Óleo de copaíba: usos, benefícios e contraindicações

O óleo de copaíba tem sido utilizado na medicina tradicional por suas propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antimicrobianas. Você quer saber mais sobre os seus benefícios?
Óleo de copaíba: usos, benefícios e contraindicações

Última atualização: 21 Julho, 2021

A copaíba, também chamada de “pau-de-óleo” em países como Porto Rico, Colômbia e Venezuela, é uma árvore nativa da bacia amazônica que pode atingir 20 metros de altura.

Pertence à espécie Copaifera officinalis, popular por produzir naturalmente um óleo ou resina que é extraído após a perfuração de um orifício no tronco, em seguida inserindo um tubo e fazendo o escoamento do conteúdo.

Desde a antiguidade, essa resina tem sido utilizada para fins medicinais, uma vez que os habitantes dos locais onde a árvore cresce atribuem a ela várias propriedades. Acredita-se que ajude a aliviar a dor, prevenir infecções e melhorar o processo de cicatrização. Você quer saber mais sobre esse tema?

O que é o óleo de copaíba?

O óleo de copaíba é obtido a partir da resina das árvores que compartilham o mesmo nome. Por ser de produção natural, o processo consiste em fazer uma incisão no tronco, filtrar o conteúdo e tratá-lo até a obtenção do óleo com aroma adocicado e amadeirado.

Segundo dados históricos, os primeiros a aproveitar os benefícios desse bálsamo foram os indígenas distribuídos ao redor da bacia amazônica, que inclui países como Brasil, Colômbia, Peru e Venezuela. Devido à sua utilidade no tratamento de várias doenças, foi levado para a Europa no século XVII.

Atualmente, esse óleo está na lista de ingredientes de vários produtos de cuidados pessoais e de cuidados com a pele. Do mesmo modo, tanto a resina quanto o óleo são usados ​​para preparações farmacêuticas naturais, como os diuréticos e os remédios para tosse.

Componentes importantes

Os principais componentes do óleo de copaíba são os seguintes:

  • Copaeno ou α-Copaeno.
  • Cadineno ou δ-Cadineno.
  • Γ-Cadineno.
  • Cedrol.
Mulher com frasco de óleo
O óleo de copaíba é usado desde a antiguidade para fins cosméticos e medicinais.

Principais usos e benefícios do óleo de copaíba

A medicina popular também usa esse óleo como afrodisíaco. A seguir, vamos analisar em mais detalhes quais são seus benefícios de acordo com a ciência.

1. Tem atividade anti-inflamatória

A inflamação crônica é a causa de um número significativo de doenças. Felizmente, o óleo de copaíba apresentou efeitos anti-inflamatórios significativos.

Em um estudo feito em roedores com esclerose múltipla (EM), esse ingrediente ajudou a diminuir a produção de moléculas ligadas à inflamação. Além disso, foi útil para inibir a atividade dos radicais livres, associada ao estresse oxidativo.

Da mesma forma, uma investigação em ratos que apresentavam lesão na língua descobriu que o óleo de resina contribuiu para a diminuição da quantidade de células imunológicas que provocam a inflamação.

Finalmente, um estudo em roedores com colite revelou que esse produto é capaz de reduzir a inflamação, apesar de não ter efeito sobre os danos causados ​​ao cólon. Por enquanto, mais estudos são necessários para confirmar esses efeitos em humanos.

2. Tem atividade antimicrobiana

Uma pesquisa publicada no International Journal of Pharmaceutical Compounding determinou que, mesmo em baixas concentrações, o óleo de copaíba pode inibir o crescimento bacteriano. O estudo foi realizado com a bactéria conhecida como estafilococo dourado, que causa infecções e feridas na pele.

Por sua vez, um estudo publicado no The Open Dentistry Journal constatou que um gel desse óleo foi capaz de combater todas as espécies de bactérias estreptococos presentes nos dentes. No entanto, mais estudos ainda são necessários para certificar essas propriedades.

3. Tem efeito analgésico

Um estudo publicado na revista Complementary Therapies in Clinical Practice descobriu que uma massagem com óleo de copaíba combinada com Deep Blue pode ser mais eficaz para reduzir a dor da artrite do que uma massagem com óleo de coco. Do mesmo modo, pode aumentar a força e a destreza dos dedos.

4. É um adjuvante contra a leishmaniose

A leishmaniose é uma infecção causada pelo parasita Leishmania, que é transmitido pela picada de um mosquito-palha infectado. Em geral, quando a infecção é cutânea, costumam aparecer lesões e úlceras.

