Absorventes diários: beneficiam ou prejudicam a saúde feminina?

· 24 de junho de 2014
Os protetores que escolhemos devem ser respiráveis, já que a região íntima precisa estar sempre seca e arejada para prevenir infecções.

O uso de absorventes diários é cada vez mais popular entre as mulheres. São usados com a intenção de manter a roupa íntima seca e livre de fluidos ou umidade, assim como também para evitar possíveis odores e ter maior sensação de limpeza.

Mas será que eles realmente nos ajudam? Ou nos prejudicam? Da mesma maneira que a cada dia encontramos no mercado novas marcas de absorventes e formas adaptáveis aos diferentes estilos de roupa íntima, também é possível escutar que eles não são tão benéficos quanto as propagandas dizem.

Existem certos requisitos para que a região íntima fique em seu melhor estado, sem sofrer com infecções que vão desde um ardor e irritação até chegarem interferir em sua rotina diária, autoestima e, inclusive, afetar a intimidade com seu parceiro.

Devemos ter em mente que, se não é possível deixar de usar os absorventes, existem tipos que podem ajudar a evitar danos posteriores.

Neste artigo tiraremos essas dúvidas e daremos conselhos para manter a região íntima saudável e livre de infecções incômodas.

Sobre os absorventes diários

Sobre os absorventes diários

Com cada mulher é diferente, o que beneficia algumas pode prejudicar as outras e vice-versa.

Em primeiro lugar, antes de comprar absorventes diários assegure-se de que são respiráveis, sem camada plástica e mais porosa. Além disso, é importante lembrar que a zona genital precisa estar arejada, caso contrário a umidade permanece no local, predispondo a infecções.

Deve-se trocá-los várias vezes ao dia, a cada 4 a 6 horas quando muito. Além disso, o correto é lavar as mãos antes e depois de ir ao banheiro e ao manipular toalhas higiênicas.

Conselhos para uma região íntima saudável

Dicas para evitar as infecções

  1. Não se depilar por completo, já que os pelos púbicos protegem a zona íntima.
  2. Uma boa higiene também é importante, principalmente nos dias da menstruação.
  3. Evitar usar sabonetes, já que podem alterar o pH vaginal. Sabões neutros ou aqueles vendidos especialmente para a zona íntima são variados e oferecem uma boa higiene íntima.
    • Os melhores são os de pH ácido que mantêm a região limpa e protegida.
  4. Utilizar roupa íntima de algodão, que permite a ventilação correta da zona íntima.
  5. Evitar usar calças muito apertadas por muito tempo porque podem aumentar a temperatura e umidade da zona íntima, ambiente propício para germes oportunistas.
  6. Não utilizar roupa de material sintético.
  7. Dormir com roupa folgada e de preferência sem a roupa íntima.
  8. Evitar ficar sentada durante longos períodos.
  9. Não usar desodorantes íntimos, pois as fragrâncias só disfarçam os odores e podem produzir irritação.
  10. Manter a região o mais seca possível.

Leia mais: 8 erros comuns que costumamos cometer com nossas roupas íntimas

Fatores que predispõe infecções

Fatores que predispõe infecções

Uso prolongado de antibióticos, a gravidez e a diabetes são fatores que predispõem infecções. Por isso, se você se encaixar em algum desses grupos, tenha um cuidado maior.

Atenção aos seguintes sintomas

  • Aumento da consistência e quantidade do fluído vaginal
  • Mudança na cor da secreção
  • Odor desagradável
  • Dor e ardência ao urinar
  • Dor ao ter relações sexuais

Evitar a automedicação

A maioria das mulheres não faz uma consulta com o ginecologista, seja por medo ou vergonha. Enquanto isso, os agentes que causam a infecção se fortalecem e se tornam mais difícil se desfazer deles.

Leia mais: Exames médicos anuais que todas as mulheres devem fazer

Diante da suspeita de uma infecção vaginal, evite se automedicar e procure um médico, pois, se for tratada a tempo, serão necessárias medidas simples. Ao se automedicar, você só estará piorando a situação.

É de grande importância que o médico escolha o remédio indicado para cada situação em especial. Em caso de aparecer algum sintoma suspeito de infecção vaginal, interrompa o uso de absorventes diários.

Uma infecção vaginal mal tratada pode causar problemas nas vias urinárias como infecções severas e perigosas para nossa saúde.

Especialistas afirmam que a maioria das mulheres já sofreu ou sofrerá de alguma infecção vaginal. Nesse caso, é melhor prevenir que remediar.

  • Foxman, B. (2010). The epidemiology of urinary tract infection. Nature Reviews Urology. https://doi.org/10.1038/nrurol.2010.190
  • Hardy, L., Cerca, N., Jespers, V., Vaneechoutte, M., & Crucitti, T. (2017). Bacterial biofilms in the vagina. Research in Microbiology. https://doi.org/10.1016/j.resmic.2017.02.001