Voltaren (diclofenaco): usos e efeitos

05 Outubro, 2020
Como todos os medicamentos, o diclofenaco não é isento de efeitos colaterais. Os mais conhecidos e frequentes são as úlceras gástricas provocadas pelo seu uso contínuo, pois ele inibe a síntese de prostaglandinas.

Voltaren é a marca comercial de um ingrediente ativo conhecido como diclofenaco. Um ingrediente ativo é um produto químico que desencadeia um efeito no corpo. Nesse sentido, o diclofenaco é um medicamento que pertence à família de AINEs, ou anti-inflamatórios não esteroides.

Desta forma, este medicamento é indicado para reduzir a inflamação e tratar a dor, ou seja, as mesmas patologias que o restante dos medicamentos da sua categoria química. Um exemplo de seu uso é reduzir as cólicas menstruais.

No entanto, o diclofenaco também está indicado para diferentes doenças reumáticas, que veremos mais adiante, ataques de gota e pedras nos rins.

A seguir, explicaremos algumas das indicações do Voltaren para entender melhor seus efeitos no organismo.

Como o Voltaren exerce seu efeito no organismo?

O voltaren tem um efeito analgésico

Voltaren ou diclofenaco é um derivado fenilacético que apresenta um mecanismo de ação como o dos outros AINEs. Assim como eles, esse mecanismo não é totalmente compreendido.

Parece envolver a inibição de enzimas conhecidas como ciclooxigenases. A ciclooxigenase ou COX é uma enzima que permite ao corpo sintetizar substâncias chamadas de prostaglandinas a partir de outro produto químico, o ácido araquidônico.

No entanto, o mecanismo de ação do diclofenaco também pode estar relacionado à inibição da síntese de prostaglandinas, substâncias que participam de respostas inflamatórias e estimulam os terminais nervosos da dor.

Dessa maneira, o diclofenaco atua inibindo a ciclooxigenase e, assim, a produção de prostaglandinas para reduzir a dor e a inflamação.

Por outro lado, essas substâncias também têm outra série de funções, como a manutenção da integridade e proliferação da mucosa gástrica, pois garantem o fluxo sanguíneo adequado.

Essa mucosa é responsável por proteger o estômago de substâncias ou micro-organismos irritantes. Portanto, como essa síntese de prostaglandinas é inibida, a mucosa gástrica fica desprotegida, e é por isso que esses medicamentos podem desencadear uma úlcera péptica.

Artrite reumatoide e Voltaren

Além de combater as cólicas menstruais, este medicamento é amplamente utilizado para doenças artríticas. A artrite reumatoide é um distúrbio inflamatório crônico que afeta principalmente as articulações.

Em algumas pessoas, o distúrbio pode danificar diferentes partes do corpo além das articulações, como pele, olhos ou pulmões. A artrite reumatoide é um distúrbio autoimune que aparece quando o sistema imunológico ataca por engano os tecidos do organismo, desencadeando episódios de dor e inflamação.

Portanto, o Voltaren é capaz de reduzir os sintomas desta doença graças à su capacidade anti-inflamatória e analgésica.

Leia também: Artrite séptica: sintomas e causas

O que é a osteoartrite?

Osteoartrite e anti-inflamatórios

É outra doença reumática para a qual o Voltaren é usado. Ao contrário da artrite reumatoide, a osteoartrite afeta apenas as articulações, e não outras partes do corpo. É o tipo mais comum de artrite.

Esta doença danifica a cartilagem das articulações. Dessa maneira, o osso não tem mais proteção contra o atrito com outros ossos e eles começam a colidir diretamente. Esse atrito é acompanhado por dor, inflamação e perda de movimento nas articulações.

Com o tempo, a articulação tende a perder sua aparência normal. Podem aparecer esporões ósseos ou um crescimento ósseo adicional nas bordas da articulação. Além disso, algumas estruturas articulares podem se deslocar, causando mais dor.

E a espondilite anquilosante?

Essa é outra indicação do Voltaren. É uma doença reumática que ocorre com inflamação das articulações da coluna vertebral e sacroilíaca. Geralmente se manifesta com quadros de dor na região lombar das costas que podem afetar toda a coluna vertebral e as articulações periféricas.

A espondilite anquilosante pode ser acompanhada por sintomas extra-articulares, como inflamação dos olhos ou válvulas cardíacas.

Hoje, a causa desta doença não é conhecida, mas está ligada a fatores genéticos. Além disso, afeta mais os homens do que as mulheres e geralmente se manifesta na adolescência ou juventude.

Descubra: 4 hábitos para lidar com a dor causada pela artrite reumatoide

Reações adversas ao diclofenaco

Artrite

Como todos os medicamentos, o diclofenaco não é isento de efeitos colaterais. Como já mencionamos, os mais conhecidos e mais frequentes são as úlceras gástricas provocadas pelo seu uso continuado, pois ele inibe a síntese de prostaglandinas.

No entanto, também existem outros efeitos indesejados relacionados à administração deste AINE. Entre eles, podemos citar:

  • Alteração no trato intestinal: náuseas e vômitos, diarreia ou flatulência.
  • Sistema nervoso central: dores de cabeça, tonturas e vertigens.
  • Órgãos sensoriais: visão turva ou distúrbios do paladar.
  • Pele: erupções cutâneas ou urticária.
  • Problemas renais.
  • Alterações hemodinâmicas.
  • Reações alérgicas.

Conclusão

Voltaren é um medicamento de prescrição médica indicado para reduzir condições inflamatórias e dor intensa. Pode ser administrado por via oral ou tópica em forma de creme.

As instruções do médico sempre devem ser seguidas, pois o uso indevido deste medicamento pode causar lesões graves na mucosa gástrica e outros efeitos indesejados.

  • RxList. (2016). Voltaren.
  • Scholer, D. W., Boettcher, I., Ku, E. C., & Schweizer, A. (1985). Pharmacology of diclofenac sodium (Voltaren®). Seminars in Arthritis and Rheumatism. https://doi.org/10.1016/S0049-0172(85)80012-3
  • Turrión Nieves, A., Martín Holguera, R., Pérez Gómez, A., & Álvarez de Mon-Soto, M. (2017). Artritis reumatoide. Medicine (Spain). https://doi.org/10.1016/j.med.2017.02.010