Buriti, uma fruta amazônica

O buriti é o fruto de uma palmeira amplamente cultivada nas regiões úmidas da América do Sul. Pode ser consumido fresco e é muito nutritivo; Além disso, tem outros usos potenciais muito interessantes.
Buriti, uma fruta amazônica

Última atualização: 23 Outubro, 2021

Qualquer canto da floresta amazônica possui uma grande biodiversidade com espécies de árvores maduras que fornecem frutas como o buriti. A maioria delas costuma ser desconhecida fora dos seus lugares de origem, pois na realidade, seu consumo é bastante local.

Alguns deles (açaí, camu-camu, goiaba, lúcuma, pitanga ou graviola, entre tantos outros) têm começado a se destacar pelo seu aporte de nutrientes . No entanto, hoje a sua comercialização está muito aquém das variedades tropicais mais conhecidas, como banana, abacate e abacaxi.

Se um dia você tiver a oportunidade de experimentá-los em uma viagem, no mercado ou em um restaurante, é muito interessante começar a conhecê-los. A seguir, vamos compartilhar todos os detalhes sobre o buriti.

O que é o buriti?

Buriti, uma fruta amazônica
A palmeira do buriti é utilizada desde os frutos até as folhas.

Este pequeno fruto vem de uma das palmeiras mais cultivadas na América do Sul. Seu nome científico é Mauritia flexuosa e pertence à família Arecaceae. Centenas de frutos de buriti podem ser obtidos de seus cachos.

O fruto é pequeno, tem formato oval e apresenta uma cor vermelho-escura semelhante ao vinho tinto. A polpa é de cor amarela com sabor e aroma atrativos. É consumido fresco, serve para fazer purés e sobremesas, ou é seco e triturado para fazer farinha.

Além disso, aproveita-se a medula do tronco e obtém-se um amido comestível denominado “sagu”. Dos botões do tronco extraem-se os palmitos (usados como verdura), e com a seiva são feitos vinhos e xaropes.

Porém, o uso da planta não se esgota aqui, já que as folhas são utilizadas para a confecção de cestos e outros objetos. Finalmente, o óleo que é usado para alimentos e cosméticos é extraído das suas sementes.

Em diversos países como Brasil, Equador, Venezuela, Bolívia ou Colômbia é conhecido por outros nomes mais ou menos populares: «aguaje», «morete», «moriche», «palma de moriche» ou «palmeira real».

Benefícios e propriedades do buriti

O fruto do buriti tem um abastecimento e consumo muito locais. Poucos são os estudos que detalham os efeitos à saúde derivados da sua ingestão. No entanto, sabe-se que contém interessantes componentes bioativos, compostos que, uma vez ingeridos, exercem efeitos no organismo.

Um estudo publicado no Journal of Food and Science detalhou a presença de carotenos, tocoferóis, ácido ascórbico, fibras e ácidos graxos poliinsaturados, entre outros. Uma série de propriedades é derivada deles:

  • Antioxidantes
  • Antiplaquetárias e antitrombóticas
  • Fotoprotetoras
  • Anti-inflamatórias
  • Hipoglicêmicas
  • Antimicrobianas

Os autores deste estudo destacam o grande potencial que o buriti tem para o desenvolvimento de novos produtos, seja na indústria alimentícia, cosmética ou farmacêutica. A nível alimentar, pode ser mais uma das frutas habituais, e o seu consumo apresenta alguns dos benefícios detalhados a seguir.

Fornecimento de nutrientes

A sua composição nutricional difere um pouco das frutas mais comuns, pois um dos macronutrientes mais proeminentes é a gordura (18% do seu peso na fruta fresca). Além disso, contém 10,1 gramas de fibra, 13,9 gramas de carboidratos e 2,3 gramas de proteínas.

Benefícios do buriti decorrentes do seu teor de fibra

A fibra é um tipo de carboidrato que o corpo não consegue digerir. Desta forma, ela atinge o cólon intacta, onde é fermentada pelas bactérias intestinais. Assim, pode-se dizer que exerce um efeito prebiótico interessante.

Além disso, tem outros impactos interessantes, pois ajuda o organismo a regular a absorção de glicose, exerce um efeito saciante e regula o trânsito intestinal. Dietas com uma presença significativa de fibras têm sido associadas a uma menor incidência de doenças cardiovasculares, sobrepeso e diabetes.

Atividade antioxidante

Muitos são os compostos com esta propriedade e eles são muito importantes para combater os efeitos nocivos do excesso de radicais livres. Estes últimos, quando estão em alta, desempenham um papel decisivo no aparecimento de muitas doenças, como câncer, diabetes, aterosclerose e problemas neurodegenerativos.

