6 razões para perder peso! Saiba mais!

· 27 de setembro de 2014
Uma das razões mais importantes para emagrecer é que isso é bom para a saúde. Saiba mais a seguir.

Mesmo que atualmente perder peso tenha se tornado um ponto essencialmente estético, é fato que este é um dos motivos menos importantes para começar essa empreitada.

Além disso, existem muitas razões das quais muitas vezes não temos consciência ou não damos a devida importância. É por isso que, a seguir, oferecemos seis razões fundamentais para começar a perder peso, caso se encontre acima do ideal (claro).

Razões para perder peso

1. É bom para a saúde

Sem dúvida, uma das razões mais importantes para emagrecer é que isso é bom para a saúde. A saber, a obesidade e o sobrepeso podem ter efeitos muito sérios em nosso organismo, provocando diferentes doenças, como o diabetes ou problemas cardiovasculares.

De fato, em casos graves a obesidade pode levar à morte. É por isso que, pessoas muito acima de seu peso precisam tomar providências para fazerem o melhor por sua saúde, que é adequar seu peso.

Claro que, para conseguir isso é preciso seguir uma dieta alimentar séria associada a uma rotina de exercícios adequados. Para isso, é recomendável buscar um especialista que indique os melhores caminhos para cada caso.

Leia mais: Fatores importantes para perder peso

2. Aumenta a autoestima

Perder peso melhora a autoestima

Quando se sofre com sobrepeso ou obesidade, perder peso pode ter efeitos muito positivos no humor. Isso acontece porque o visual é importante em várias ocasiões, e ter um bom visual pode aumentar a autoestima.

Claro que isso não quer dizer que apenas o aspecto visual seja determinante em nossa vida. Porém, exibir um corpo mais esbelto nos fará sentir melhor.

3. Ativa o corpo

Outro dos motivos parar perder peso é que isso pode ajudar a ser mais ativo e praticar atividades que antes eram mais trabalhosas.

Principalmente, isso acontece porque se tem uma condição física melhor, o que facilita fazer mais coisas. Dessa forma, é possível se sentir mais leve e se fadigar menos.

Saiba mais: Como melhorar a dieta para ter mais energia

4. Cumprir metas

Perder peso aumenta a confiança

Para muitas pessoas, perder peso é um objetivo ou ainda, uma meta. Portanto, chegar a esse objetivo proporciona um efeito nas pessoas, já que essa sensação é importante em um momento determinado, quando precisamos de incentivo para manter ou perder mais peso.

É mais do que evidente que perder peso implica em esforço e compromisso. É por isso que entrar em uma rotina própria para atingir esse objetivo é ótimo para conhecer a sensação de alcançar as metas.

5. Eliminar o estresse

Perder peso também pode ajudar a diminuir o nível de estresse e a relaxar. Isso acontece principalmente porque quando praticamos exercícios, o corpo produz substâncias que nos fazem sentir bem e relaxados.

Por isso, é muito recomendável praticar exercícios para perder peso para que o organismo sinta os benefícios.

6. Poder usar a roupa que quiser

Quando perdemos peso é claro que, é mais fácil usar qualquer tipo de roupa que quisermos. Sem dúvida, isso é muito importante para muitas pessoas, afinal algumas roupas que gostamos são impossível de usar quando engordamos, por não existirem numerações adequadas.

Mesmo que esse seja um ponto que tenha mais a ver com a estética, ter a possibilidade de escolher qualquer tipo de roupa sem nenhum problema será benéfico para o estado de ânimo, para nos sentirmos estimulados.

Além disso, precisamos nos lembrar de que perder peso será primeiramente importante para a saúde.

  • Kunkel, N., Oliveira, W. F. D., & Peres, M. A. (2009). Excesso de peso e qualidade de vida relacionada à saúde em adolescentes de Florianópolis, SC. Revista de Saúde Pública43, 226-235.
  • Bevilacqua, L. A. (2010). Fatores associados à insatisfação com a imagem corporal e autoestima em mulheres ativas.
  • Souza, J. M. B. D., Castro, M. M. D., Maia, E. M. C., Ribeiro, A. N., Almondes, K. M. D., & Silva, N. G. D. (2005). Obesidade e tratamento: desafio comportamental e social. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas1(1), 59-67.