Tipos de gordura corporal: branca, bege e marrom

21 Setembro, 2020
O corpo humano possui células adiposas brancas, bege e marrons. Como elas se comportam? Quais oferecem benefícios e quais são negativas? Descubra a seguir.

Você sabia que existem diferentes tipos de gordura corporal? O corpo possui adipócitos (células adiposas) brancos, bege e marrons. Dependendo da sua cor, a gordura nos beneficia ou nos afeta negativamente.

Tipos de gordura corporal

Gordura corporal branca

A gordura corporal branca é a que todos conhecemos: a que se acumula em nosso corpo. Atua como reserva energética, e seu impacto metabólico é responsável por toda a patogênese associada à obesidade. Infelizmente, é o tipo de gordura mais abundante no corpo humano e é mais alta em indivíduos obesos.

Descubra: Alimentos para reduzir a gordura abdominal

Gordura marrom

Tecido adiposo

Esse tipo de gordura corporal é termogênica, ou seja, ativa o metabolismo para obter energia em forma de calor. De fato, sua cor escura é decorrente da sua alta densidade de mitocôndrias (unidade de energia das células).

A ativação de adipócitos marrons aumenta a oxidação de ácidos graxos (lipólise).

Até alguns anos atrás, pensava-se que esse tipo de gordura corporal só estava presente em recém-nascidos para manter uma temperatura ideal após seu contato com o ambiente externo.

Hoje, no entanto, sabe-se que, embora em menor grau, também está presente em adultos e é maior nos mais magros, segundo um estudo publicado na revista “Current Opinion in Lipidology“.

Os indivíduos obesos têm uma menor quantidade de adipócitos marrons.

No recém-nascido, esta gordura está localizada na região interescapular e pode representar 5% do peso corporal total. Nos adultos, está dispersa entre os adipócitos brancos, principalmente na nuca, região supraclavicular, tecido peri-aórtico, região paravertebral e área perirrenal.

Gordura corporal bege

A descoberta da gordura bege é a mais recente. São adipócitos brancos que se comportam como marrons devido à ação de certos estímulos que ativam a secreção de irisina. Quando o estímulo é removido, os adipócitos brancos recuperam seu comportamento original.

A irisina é um hormônio que transforma a gordura branca em marrom.

No entanto, esse tipo de gordura diminui com a idade, conforme publicado em um artigo da revista Frontiers in Endocrinology.

De acordo com o exposto, fica fácil entender quais tipos de gordura corporal são as mais saudáveis. O objetivo seria aumentar a quantidade de adipócitos marrons e maximizar a conversão de gordura branca em bege.

Estímulos que favorecem a transformação da gordura branca

Exercício físico contra a obesidade

Temperaturas mais frias, inferiores a 20 ºC, e o exercício físico são os únicos dois estímulos capazes de ativar a gordura marrom e fazer com que a branca se comporte como tal momentaneamente. Isso seria fundamental no controle da obesidade e das suas complicações.

Os estudos atuais continuam procurando maneiras de transformar a gordura branca e/ou de maximizar o efeito da marrom.

Isso é especialmente importante nos casos de obesidade hiperplásica devido ao aumento do número de adipócitos. Atualmente, as diferentes formas de lidar com o sobrepeso e a obesidade apenas permitem reduzir o tamanho dos adipócitos, e não o número deles.

Assim, as pessoas cuja obesidade foi adquirida na infância (obesidade hiperplásica) sempre manterão uma tendência obesogênica maior do que aquelas que se tornaram obesas posteriormente (hipertróficas). Aqui, como não podemos eliminar os adipócitos, é essencial fazê-los se comportar de maneira diferente.

Leia também: Quais são as gorduras essenciais para o cérebro?

O frio e os tipos de gordura corporal

Até agora, a exposição ao frio é o estímulo mais poderoso e eficaz para ativar a gordura marrom e fazer com que os adipócitos brancos se comportem como os marrons. No entanto, ainda não são conhecidas estratégias de exposição eficazes sem prejudicar o indivíduo.

Os pesquisadores continuam à procura de estratégias eficazes que não envolvam exposições prolongadas ao frio.

Impacto do exercício físico na gordura corporal

Os aspectos mencionados anteriormente constituem mais uma evidência de que os benefícios do exercício físico vão além do gasto calórico da sua prática. Sabemos que ele é capaz de estimular o tecido marrom e fazer com que o branco se comporte como ele momentaneamente. Além disso, como mencionamos em publicações anteriores, é capaz de modificar a epigenética obesogênica.

Existem diferentes tipos de gordura

A ciência mostrou que existem 3 tipos diferentes de gordura no corpo. No entanto, ainda não se sabe exatamente como estimular o aumento dos depósitos de gordura considerados saudáveis ​​para a saúde. Para determinar isso, ainda são necessárias mais pesquisas.

  • Heeren J., Scheja L., Brown adipose tissue and lipid metabolism. Curr Opin Lipidol, 2018. 29 (3): 180-185.
  • Zoico E., Rubele S., De Caro A., Nori N., et al., Brown and beige adipose tissue and aging. Front Endocrinol, 2019.