Protetor de pele

As vitaminas A, C e E, assim como os betacarotenos presentes no buriti, são muito benéficos para a saúde da pele. Suas ações positivas estão voltadas principalmente para a promoção da síntese de colágeno (um dos principais constituintes da derme), retardando o envelhecimento ou protegendo contra os raios UVB.

Controle da pressão arterial

Um bom número de minerais está presente no buriti: cálcio, ferro, magnésio, zinco e cobre, mas o que se destaca dos demais é o potássio. O corpo precisa dele para funcionar normalmente.

Este mineral favorece a função nervosa, os batimentos cardíacos e a contração muscular. Também contribui para a nutrição celular e a eliminação de resíduos. Com esta última função, permite neutralizar o efeito do sódio na pressão arterial.

Efeitos positivos na saúde cardiovascular

Como mencionado, um dos aspectos em que essa fruta se destaca é a quantidade de lipídios que contém. Eles estão presentes principalmente na forma de ácidos graxos mono e poliinsaturados com um claro efeito anti-inflamatório.

Assim, alguns dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares podem ser combatidos. Nesse caso, eles são adequados para prevenir a agregação plaquetária e hiperlipidemia.

Como usar o buriti na cozinha?

Buriti
O buriti é uma fruta muito versátil na cozinha.

O fruto do buriti pode ser utilizado para os mais diversos fins. A nível alimentar, a parte mais utilizada é a polpa, embora também seja muito rica em óleo próprio para consumo. Existem diferentes maneiras de prepará-lo e incorporá-lo à dieta regular.

  • Sozinho ou misturado com outras frutas tropicais ou amazônicas para fazer sucos, geléias, smoothies ou sorvetes. Antes de consumir, é necessário retirar as escamas. Para fazer isso, deixe de molho em água morna e esfregue com cuidado para removê-las.
  • Com o amido ou a fécula extraída do tronco, pode-se preparar mingaus, panquecas ou biscoitos. Misturada com água quente, obtém-se uma massa que pode ser acompanhada de legumes ou peixe. Também serve como espessante para molhos e guisados.
  • O óleo às vezes é usado para fritar peixes.

Por outro lado, o uso externo do óleo também tem muitas propriedades. É bom para hidratar a pele, ajuda a manter a elasticidade e previne o envelhecimento precoce. Além disso, é útil para acalmar erupções cutâneas, tratar queimaduras e como nutriente para os cabelos.

Uma fruta amazônica para descobrir

O buriti é uma fruta nativa da região amazônica. Lá, é usado de forma regular; são utilizadas várias partes da planta e, em algumas regiões, ele tem um peso econômico importante.

O seu perfil nutricional é muito interessante, e como a maioria das frutas, é uma excelente opção para uma alimentação saudável. No entanto, consumir frutas, verduras e outros alimentos de lugares distantes é uma prática insustentável.

Além disso, neste caso, é uma fruta pequena e perecível, por isso pode ser mais comum encontrá-la em preparações doces ou sucos. Além disso, o seu óleo é bastante difundido para fins cosméticos e medicinais.

Pode interessar a você...
Benefícios de consumir a graviola, deliciosa fruta tropical
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Benefícios de consumir a graviola, deliciosa fruta tropical

A graviola tem muitos benefícios para a saúde. De sabor agridoce, é uma das melhores frutas para fazer uma variedade de sucos e bebidas.



  • Darnet S. H, et al. Nutritional composition, fatty acid and tocopherol contents of buriti (Mauritia flexuosa) and patawa (Oenocarpus bataua) fruit pulp from the Amazon region. Ciência e Tecnología de Alimentos. Abril-Junio 2011. 31 (2): 488-491.
  • Hajhashemi V, et al. Are antioxidants helpful for disease prevention? Research in Pharmaceutical Sciences. Enero-Junio 2010. 5 (1): 1-8.
  • Harvard School of Public Health. Fiber.
  • Medline plus. Potasio en la dieta. Biblioteca Nacional de Medicina de los Estados Unidos.
  • Park K. Role of micronutrients in skin health and function. Biomolecules and Therapeutics. Mayo 2015. 23 (3): 207-217.
  • Pereira Freire J. A, et al. Phytochemistry profile, nutritional properties and pharmacological activities of Maurita flexuosa. Journal of Food and Science. Noviembre 2016. 81 (11).
  • Plants for a Future. Mauritia flexuosa.