivos?

  • A candidíase pode provocar dor, ardência e irritação. Por isso, pode fazer com que o ato sexual se torne realmente incômodo. Assim, recomenda-se não manter relações sexuais até que a infecção desapareça por completo.
  • Ao mesmo tempo, embora não seja uma DST, existe a possibilidade de transmiti-la para a outra pessoa. De fato, pode causar balanite, ardor e vermelhidão na região genital após o contato sexual se você for um homem.
  • Nesse sentido, se as relações sexuais forem mantidas, é imprescindível o uso de preservativo.
  • Por outro lado, visto que o ato sexual pode fazer com que a irritação aumente, pode dificultar a recuperação. Desse modo, embora não seja um risco para o tratamento, é recomendável abster-se até que a infecção desapareça.

Conclusão

A candidíase é uma infecção, mas não é especialmente perigosa. Além disso, com o tratamento adequado, pode desaparecer em questão de dias.

No entanto, manter relações sexuais durante a presença da infecção pode causar determinados problemas, como o contágio do parceiro. Ao mesmo tempo, pode levar a um maior tempo de recuperação. Além disso, visto que a candidíase envolve sintomas como irritação, o ato sexual pode não ser agradável.

Por todas essas razões, os especialistas aconselham abster-se de manter relações sexuais até que a infecção desapareça por completo.

No entanto, se ocorrerem, é recomendável o uso de preservativo a fim de evitar o contágio. De fato, após o ato sexual, a outra pessoa pode apresentar sintomas, tais como vermelhidão ou irritação. Nesse caso, nosso parceiro também vai precisar de tratamento.

  • Frank C. Odds (1987) Candida Infections: An Overview, CRC Critical Reviews in Microbiology, 15:1, 1-5, DOI: 10.3109/10408418709104444
  •  Nwokolo N C, Boag F C (mayo de 2000). «Chronic vaginal candidiasis. Management in the postmenopausal patient». Drugs Aging’ 16 (5): 335-339.
  • David LM, Walzman M, Rajamanoharan S (octubre de 1997). «Genital colonisation and infection with candida in heterosexual and homosexual males». Genitourin Med’ 73 (5): 394-6.