O que é a verbena e para que serve?

Você costuma consumir infusões e chás de ervas medicinais? Se sim, continue lendo. Vamos falar sobre as propriedades da verbena, suas formas de consumo e os benefícios desta planta para a saúde.
O que é a verbena e para que serve?

Última atualização: 29 Janeiro, 2021

A verbena é uma planta que cresce na natureza, sendo considerada invasora em determinados ecossistemas. É um vegetal que tem aplicações no âmbito da saúde, pois é capaz de modular positivamente o estado de espírito. Por esse motivo, pode ser usada em pessoas que sofrem de ansiedade ou estresse recorrentes.

A seguir, vamos falar sobre todos os usos possíveis desta planta típica da Europa Central. Dessa forma, você poderá introduzi-la em sua rotina e começar a tirar proveito da mesma.

Benefícios da verbena

Esta planta tem sido tradicionalmente usada como uma erva purificadora. No entanto, pesquisas recentes mostraram que sua ingestão tem um efeito calmante e relaxante. Por esse motivo, está começando a ser usada na fitoterapia como método para tratar a depressão e a ansiedade.

De acordo com um estudo publicado na revista Frontiers in Pharmacology, a verbena tem capacidades ansiolíticas e sedativas. Isso permite que seja aplicável em diferentes quadros patológicos associados a processos nervosos. Apesar de tudo, mais ensaios clínicos são necessários para avaliar a possível interação que pode ter com os medicamentos que são prescritos para o tratamento dessas doenças.

Além disso, esta erva tem propriedades antiespasmódicas e antidiarreicas, conforme afirmado em um artigo publicado no Journal of Evidence Based Integrative Medicine. Dessa forma, pode ser usada para melhorar os processos de diarreia aguda, reduzindo a dor e o risco de desidratação associado à perda de líquidos.

Por fim, deve-se notar que a verbena possui propriedades anti-inflamatórias. Existem evidências científicas suficientes para afirmar que esta erva reduz a inflamação associada a problemas dentários e orais, diminuindo o inchaço e os sintomas. É um remédio natural eficaz no combate à dor causada por patologias orais.

Propriedades da verbena
As propriedades anti-inflamatórias da verbena a tornam uma opção para aliviar as dores crônicas.

Para saber mais: 5 remédios à base de ervas que ajudam a estimular o sistema linfático

Um possível antioxidante?

Tem-se especulado sobre a capacidade antioxidante da verbena quando consumida em infusão. Ela pode apresentar, em sua composição, fitoquímicos com capacidade de neutralizar a formação de radicais livres. Essa propriedade reduziria o risco de desenvolver doenças complexas no contexto de uma dieta saudável.

Também seria benéfica para retardar o envelhecimento e seus sinais. No entanto, a literatura científica não conseguiu demonstrar essa capacidade até o momento. São necessários artigos que avaliem e demonstrem os efeitos da infusão de verbena na oxidação.

Maneiras de consumir a verbena

A verbena, como erva medicinal, pode ser encontrada em lojas especializadas. É possível fazer uma infusão com a erva e beber o líquido. Também existem suplementos com a planta triturada e introduzida em cápsulas. Este formato de apresentação é o mais confortável quando se pretende utilizar altas doses da mesma para a redução, por exemplo, das dores causadas pela gengivite.

No entanto, é raro usar a verbena como condimento ou tempero alimentar. Ela não possui um sabor que combine bem com os pratos da gastronomia ocidental, por isso não costuma ser introduzida nas refeições.

Apesar de tudo, você pode comprar no supermercado uma combinação de plantas que contenha essa erva entre seus ingredientes. Com um produto deste tipo, pode-se preparar infusões de forma simples e rápida.

Você também pode se interessar: 3 vitaminas de cúrcuma ricas em antioxidantes, tão deliciosas que você não vai acreditar nos seus benefícios

Interações medicamentosas

Até o momento, não se sabe muito sobre as interações que a verbena pode estabelecer com a farmacologia medicinal tradicional. De qualquer forma, dadas as suas capacidades, o melhor seria evitar o consumo desta planta se estiver fazendo tratamento com antidepressivos.

A literatura atual não oferece muitas informações sobre os princípios ativos da planta, portanto, sua segurança não pode ser avaliada quando misturada com medicamentos. Nestes casos, deve prevalecer a precaução.

O melhor é introduzir a planta na dieta, desde que não haja nenhuma patologia crônica ou grave. Caso contrário, é melhor consultar primeiro um médico especialista.

Óleo de verbena
Não se sabe muito sobre as interações medicamentosas da verbena. É por isso que ela deve ser consumida com cautela.

Verbena: uma planta com propriedades medicinais

A verbena é uma planta medicinal que cresce na natureza. Possui certas propriedades que têm potencial no tratamento de certas patologias, especialmente nas do tipo inflamatório.

Em caso de diarreia aguda, também é possível usar a verbena com o objetivo de reduzir os sintomas. Apesar de tudo, faltam pesquisas sobre o assunto que indiquem o verdadeiro potencial da erva, seu quadro de aplicação e suas limitações.

Por enquanto, devemos nos contentar em adquiri-la em preparações para infusão. Podemos desfrutar das suas qualidades anti-inflamatórias e antidiarreicas, embora seja sempre aconselhável consultar primeiro um especialista, a fim de se certificar de que não há contraindicações ou interações.

Pode interessar a você...

Formas de consumir algas e seu valor nutricional
Mejor con SaludLeerlo en Mejor con Salud
Formas de consumir algas e seu valor nutricional

Dado o seu elevado teor de vitaminas e minerais, consumir algas pode ser muito benéfico no tratamento da anemia e outros problemas de saúde.



  • Khan AW., Khan AU., Ahmed T., Antioconvulsant, anxiolytic, and sedative activities of verbena officinalis. Front Pharmacol, 2016.
  • Sisay M., Bussa N., Gashaw T., Evaluation of the antispasmodic an antisecretory activities of the 80 % methanol extracts of verbena officinalis L: evidence from in vivo antidiarrheal study. J Evid Based Integr Med, 2019.
  • Grawish ME., Anees MM., Elsabaa HM., Abdel Raziq M., et al., Short term effects of verbena officinalis Linn decoction on patients suffering from chronic generalized gingivitis: double blind randomized controlled multicenter clinical trial. Quintessence Int, 2016. 47 (6): 491-8.
  • Etou Ossibi, A. W., et al. “Anti-oxidative stress potentiality of aqueous extract of the leaves of Lippia multiflora Moldenke (Verbenaceae).” Journal of Pharmacognosy and Phytochemistry 5.6 (2016): 254-258.
  • da Silva, Alessandra P., et al. “Tyrosinase inhibitory activity, molecular docking studies and antioxidant potential of chemotypes of Lippia origanoides (Verbenaceae) essential oils.” PloS one 12.5 (2017): e0175598.
  • Almeida, Milene C., et al. “Genetic diversity and chemical variability of Lippia spp.(Verbenaceae).” BMC research notes 11.1 (2018): 725.