No entanto, uma pesquisa em roedores com leishmaniose cutânea determinou que um tratamento oral e tópico de óleo de copaíba serviu como adjuvante na redução das lesões na pele. Os especialistas acreditam que isso ocorre porque ele pode atacar as membranas celulares do parasita Leishmania.

5. Ajuda a melhorar a pele com acne

Devido às suas propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas, esse óleo parece ser um aliado contra a acne. Em um estudo publicado na Alternative Medicine Review, os participantes evidenciaram uma melhora significativa nas áreas com acne tratadas com uma preparação de óleo essencial de copaíba a 1%.

Dados anedóticos sugerem que ele também ajuda a clarear a pele. Para isso, basta adicionar uma gota do óleo essencial ao seu creme facial ou tônico.

6. Ajuda a cuidar da saúde hepática

De acordo com um estudo publicado na Acta Cirúrgica Brasileira, o óleo de copaíba é capaz de reduzir os danos ao fígado causados ​​por analgésicos de uso comum, como o acetaminofeno. Os pesquisadores descobriram que esses efeitos ocorrem desde que o óleo seja usado de forma preventiva, ou seja, antes de administrar o analgésico.

Se administrado após o medicamento, seus efeitos não são tão favoráveis. Pelo contrário, os níveis de bilirrubina no fígado aumentam. Mais estudos são necessários para corroborar esses efeitos.

7. Funciona como um calmante

Um dos usos tradicionais desse produto natural tem a ver com o alívio das tensões. Em particular, são atribuídas a ele propriedades calmantes, principalmente quando aplicado por meio de massagens. É ideal para relaxar após um dia cansativo ou antes de ir para a cama.

Aplicado por meio de massagens, esse óleo ajudaria a reduzir a tensão muscular.

Riscos e precauções do óleo de copaíba

O óleo de copaíba é considerado seguro desde que usado em baixas doses. Um estudo publicado no International Journal of Molecular Sciences descobriu que a ingestão de grandes quantidades pode causar problemas digestivos, como náuseas, vômitos e diarreia.

Por outro lado, o óleo não deve ser ingerido diretamente e é necessário ter cuidado antes de aplicá-lo sobre a pele. Os óleos essenciais, em geral, são altamente concentrados, por isso é necessário diluí-los.

Além disso, é recomendável fazer um teste para detectar possíveis reações. Para isso, aplique um pouco de óleo diluído e deixe agir por pelo menos 24 horas. Na ausência de qualquer reação, ele pode ser considerado seguro.

Contudo, se esse óleo for usado em sessões de aromaterapia, é necessário evitar seu uso perto de crianças, animais de estimação ou mulheres grávidas, pois alguns óleos essenciais podem afetá-los.

Por fim, acredita-se que o lítio possa interagir desfavoravelmente com a copaíba. Portanto, a consulta com um especialista é recomendada se você fizer uso de lítio ou outro medicamento que o contenha.

Como posso usar o óleo de copaíba?

O óleo de copaíba é frequentemente usado como aditivo alimentar, por isso é adicionado em pequenas quantidades a alimentos e bebidas a fim de alterar o seu aroma. Por sua vez, geralmente é usado de forma tópica para reduzir a inflamação, a dor e as cicatrizes.

Nestes últimos casos, deve ser misturado com um óleo portador, como óleo de abacate, de amêndoas ou de coco. Então, basta adicionar 3 a 5 gotas de óleo essencial de copaíba a cada 30 ml de óleo portador. Você pode aplicá-lo como compressa, massagem, creme ou loção.

Óleo de copaíba, um anti-inflamatório e calmante natural

A copaíba, cujo nome científico é Copaifera officinalis, é uma espécie de árvore nativa da bacia amazônica. Também é conhecida como pau-de-óleo, pois produz uma resina ou bálsamo que pode ser extraído fazendo uma incisão no tronco.

Essa resina é processada e, a partir dela, esse óleo é obtido. Dados anedóticos e algumas pesquisas mostram que tem ele atividade anti-inflamatória, analgésica e antimicrobiana. No entanto, são necessárias mais pesquisas para comprovar seus efeitos. 

Por enquanto, ele deve ser usado apenas ocasionalmente, como um aliado para aliviar alguns sintomas. Não é um substituto para os tratamentos médicos e deve ser usado com cuidado, especialmente em casos especiais como gravidez, amamentação ou qualquer doença preexistente.

