Vômito em crianças: como agir?

· 15 de dezembro de 2018
O vômito em crianças nem sempre alerta para um problema sério; no entanto é importante saber como agir adequadamente para evitar a descompensação devido à desidratação que causa.

Quando o vômito ocorre em crianças é normal ativar os alertas. Embora nem sempre esteja relacionado com uma doença grave, é essencial prestar atenção para que outras complicações não surjam devido à desidratação.

Este sintoma pode ser o resultado de uma infecção intestinal, catarro, ou simples nervosismo. De fato, pode ter sua origem em fatores psicológicos, porque as crianças aprendem a vomitar para conseguir algo que querem, ou para receber atenção.

Independentemente da causa, existem algumas medidas gerais que podem ajudar a acelerar na recuperação. Em seguida, queremos rever alguns aspectos relevantes que devem ser considerados, e vários cuidados que facilitam o tratamento em casa. Tome nota!

O que é o vômito?

O vômito é a expulsão violenta e espasmódica do conteúdo estomacal através da boca e do nariz. Embora tenha sido desenvolvido como um mecanismo para expulsar toxinas do corpo, também aparece como um sintoma de muitas doenças.

Não deve ser confundido com a regurgitação, que é a subida sem força de uma pequena quantidade de comida ou líquido. Este último sintoma é bastante frequente em bebês, e geralmente não é perigoso.

Vômito em criança

Tratar o vômito em crianças é fundamental para prevenir a desidratação. Embora nem sempre haja sintomas óbvios, a perda excessiva de líquidos pode levar a outras complicações.

Quais são as causas do vômito em crianças?

A causa mais frequente de vômito em crianças é uma infecção conhecida como gastroenterite (gripe intestinal). Muitas vezes, quando é causada por essa condição, a criança também pode ter episódios de diarreia. Outros possíveis gatilhos são:

  • Dores ou ferimentos na cabeça
  • Infecções do trato urinário
  • Obstruções intestinais
  • Alergias alimentares ou intoxicação
  • Ingestão acidental de um medicamento, ou produto tóxico
  • Estenose pilórica congênita (estreitamento da válvula de saída do estômago)

Confira também: Como preparar água alcalina para perder peso, aliviar a fadiga e prevenir doenças

Como agir em caso de vômito em crianças

A primeira medida para agir em caso de vômito em crianças é deixar o estômago descansar por um tempo prudente. Alimentos e bebidas não devem ser fornecidos por um período de uma ou duas horas, pois isso leva ao reaparecimento do sintoma.

No entanto, se a criança tiver vomitado muitas vezes é provável que sinta sede, e não possa aguentar mais por tanto tempo. Por isso, nesses casos é apropriado fornecer fluidos pouco a pouco, a cada 15 ou 30 minutos. O que mais deve ser feito?

Amamentar no caso de bebês

O vômito em bebês é frequente, e quase nunca representa algo sério. Portanto, é normal continuar alimentando-os com leite materno diretamente da mama, ou extraído previamente. Se o vômito reaparecer após a alimentação, é melhor amamentar em quantidades menores, com maior frequência.

Se o vômito persistir ou houver sinais de desidratação, você poderá dar-lhe uma solução de reidratação oral. Não é aconselhável oferecer água nem infusões, especialmente se a causa não for estabelecida.

Soluções de reidratação oral

As soluções de reidratação oral são bebidas que ajudam a repor a água, o açúcar, e os sais que são perdidos pelo vômito. No caso das crianças é essencial provê-las com o líquido, já que s geralmente apresentam descompensação, e sinais de desidratação devido a esse sintoma.

Solução de reidratação após o vômito em crianças

Alguns exemplos disponíveis no mercado são Pedialyte, Enfalyte, e solução eletrolítica pediátrica. Existem também marcas genéricas que fornecem os mesmos benefícios. Na verdade, estas estão disponíveis em vários sabores, e para cada idade.

Como administrar este remédio?

  • Você pode usar uma colher, uma seringa, ou um conta-gotas. É claro que, se não houver problemas para que a criança ou o bebê a tomem, pode ser colocada na mamadeira ou em um copo. Considerando que a criança tenha sensibilidade, primeiro deve ser dada uma colher de chá (5 ml).
  • Depois, se for bem aceita, a quantidade aumentará gradualmente, até atingir o máximo de 30 ml (1 onça), a cada 5 minutos. É importante que a criança a tome sem se pressa, pois engolir rapidamente pode desencadear mais vômitos.

Se o vômito persistir, isso não significa que a solução não tenha efeito. Os eletrólitos fornecidos pela solução continuam sendo absorvidos.

Alternativas à solução de reidratação oral

A solução de reidratação oral é o remédio mais recomendado para o vômito em crianças. Entretanto, como algumas crianças rejeitam seu sabor salgado, existem alguns truques que podem facilitar o seu consumo. Se a criança não quiser tomar a solução, opte por:

  • Dar-lhe bem fria, ou em apresentações de picolés ou outros gelados (por exemplo, geladinho)
  • Misture com suco; uma parte de suco e duas de soro.
  • Escolha uma bebida eletrolítica esportiva daquelas vendidas no mercado. Embora não forneçam as mesmas propriedades das soluções farmacêuticas, são úteis para prevenir a desidratação.

Evite bebidas açucaradas

Sucos doces e refrigerantes comerciais não devem fazer parte do tratamento desse sintoma. Embora seu sabor seja muito atraente, são pesados ​​para o sistema digestivo infantil e podem dificultar o controle da causa subjacente.

Manter uma dieta saudável

A alimentação em casos de vômito em crianças é normal. Você pode oferecer qualquer alimento, mesmo que seja um caso de gastroenterite. Naturalmente, é melhor tentar evitar pratos cheios ou irritantes demais. Além disso, não é conveniente fornecer leite integral ou produtos processados.

Encoraje seu filho a manter uma dieta saudável após o vômito

Após algumas horas de descanso, a criança pode começar a consumir alimentos saudáveis, como:

  • Cereais integrais
  • Caldos ou sopas
  • Frutas e vegetais
  • Carnes magras
  • Produtos lácteos sem lactose

Não perca: Descubra como melhorar sua saúde ao beber mais água a cada dia

Medicamentos

Antes de administrar qualquer medicação em crianças é melhor consultar o pediatra. No entanto, em caso de febre e mal-estar, podem ser usadas opções como acetaminofeno e ibuprofeno. A aspirina não deve ser usada, a menos que seja orientada pelo médico.

Quando o sintoma for persistente, o profissional pode prescrever um medicamento antiemético, como o ondansetron. Esses tipos de tratamentos são usados ​​em dose única.

Em resumo, para atender a casos de vômitos em crianças é essencial garantir o seu descanso, e fornecer uma solução de reidratação oral. Qualquer sinal de complicação ou alerta terá que ser avaliado instantaneamente por um médico ou pediatra.