6 diferenças entre esteiras curvas e planas

Pensando em treinar em esteiras? Mostraremos as diferenças entre os modelos curvos e planos para que você saiba qual delas se adapta melhor às suas necessidades.
6 diferenças entre esteiras curvas e planas

Última atualização: 18 dezembro, 2021

As esteiras são uma ótima alternativa para fazer exercícios aeróbicos sem percorrer longas distâncias. Geralmente, para esse tipo de atividade você precisa se mover no espaço (seja através do ciclismo, jogging ou corrida). As esteiras permitem que você aumente a sua capacidade aeróbica sem sair do lugar. Se você deseja usá-la na sua rotina, apresentamos 6 diferenças entre esteiras curvas e planas.

De forma geral, essas são as duas opções que você tem em mãos ao comprar ou utilizar uma. À primeira vista pode parecer que a diferença é apenas estética ou funcional, mas já adiantamos que os benefícios e os músculos que você trabalha também são distintos. Vejamos as diferenças que existem entre as esteiras curvas e planas, e qual das duas é melhor para você.

Diferenças entre as esteiras curvas e planas

Usar uma esteira tem muitas vantagens. Muitas vezes não temos o espaço necessário, ou não queremos nos expor a todas as variáveis negativas a que estamos sujeitos quando saímos para correr ao ar livre (altas/baixas temperaturas, queimaduras de sol, desníveis no terreno que podem provocar quedas) Nestes casos as esteiras são a nossa melhor alternativa.

No entanto, quando consideramos alguns modelos, percebemos que existem dois que dominam o mercado atualmente: design curvo e plano. Para que você possa aproveitá-las da melhor forma possível, aqui estão as 6 diferenças entre as esteiras curvas e planas.

1. O impulso é obtido de maneiras diferentes

Uma das principais diferenças entre esteiras curvas e planas está na forma como o impulso é alcançado. No modelo tradicional, isso é feito por meio de um motor. Desta forma, você pode ajustar a velocidade na qual deseja correr e apenas precisa se adaptar a ela, correndo a uma velocidade menor ou maior.

Ao contrário, nas esteiras curvas é você quem gera o impulso. Não existe um motor com comandos que te permitem ajustar a velocidade a um valor específico. É você, através do impulso das suas pernas, que gira a fita.

Esteiras.
As esteiras motorizadas precisam de de ajustes na velocidade através da utilização dos comandos.

2. A técnica não é a mesma

Devido ao detalhe que acabamos de explicar, a técnica para usar uma esteira curva é diferente do de uma plana. Se você está acostumado às esteiras tradicionais, utilizar uma curva pode ser um desafio. O equilíbrio, coordenação e esforço são muito maiores.

Isso se deve tanto ao design quanto ao método de propulsão delas. A inclinação da superfície permite que você imite melhor a técnica usada em uma corrida real. O fato de ser você quem dá o impulso também implica uma cadência ideal para evitar que a marcha pare. Além disso, alguns modelos incluem um guidão ajustável em diferentes ângulos e alturas, para facilitar a propulsão.

3. Você queima mais calorias nas esteiras curvas do que nas planas.

De acordo com estudo publicado em 2016 na Acta Kinesiologiae, correr em esteiras curvas não motorizadas envolve um aumento na frequência cardíaca de até 22% em comparação com a corrida em pista ou em esteira plana. Isso, por sua vez, se traduz em um aumento da carga calórica para o mesmo tempo de treinamento.

Pesquisas sobre a intensidade metabólica de atletas que usam uma ou outra esteira são responsáveis por essas informações. Em média, acredita-se que a queima de calorias pode aumentar até 30% em comparação a uma esteira plana. Isso, é claro, desde que a intensidade seja mantida.

4. Você trabalha menos a resistência em esteiras planas

A resistência é definida como a capacidade de manter uma certa atividade, ritmo ou esforço durante o maior tempo possível. Ao treinar numa esteira plana essa qualidade é potencializada, uma vez que é você quem mantém o funcionamento e a velocidade de locomoção.