Pode interessar a você...
Óleo de cártamo: usos, propriedades e benefícios
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Óleo de cártamo: usos, propriedades e benefícios

O óleo de cártamo pode controlar os níveis de açúcar no sangue, diminuir o colesterol LDL e promover a saúde da pele. Saiba mais.



  • da Silva AG, Puziol Pde F, Leitao RN, Gomes TR, Scherer R, Martins ML, Cavalcanti AS, Cavalcanti LC. Application of the essential oil from copaiba (Copaifera langsdori Desf.) for acne vulgaris: a double-blind, placebo-controlled clinical trial. Altern Med Rev. 2012 Mar;17(1):69-75. PMID: 22502624.
  • Dias, D. S., Fontes, L. B., Crotti, A. E., Aarestrup, B. J., Aarestrup, F. M., da Silva Filho, A. A., & Corrêa, J. O. (2014). Copaiba oil suppresses inflammatory cytokines in splenocytes of C57Bl/6 mice induced with experimental autoimmune encephalomyelitis (EAE). Molecules (Basel, Switzerland), 19(8), 12814–12826. https://doi.org/10.3390/molecules190812814
  • Teixeira, F. B., de Brito Silva, R., Lameira, O. A., Webber, L. P., D’Almeida Couto, R. S., Martins, M. D., & Lima, R. R. (2017). Copaiba oil-resin (Copaifera reticulata Ducke) modulates the inflammation in a model of injury to rats’ tongues. BMC complementary and alternative medicine, 17(1), 313. https://doi.org/10.1186/s12906-017-1820-2
  • Barbosa, M., Vicentini, F. A., Castro-Ghizoni, C. V., Lameira, O. A., Sa-Nakanishi, A. B., Bracht, L., Peralta, R. M., Natali, M., Bracht, A., & Comar, J. F. (2018). Copaiba Oil Decreases Oxidative Stress and Inflammation But not Colon Damage in Rats with TNBS-Induced Colitis. Endocrine, metabolic & immune disorders drug targets, 18(3), 268–280. https://doi.org/10.2174/1871530318666180215102029
  • Guimarães, A. L., Cunha, E. A., Matias, F. O., Garcia, P. G., Danopoulos, P., Swikidisa, R., Pinheiro, V. A., & Nogueira, R. J. (2016). Antimicrobial Activity of Copaiba (Copaifera officinalis) and Pracaxi (Pentaclethra macroloba) Oils against Staphylococcus Aureus: Importance in Compounding for Wound Care. International journal of pharmaceutical compounding, 20(1), 58–62.
  • Simões, C. A., Conde, N. C., Venâncio, G. N., Milério, P. S., Bandeira, M. F., & da Veiga Júnior, V. F. (2016). Antibacterial Activity of Copaiba Oil Gel on Dental Biofilm. The open dentistry journal, 10, 188–195. https://doi.org/10.2174/1874210601610010188
  • Bahr, T., Allred, K., Martinez, D., Rodriguez, D., & Winterton, P. (2018). Effects of a massage-like essential oil application procedure using Copaiba and Deep Blue oils in individuals with hand arthritis. Complementary therapies in clinical practice, 33, 170–176. https://doi.org/10.1016/j.ctcp.2018.10.004
  • dos Santos, A. O., Costa, M. A., Ueda-Nakamura, T., Dias-Filho, B. P., da Veiga-Júnior, V. F., de Souza Lima, M. M., & Nakamura, C. V. (2011). Leishmania amazonensis: effects of oral treatment with copaiba oil in mice. Experimental parasitology, 129(2), 145–151. https://doi.org/10.1016/j.exppara.2011.06.016
  • da Silva, A. G., Puziol, P., Leitao, R. N., Gomes, T. R., Scherer, R., Martins, M. L., Cavalcanti, A. S., & Cavalcanti, L. C. (2012). Application of the essential oil from copaiba (Copaifera langsdori Desf.) for acne vulgaris: a double-blind, placebo-controlled clinical trial. Alternative medicine review : a journal of clinical therapeutic, 17(1), 69–75.
  • Teixeira, R. K., Yamaki, V. N., Yasojima, E. Y., & Brito, M. V. (2013). Effect of copaiba oil in hepatic damage induced by acetaminophen in rats. Acta cirurgica brasileira, 28(7), 526–530. https://doi.org/10.1590/s0102-86502013000700008
  • da Trindade, R., da Silva, J. K., & Setzer, W. N. (2018). Copaifera of the Neotropics: A Review of the Phytochemistry and Pharmacology. International journal of molecular sciences, 19(5), 1511. https://doi.org/10.3390/ijms19051511