Caminhar: o melhor exercício para a mente e o corpo

Sempre adaptado às nossas capacidades e possibilidades, o exercício de caminhada pode ser muito benéfico. Basta praticá-lo durante meia hora por dia para melhorar nossa saúde cardiovascular e afastar o estresse.
Caminhar: o melhor exercício para a mente e o corpo

Última atualização: 27 Dezembro, 2018

Caminhar não custa dinheiro, no entanto, enriquece a nossa alma, libertando a nossa mente e cuidando do nosso corpo. Poucos exercícios são tão terapêuticos e apropriados para quase todas as idades.

De acordo com a European Society of Cardiology, caminhar a pé por cerca de 20 minutos todos os dias nos permitirá cuidar do nosso coração e desfrutar de um grande bem-estar. Além disso, de acordo com este trabalho, poderemos ganhar entre 3 a 7 anos de vida a mais.

Então… por que não colocá-lo em prática? Você só precisa de um bom tênis e de um cenário agradável onde possa caminhar para incentivar sua oxigenação. É ideal se você puder ir para o campo ou área verde habilitada para andar.

Assim, oferecemos algumas boas razões pelas quais você deve começar hoje mesmo.

Caminhar, um bom remédio contra o estresse

Algo que devemos ter em mente é que os maiores inimigos da nossa saúde são o estresse, a rotina e os pensamentos negativos.

Às vezes o simples fato de fazer todos os dias a mesma coisa acaba “automatizando” nosso cérebro. E não há nada mais perigoso do que um cérebro sem estímulo e sem descanso.

  • Sair para caminhar, sem pressão, sem mais obrigações, apenas com uma garrafa de água e bem equipado para isso, proporciona uma liberação mental que nossos neurônios agradecem.
  • Os pensamentos se relativizam. Oxigenamos nossas células e, de repente, a vida perde a “sua rigidez” e nos permite ser mais livre.
  • Além disso, caminhar também ajuda a nos reconectarmos com nossas necessidades emocionais. Nós começamos um diálogo interior libertador. Isso relaxa muitas das nossas estruturas do cérebro para regular a neuroquímica associada ao estresse.

Caminhar nos torna mais criativos, encontramos novas soluções para nossos problemas

Pode parecer bobagem, mas algo tão simples como mudar de “cenário” põe nosso coração para funcionar e aumenta os níveis de oxigênio em nosso cérebro. Isso causa a liberação de certos neurotransmissores que promoverão o seguinte:

  • Ajustam os níveis de cortisol (em um nível elevado ele causa o estresse, mas em um limite adequado favorece a motivação e a energia).
  • Reorganiza a neuroquímica do nosso córtex frontal, lá onde nós estabelecemos os planos, metas, onde aparecem novas ideias, favorecidas por nossas emoções, agora mais relaxadas.
  • Além disso, outro aspecto que devemos ter em mente é que as pessoas estão acostumadas a mover-se quase sempre nos mesmos cenários e espaços pequenos.
  • Algo tão simples como ir dar um passeio no campo traz novos aromas, sensações e novos estímulos visuais. Uma mente mais descontraída, rodeada por estímulos agradáveis tem a capacidade de gerar ideias novas e melhores.

Por isso, se em algum momento você está se sentindo preso ou pressionado por um problema, já sabe: vá fazer uma caminhada.

Nós recomendamos também a leitura: Andar torna o cérebro mais criativo e cura seus pesares

caminhar-melhor-exercicio-mente-corpo

Caminhar, o exercício favorito do seu coração

Há um aspecto que devemos ter em mente. Não se trata de “correr” ou de andar muito rápido. Se de um dia para o outro exigimos do nosso corpo algo que não estamos acostumados, isso pode nos causar problemas.

  • Na hora de caminhar basta apenas seguir um ritmo normal, mas sem chegar a correr. Assim, não nos cansaremos em excesso e forçamos o coração a se  exercitar. Isso melhora a circulação e a oxigenação dos tecidos do nosso corpo.
  • Ao melhorarmos a pressão arterial também regulamos o nível de açúcar no sangue.
  • Caminhar também nos permite manter nosso peso corporal e a lutar contra a obesidade.
  • Melhora a saúde do nosso sistema imunológico e também libera muitas destas toxinas que tendem a nos fazer ficar doentes ou trazem a clássica retenção de líquidos.

Caminhar para cuidar de seus ossos

Um dos maiores riscos para a nossa saúde óssea é o sedentarismo. Passar entre 8 e 12 horas sentado devido ao nosso trabalho traz consequências graves que se acumulam, tais como:

  • Rigidez articular.
  • Falta de elasticidade muscular.
  • Acúmulo de gordura, o que significa um custo adicional para nossos ossos.
  • A cartilagem perde a força e a elasticidade.

É claro que se temos uma lesão nas costas ou joelho podemos não fazer longas caminhadas. Em muitos casos, algo tão simples como andar 10 minutos em uma esteira onde a superfície é plana e segura pode ser muito terapêutico.

Recomendamos que você leia também: Por que deveríamos tomar água com limão todas as manhãs?

Caminhar

  • Em caso de ter um problema ósseo, temos que atentar para nossas peculiaridades para não provocarmos uma lesão. Portanto, antes de descartar o saudável exercício da caminhada, você pode consultar com um especialista para saber qual seria a melhor maneira de realizar este exercício.
  • Caminhar todos os dias por 20 minutos nos protege contra a perda óssea e a descalcificação.
  • Sempre que nós caminhamos ao ar livre, recebemos uma boa dose de vitamina D, muito necessária para melhorar a coordenação muscular e reduzir o risco de fraturas.

Além disso, o exercício terapêutico de caminhar permite, graças à revitalização da circulação do sangue, que os nutrientes efetivamente cheguem a todas as partes do nosso corpo.

E você? Já fez uma caminhada hoje? Vale a pena!

Pode interessar a você...
Caminhada diária para manter a forma física
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Caminhada diária para manter a forma física

Se você está fora de forma, é importante começar com uma caminhada diária curta, sem forçar demais, para que o organismo possa ir se acostumando.



  • Ciolac, E. G., & Guimarães, G. V. (2004). Exercício físico e síndrome metabólica. Rev bras med esporte, 10(4), 319-24.
  • Spinato, I. L., Monteiro, L. Z., & Santos, Z. M. D. S. A. (2010). Adesão da pessoa hipertensa ao exercício físico: uma proposta educativa em saúde. Texto & Contexto-Enfermagem, 19(2), 256-264.