7 truques para vencer a fome emocional

A melhor alternativa para evitar os excessos emocionais em que recorremos a alimentos nocivos é não os ter em casa e substituí-los por ingredientes saudáveis. Assim, não cairemos em tentação.
7 truques para vencer a fome emocional

Última atualização: 05 Setembro, 2021

Você já sentiu o desejo de silenciar suas emoções com a comida em vez de processá-las? Então, você sabe o que é a fome emocional, mas pode não saber o que fazer para vencer este problema. A fome emocional surge quando seus sentimentos estão perturbados. Na maioria das vezes, é uma resposta a emoções negativas, como tristeza, ansiedade, depressão ou nervosismo.

Nesse caso, a comida funciona como uma fonte de conforto para evitar lidar com sentimentos difíceis. No entanto, a única coisa que você faz é substituir um problema por outro, pois estes alimentos podem causar doenças como diabetes e obesidade.

Portanto, descobrir maneiras de impedir isso não apenas o ajudará a lidar com seus problemas, mas também melhorará sua aparência, atitude e bem-estar na vida. Lembre-se de que se o problema persistir, sempre há a alternativa de consultar um médico.

Dicas para vencer a fome emocional

1. Tenha uma programação bem definida para as suas refeições

Amigas comendo alimentos saudáveis

Ter uma rotina de alimentação e cumpri-la irá evitar que você seja vítima da fome emocional. 

Reserve uma hora para cada refeição e evite todas as distrações, como TV, jornais, livros, revistas, correio, lição de casa, computador, etc.

Nesse ponto, você deve deixar a refeição se tornar uma prática meditativa e dar a ela o tempo necessário.

Ao estar totalmente presente para a comida à sua frente, você poderá saborear melhor os alimentos, se sentirá satisfeito mais rápido e com menos comida. Ter esse tempo reservado também ajudará a evitar beliscar a cada poucos minutos.

Coma regularmente e não pule refeições para evitar a compulsão alimentar. Se você pular uma refeição, provavelmente vai exagerar na próxima por causa da fome.

Encontre seu estilo de comer e siga-o. Comer pequenas porções a cada poucas horas funciona para alguns, enquanto outros precisam de três pratos mais substanciais.

2. Pare de usar a comida como recompensa

Muitas vezes recorremos ao fast food por conveniência ou como recompensa. Doces e alimentos ricos em gordura são considerados altamente recompensadores e saborosos.

Na verdade, é muito provável que, se você era recompensado com comida quando criança, cometa excessos alimentares frequentes quando adulto.

O problema é que, quando fazemos a conexão “comida como recompensa”, os centros de prazer do cérebro são estimulados quando comemos esses alimentos.

Portanto, quando chegamos em casa após um dia árduo de trabalho ou um treino muito intenso, queremos que esses alimentos nos façam sentir bem.

3. Experimente totalmente as emoções à medida que elas surgem

Em vez de tentar esconder ou negar suas emoções com comida, reconheça-as. A partir daí, o processo para vencer a fome emocional é mais simples.

Se você descobrir que está prestes a começar a comer e suas emoções estão instáveis, pergunte-se:

  • Estou realmente com fome ou deprimido, triste, com raiva, ansioso, animado?
  • Estou com muita fome ou preciso me distrair?

Tente encontrar a base das suas emoções antes de se voltar para a comida.

4. Mantenha-se hidratado para vencer a fome emocional

Certifique-se de beber pelo menos 2 a 3 litros de água por dia. Nosso corpo é 60-70% de água; portanto, manter-se hidratado é muito importante.

Muitas vezes, quando pensamos que estamos com fome, na verdade estamos com sede.

Se você está passando por um momento ruim e está prestes a cair na fome emocional, beba um copo d’água. Isso fará com que você se sinta satisfeito e ajudará a reduzir a compulsão.

Caso a água não seja suficiente para você, experimente comer oleaginosas. Elas podem ser doces ou salgadas, dependendo da sua vontade. Você verá que elas funcionam muito bem nesses momentos.

5. Faça exercício

O exercício é de grande ajuda do ponto de vista emocional, porque motiva e nos ensina a desenvolver o autocontrole.

Isso é importante se você levar em conta que muitos dos excessos alimentares são resultado da perda de autocontrole.

Outra razão para fazer exercício é que ele proporciona a mesma sensação de controle que a comida. Experimente este método na próxima vez que sentir que precisa comer aquela taça de sorvete.

6. Relaxe primeiro, coma depois

Relaxe primeiro, coma depois

Se o seu dia foi infinitamente longo, você pode querer comer algo assim que chegar em casa. No entanto, pelo bem da sua saúde, recomendamos que você pare.

Em vez disso, tente relaxar tomando um banho quente com óleos essenciais de lavanda por 20 minutos.

Se banhos não são a sua praia, faça ioga, meditação, leia um livro ou folheie uma revista.

Tente pensar em algumas opções que o relaxem e incorpore-as ao seu plano contra as emoções negativas.

A ideia é fazer qualquer coisa que o ajude a relaxar e desvie sua atenção da geladeira e da vontade de comer alguma coisa.

Leia este artigo: Os perigos da má alimentação

7. Para vencer a fome emocional, faça da sua casa um ambiente saudável

Por hábito, muitas vezes mantemos fast food em nossos armários, para nós mesmos ou para outra pessoa, mas essa não é a melhor prática.

Embora não seja necessário jogar fora todos os biscoitos, doces e alimentos nocivos, você deve substituí-los gradualmente por outros tipos de produtos.

Tente comprar apenas ingredientes saudáveis, oleaginosas e vegetais.

Quando estiver louco para comer um doce, você pode aprender a preparar sobremesas como:

  • Frutas cobertas com chocolate amargo
  • Sorvete de leite de soja
  • Iogurte natural adoçado com pedaços de fruta natural.

Assim, se você tiver um desejo, não poderá comer nada que seja prejudicial à saúde, pois não terá estes alimentos em casa.

Pode interessar a você...
Por que comemos sem ter fome?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Por que comemos sem ter fome?

Você já sentiu a necessidade de comer sem ter fome? Neste artigo, explicaremos quais são os fatores que nos levam a fazer isso.