6 desvantagens que dietas extremas trazem

· 30 de março de 2019
As dietas extremas propõem planos alimentares restritivos e perigosos. Embora elas permitam perder peso rapidamente, causam efeitos colaterais que podem reduzir a qualidade de vida.

As dietas extremas se tornaram populares em todo o mundo como uma forma “rápida” de perder peso em poucos dias. São planos alimentares restritivos que diminuem abruptamente o total de calorias diárias, ignorando as necessidades nutricionais do corpo.

Os resultados que elas fornecem são quase “milagrosos”, e é por isso que muitas pessoas tomam a decisão de adotá-las. A desvantagem é que elas são regimes que forçam o corpo a ir além de suas capacidades, causando uma série de reações indesejáveis.

Além disso, a maioria desses planos produz o conhecido efeito sanfona, que é o motivo pelo qual muitos fracassam ao tentar perder peso de forma rápida, e pouco segura.

Desvantagens das dietas extremas que todos deveriam saber

Sem dúvida, a maioria das pessoas que está interessada em uma dieta extrema são aquelas que ganharam peso devido a excessos em sua dieta. Na ânsia de recuperar sua forma, optam por aqueles planos que prometem resultados em dias ou semanas.

Isso não significa que todas as dietas sejam ruins. No entanto, se a perda de peso estiver envolvida, é melhor escolher as opções que propõem uma dieta balanceada com todos os nutrientes.

Você deveria ler: Alimentação saudável e atividade física são a chave para perder peso

Quando essas características não são atendidas, a perda de peso pode estar relacionada à má nutrição ou doenças.  Portanto, apesar de permitirem perder peso são dietas que nenhum especialista em nutrição recomenda. Vamos ver algumas das suas desvantagens:

1. Podem produzir hipoglicemia

Dietas extremas causam cansaço

As pessoas que seguem uma dieta na qual se resiste à fome, provavelmente sofrem um episódio de hipoglicemia. Seja porque se privam de uma refeição, seja porque a substituem por uma simples, e o corpo tende a ter esse tipo de desequilíbrio.

Além disso, as células não obtêm o “combustível” de que necessita para trabalhar em condições ideais, o que desencadeia estados de fadiga e fraqueza.

2. Aumentam os níveis de colesterol

Quando dietas extremas são baseadas no consumo de carnes e proteínas, há grandes chances de ter problemas com o colesterol alto. Devido a isso, muitos pacientes acabam com problemas de dor nas articulações.

Enquanto o corpo tem a capacidade de digerir proteínas, uma quantidade excessiva pode sobrecarregar suas funções. Como consequência, os lipídios no sangue aumentam, e o risco de doenças cardiovasculares graves aumenta.

3. Causam problemas digestivos

Enquanto algumas dietas extremas levam ao desenvolvimento de constipação e problemas no cólon, outras produzem episódios de diarreia e desidratação. Em primeiro lugar, a dieta pode não ter fibra alimentar, um nutriente essencial para a digestão.

Dietas extremas afetam a digestão

Por outro lado, quando você tem excesso de fibras e água, como dietas baseadas em muitas frutas e verduras, elas podem causar cólicas abdominais e fezes líquidas e moles.

4. Produzem efeito sanfona

O corpo responde a todos os tipos de alimentação restritiva e, por isso é normal perder peso. Mas uma vez que os hábitos alimentares regulares sejam restaurados, o corpo reage à mudança, e o popular efeito sanfona ocorre.

Como resultado, o sentimento de ansiedade sobre a comida aumenta, e também a tendência a acumular gordura em várias partes do corpo. Por esse motivo, muitos recuperam o peso perdido em pouco tempo.

5. Afetam o sistema imunológico

Uma mudança brusca na dieta, e a restrição de alguns nutrientes essenciais podem afetar significativamente a saúde do sistema imunológico. Muitas vezes, aqueles que se submetem a dietas extremas são mais propensos a infecções e doenças.

Dietas extremas fazem adoecer

Quando o corpo não está fisicamente preparado ele esgota seus antibióticos naturais, para substituir os minerais que não está recebendo. Devido a isso as defesas são enfraquecidas, e os antígenos conseguem afetar os tecidos sem dificuldades.

6. Produzem descontroles metabólicos

As dietas extremas que se propõem a eliminar completamente qualquer grupo de nutrientes podem desencadear o descontrole metabólico. Ao limitar, por exemplo, carboidratos e gorduras, a atividade do metabolismo está sofrendo uma mudança.

Você estaria interessado em ler? 10 coisas que a cerveja pode fazer para melhorar a sua qualidade de vida

Consequentemente, muitas funções dos órgãos vitais são alteradas, e são produzidos sintomas e condições que podem afetar a qualidade de vida, quando não são controladas a tempo. Algumas delas incluem:

  • Diabetes tipo 2
  • Perda de massa muscular
  • Hipertireoidismo ou hipotireoidismo
  • Dislipidemia
  • Doenças do fígado

Então, você está interessado em perder peso sem expor sua saúde? Em vez de adotar dietas extremas, escolha um plano de refeições completa que atenda às suas necessidades. Embora os resultados demorem um pouco mais, este tipo de plano é mais seguro e permanente.

  • Dones, M. J. C., Villar, M. I. F., Bonilla, M. J., González, C. M., & Rodríguez, M. M. (2016). Dietas milagro bajas en hidratos de carbono o carbofóbicas: perspectiva enfermera desde la evidencia. Enfermería Clínica, 26(4), 243-249.
  • Grande, F. (1991). Dietas extremas en la edad infantil. Repercusión sobre el crecimiento y el estado de nutrición. Actualidad Nutricional, 5, 40-1.
  • Muniz, F. J. S., & Pérez, B. S. (2015). Importancia de la dieta en la obesidad. Monografías de la Real Academia Nacional de Farmacia.