5 dicas para evitar as birras das crianças

· 30 de abril de 2019
As pirraças ou birras fazem parte do desenvolvimento emocional das crianças. Elas começam a sentir emoções que não conhecem e que ainda não conseguem controlar. Você pode ajudar seus filhos evitando as situações que desencadeiam tais comportamentos.

A partir dos 2 anos e até os 5, qualquer criança pode fazer uma birra. Essa explosão de raiva e frustração que o invade e que enche a nós, pais, de culpa e dúvidas. Mas é possível evitar as birras das crianças tomando algumas precauções.

Criança fazendo birra

As 5 principais dicas para evitar as birras das crianças

As birras das crianças são o resultado de seu desenvolvimento emocional. As crianças começam a sentir, reconhecer e manifestar emoções como raiva, ira ou frustração. Mais tarde, elas serão capazes de controlar tais sentimentos, mas, em uma idade tão precoce, elas ainda precisam ser capazes de gerenciar melhor essas emoções.

A partir dos 2 anos, a criança também começa a se sentir autônoma. Ela já percebeu que o que ela quer nem sempre coincide com o que seus pais querem. Os acessos de raiva surgem justamente porque elas querem impor sua recém estreada “vontade”, colocando os pais à prova.

Em terceiro lugar, devemos entender que as birras são mais frequentes em algumas crianças do que em outras. Cada criança tem seu temperamento, que certamente marcará como ela se comporta diante das emoções que sente. Mesmo entre irmãos criados da mesma maneira, pode haver mais acessos de raiva em um filho do que em outro.

A partir do entendimento dessas três variáveis ​​fundamentais, deixaremos essas 5 dicas básicas para evitar as birras. Esperamos que você possa colocá-las em prática antes que o “vendaval” de emoções conflitantes se instaure.

Atividades familiares para evitar birra nas crianças

1. Evite desafiar seu filho em aspectos desnecessários

Há coisas que “tem que fazer” ou ” não tem que fazer”. É assim. Mas avalie se é necessário fazer ou não tal coisa naquele exato momento. Talvez você possa deixá-lo “ter o controle” por alguns minutos, depois fazer ou não o que for necessário.

Por exemplo: é inverno e ele tem que levar o casaco. A criança se recusa. Se você ainda puder esperar alguns minutos antes de fechar o casaco, por que você vai pressioná-la a fechá-lo de uma vez? Quando a criança se sente encurralada, ela explode porque não tem opções.

Deixe-a “decidir” por alguns minutos. Então, depois que ela se sentir vitoriosa e com frio, você a ajuda a fechar o casaco.

2. Antecipe-se diante de situações frustrantes

Se você tiver um longo dia de obrigações no qual seu filho deve te acompanhar, prepare-se. Leve brinquedos, água, algum lanche. Em uma longa jornada longe de casa, o cansaço e a obrigação de fazer algo que não é atraente para a criança geram desconforto que pode levar à uma birra.

Se você estiver fazendo algo de que ele gosta, como passear no parque, mas é hora de partir, avise com antecedência que será hora de sair em breve. Você não precisa pegá-lo de surpresa com uma partida abrupta.

Confira ademais: Por que no Japão os filhos sempre obedecem aos pais?

Antecipe-se diante de situações frustrantes

Às vezes, as birras acontecem porque submetemos as crianças a um estresse desnecessário, situações que elas não entendem ou não gostam. Nesses momentos temos que esperar pela explosão da birra para perceber que era uma situação completamente previsível.

3. Dose o uso de “não”

O uso contínuo do “não” pelos pais é o motivo de muitas birras. A recusa dos pais causa rebeldia. Avalie quando você pode dizer “sim”. Também avalie quando, em vez de simplesmente dizer “não”, você pode oferecer uma alternativa aceitável para a criança.

Claro, existem casos onde o “não” é inquestionável. Se a criança quiser introduzir um objeto de metal em uma tomada elétrica, o “não” é inegociável. Mas nem sempre são situações extremas. Avalie quais são os momentos em que você pode ceder a um dos seus pedidos.

4. Estabeleça limites claros e razoáveis

Muito antes de as birras das crianças acontecerem, quando tudo estiver calmo, é necessário estabelecer quais são os limites que as crianças devem respeitar e quais elas devem aprender a se adaptar.

Você não pode controlar tudo o que a criança faz, tente, brinque ou teste, porque precisam experimentar sua independência, mas também não podem ser criadas com liberdade excessiva. As crianças devem saber que existem limites que não podem ser transpassados sem consequências.

5. Preze pelo bem-estar físico da crianças

Embora as birras sejam explosões emocionais, elas podem ser causadas por desconfortos físicos. Uma criança que perdeu seu horário de almoço ou de cochilo pode explodir em uma birra porque ela não sabe como lidar ou comunicar o desconforto físico que a aflige.

Para isso, a rotina deve ser sua aliada. Tente respeitar os horários de sonecas, refeições, lanches ou banheiro. Essa regularidade dá segurança ao seu filho e lhe dá o descanso e a satisfação necessários para que as birras não se manifestem por esses motivos.

Não deixe de ler: As birras têm um lado positivo?

Menina fazendo birra chorando

Quando as birras das crianças acontecem

Apesar de ter seguido todas essas recomendações, seu filho começou a fazer birra. Antes do surto emocional, a primeira coisa que você deve fazer é ficar calmo. Se você se alterar, não ajudará seu filho.

Em geral, as birras surpreendem também as crianças por causa de toda a energia que elas desprendem. Então, aqui é importante que você, mantendo a calma, ajude-a a não se machucar ou a atacar os outros. Seu filho precisa encontrar a calma novamente.

Fale com ele devagar e em um tom muito baixo. Explique o que está acontecendo, qual é a sua posição e convide-o a se acalmar. Evite ceder ao que ele pede, porque você vai passar a mensagem errada de que com birras ele pode conseguir o que quer.

Se você estiver em um lugar público, alguém lhe dirá para ignorar seu filho ou até puni-lo fisicamente. Reiteramos: as birras são situações em que ele está fora de si. A melhor coisa que você pode fazer é fugir desse tipo de opinião.

Ignorar ou bater no seu filho no meio de uma birra não o ajuda em nada. Você só o ensina a reprimir suas emoções, o que sempre tem consequências terríveis. Seu filho precisa de você para encontrar a calma; não negue a ele seu amor e seu abraço.

  • Eresmama.com Las etapas del desarrollo emocional del niño [Online] Available at: eresmama.com/las-etapas-del-desarrollo-emocional-del-nino/
  • Eresmama.com Establecer límites en la educación de los niños [Online] Available at: eresmama.com/establecer-limites-la-educacion-los-ninos/