Isso não acontece na esteira convencional, pois nela você apenas se limita a seguir o ritmo imposto pelo motor. Obviamente as esteiras curvas têm uma tela na qual você pode ver a velocidade da sua corrida. Você deve se esforçar para não reduzir essa velocidade, da mesma forma que faria em uma corrida ao ar livre. Claramente isso tem um impacto direto na sua resistência.

5. O ritmo é diferente

Apesar do que acabamos de mencionar, lembre-se de que as esteiras curvas permitem que você controle o ritmo como quiser. Você pode mantê-lo durante toda a sessão de treinamento, é claro, mas também regulá-lo para incluir as rotinas HIIT de uma forma mais funcional.

Embora nada te impeça de treinar dessa forma em uma esteira plana, o fato é que regular a velocidade ou ritmo com a própria marcha é muito mais fácil do que fazê-lo em um painel de controle. Você evita se descoordenar, parar ou simplesmente perder o foco.

6. Diferentes músculos são ativados

Os pesquisadores concordam que a ativação de um maior número de grupos musculares é uma característica da corrida em esteiras curvas. Em geral, todos os grupos são ativados com maior esforço, principalmente os que fazem parte da cadeia posterior.

Desta forma, suas panturrilhas, glúteos e isquiotibiais serão trabalhados de forma mais ativa durante o treino. Se você deseja trabalhar essas áreas com maior intensidade, as esteiras curvas podem ser uma alternativa interessante.

Ativação dos músculos em uma esteira.
Mais grupos musculares são ativados nas esteiras curvas do que nas planas, principalmente os da cadeia posterior.

Devo treinar em esteiras curvas ou planas?

Dados os critérios que acabamos de descrever, você pode pensar que correr em uma esteira curva é o melhor para você. No entanto, tudo depende dos seus objetivos, experiência, resistência e condições físicas. Em suma, se é a primeira vez que você corre em uma delas, vai parecer que o mecanismo de ação é muito exigente.

Também tenha em mente que quanto maior for a superfície, mais difícil será para você empurrá-la. Se você gosta de fazer sessões de mais de meia hora, o esforço pode ser bem maior do que as suas expectativas. Portanto, é sempre melhor aprender a correr em uma esteira plana.

Essa atividade é muito diferente de correr ao ar livre. Manter o ritmo, se ajustar ao espaço e aprender a coordenação dos braços e pernas leva algumas semanas. Por isso é muito mais fácil correr em um modelo curvo depois que esses pontos já tenham sido assimilados.

Quanto às diferenças entre esteiras planas e curvas lembre-se de que, embora elas realmente sejam significativas, esse contraste se manifesta quase que exclusivamente quando o treino é de alta intensidade. Se você deseja manter o peso, fazer atividade física, desestressar ou simplesmente ter uma vida saudável, qualquer uma das duas funcionará para você.

This might interest you...
Correr ouvindo música: benefícios e desvantagens
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Correr ouvindo música: benefícios e desvantagens

Compartilhamos as vantagens e desvantagens de correr ouvindo música. Deste modo você poderá avaliar cada situação e optar pela melhor alternativa.



  • Schoenmakers PPJM, Crisell JJ, Reed KE. Physiological and Perceptual Demands of Running on a Curved Nonmotorized Treadmill Compared With Running on a Motorized Treadmill Set at Different Grades. J Strength Cond Res. 2020 May;34(5):1197-1200.
  • Smoliga JM, Hegedus EJ, Ford KR. Increased physiologic intensity during walking and running on a non-motorized, curved treadmill. Phys Ther Sport. 2015 Aug;16(3):262-7.
  • Wee, V. M., von Heimburg, E., & van den Tillaar, R. Comparison of perceptual and physiological variables of running on a track, motorized treadmill, and non-motorized curved treadmill at increasing velocity. Acta Kinesiologiae Universitatis Tartuensis. 2016; 22: 20-35.