Lúcuma: o que é e quais são os seus benefícios para a saúde?

Se você ainda não ouviu falar da lúcuma, não deixe de ler tudo o que temos para contar sobre esta fruta exótica com um alto teor de micronutrientes essenciais.
Lúcuma: o que é e quais são os seus benefícios para a saúde?

Última atualização: 05 Dezembro, 2020

Você pode não ter ouvido falar dela ainda. Por esse motivo, vamos contar tudo o que você precisa saber sobre a lúcuma. Esta fruta vem de uma árvore que cresce em terras peruanas. É utilizada para preparar pratos doces, devido ao seu sabor delicioso.

Chama a atenção sua semelhança com o abacate, pois compartilham a mesma cor por fora e um grande caroço por dentro. É uma fruta carnuda com um tom amarelo e até alaranjado no interior. O consumo pode trazer alguns benefícios para a saúde, sobre os quais falaremos a seguir.

A origem e os usos da lúcuma

A lúcuma é, como já mencionamos, um fruto que vem de uma árvore que se caracteriza pelo seu grande tamanho e pela cor clara da sua madeira.

Ela cresce de forma selvagem nos vales andinos e se dá melhor em climas temperados. Não requer um abastecimento de água excessivo e constante, por isso se adapta bem aos períodos de seca.

A lúcuma é extraída da própria árvore, e geralmente é consumida quando está bem madura. Para garantir a sua conservação, deve ser embrulhada em algum material protetor uma vez que for retirada da árvore. Seu sabor é doce e compartilha algumas nuances com o xarope de bordo. Por esse motivo, costuma ser usada para preparar receitas de confeitaria.

Suco de lúcuma
A lúcuma é usada em preparações doces, pois o sabor adocicado é uma das suas principais características.

Benefícios da lúcuma

Esta fruta é caracterizada pelo seu teor de ferro, betacaroteno e niacina. O consumo regular desses componentes oferece uma série de benefícios à saúde.

Apesar de o ferro que contém ser de origem vegetal e, portanto, apresentar uma menor taxa de assimilação, o consumo deste nutriente tem demonstrado reduzir o risco de desenvolvimento de patologias como a anemia. É aconselhável consumir o ferro junto com uma dose de vitamina C para aumentar a sua absorção.

Além disso, é necessário destacar a presença de betacarotenos na lúcuma. Esses nutrientes são formas ativas de vitamina A. Essa vitamina reduz o risco de desenvolver certas doenças complexas, como as que ocorrem no fígado. A revista Nutrition and Health evidenciou esse fato através de algumas pesquisas.

Também é necessário fazer uma menção especial ao teor de niacina da lúcuma. A literatura científica atual afirma que essa substância tem efeitos benéficos na prevenção da dislipidemia quando ingerida nas doses adequadas. É uma vitamina solúvel em água, por isso é necessário garantir o seu consumo diariamente.

Em resumo, incluir a lúcuma regularmente na dieta pode ser útil para:

  • Prevenir a anemia por deficiência de ferro.
  • Melhorar a função hepática.
  • Reduzir o risco de desenvolver dislipidemia.

Como consumir a lúcuma?

Pode ser difícil encontrar essa fruta em muitos países, exceto em alguns países da América do Sul. Porém, se você conseguir adquiri-la, lembre-se de que não se consome a polpa em seu estado natural. O melhor é submeter o alimento a um processamento leve para desfrutar do seu sabor.

A polpa da lúcuma possui um alto teor de amido, por isso podemos adicioná-la a preparações como vitaminas ou cremes, e também para fazer bolos. É normal e frequente que todas as receitas que contenham esta fruta se caracterizem pelo sabor adocicado. Não é comum encontrar pratos salgados com o uso da lúcuma.

Lúcuma
Esta fruta é difícil de encontrar fora da América do Sul, pois é típica do Peru.

Não deixe de ler: Os refrigerantes sem açúcar engordam?

Uma fruta doce e rara

Como mencionamos, a lúcuma é uma fruta da América do Sul que cresce sob certas condições climáticas. É consumida quando está bem madura e sempre devemos processá-la levemente antes, já que não é comum comer a sua polpa em estado natural.

Seu consumo regular oferece diversos benefícios à saúde. É um alimento que contém micronutrientes essenciais para o funcionamento do organismo. Desta forma, pode ser útil para melhorar a função hepática.

Em qualquer caso, não devemos consumi-la em excesso, pois contém uma quantidade significativa de açúcares. É melhor introduzi-la no contexto de uma dieta equilibrada e variada.

Entretanto, é uma opção saudável substituir o açúcar simples e adicionado nas sobremesas pela polpa de lúcuma. Este ingrediente fornecerá uma boa textura e um sabor doce intenso semelhante ao do xarope de bordo ou de alguns adoçantes. Podemos utilizá-la em cremes, sorvetes, bolos e até em vitaminas. Vai muito bem quando acompanha cacau amargo e outros alimentos típicos de receitas de confeitaria.

Pode interessar a você...
6 adoçantes para limitar o consumo de açúcar
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
6 adoçantes para limitar o consumo de açúcar

Segundo a OMS, devemos limitar o consumo de açúcar para não exceder 10% da ingestão calórica total devido aos seus efeitos nocivos no organismo.



  • DeLoughery TG., Iron deficiency anemia. Med Clin North Am, 2017. 101 (2): 319-332.
  • Leelakanok N., D’Cunha RR., Sutamtewagul G., Schweizer ML., A systematic review and meta analysis of the association between vitamin A intake, serum vitamin A, and risk of liver cancer. Nutr Health, 2018. 24 (2): 121-131.
  • Kahsyap ML., Ganji S:, Nakra NK., Kamanna VS., Niacin for treatment of nonalcoholic fatty liver disease (NAFLD): novel use for an old drug? J Clin Lipidol, 2019. 13 (6): 873-879.
  • Rojo, Leonel E., et al. “Original Contribution: Wound‐healing properties of nut oil from Pouteria lucuma.” Journal of cosmetic dermatology 9.3 (2010): 185-195.
  • García Ríos, Diego Héctor. “Caracterización de algunos metabolitos primarios y secundarios en dos variedades comerciales de lúcuma (Pouteria lucuma).” (2016).