Tendinopatia dos adutores do quadril: o que é e quais são seus sintomas?

09 Abril, 2020
A tendinopatia dos adutores do quadril é comum em atletas. Diante dos seus sintomas, é importante consultar um médico especialista para evitar que ela afete a qualidade de vida.

Os adutores são músculos muito importantes localizados no lado interno das coxas. Se você já foi a uma academia, provavelmente encontrou uma máquina para exercitá-los. No entanto, em alguns casos, devido ao esforço excessivo, podemos acabar sofrendo de tendinopatia dos adutores do quadril.

Um exercício realizado de forma incorreta ou abrupta pode nos levar a sofrer uma tendinopatia dos adutores do quadril, como explica o artigo Avulsión proximal de tendones isquiotibiales: tratamiento quirúrgico en deportistas de alto rendimiento. Reporte de caso.

Por esse motivo, esta é uma lesão bastante comum em atletas. Vamos ver quais características a tendinopatia do quadril possui e os sintomas que nos alertam para a sua presença.

Tendinopatia ou pubalgia do atleta

Existem duas maneiras de nomear esse problema: tendinopatia dos adutores do quadril ou pubalgia. Além disso, como a lesão está presente nos adutores, geralmente é classificada como baixa pubalgia.

A razão para esse termo é que essa tendinopatia causa desconforto na área dos adutores, partes inguinal e pubiana e pode se estender até o abdômen inferior, conforme indicado no artigo Pubalgia: diagnóstico diferencial.

Imagem esquemática da posição dos músculos adutores.
Imagem esquemática da posição dos músculos adutores.

Leia também: Previna a dor no quadril: 6 dicas para ajudá-lo

A tendinopatia dos adutores do quadril geralmente aparece devido ao treinamento diário intensivo. Por esse motivo, como indicado no artigo já mencionado, geralmente é comum em atletas que praticam atividades como futebol, rugby, levantamento de peso ou ciclismo.

Por esse motivo, é importante saber como identificar quando o problema aparece e tomar as medidas apropriadas para ter uma recuperação rápida.

Sintomas da tendinopatia dos adutores do quadril

O principal sintoma da pubalgia ou tendinopatia adutora é a dor na parte interna das coxas. Essa dor, como mencionamos anteriormente, pode se espalhar para o abdômen inferior. Vamos ver como esse sintoma evolui e em quais momentos ele aparece:

  • Aviso sobre a tendinopatia: no início da lesão, sentiremos dor na parte interna da coxa ou no abdômen inferior após fazer um esforço, ou seja, durante o período de descanso.
  • Agravamento da lesão: ao longo dos dias, essa dor que pode se espalhar para a área inguinal começa a se manifestar durante o treino.
  • Dor contínua: não tendo iniciado nenhum tratamento para resolver a questão, a dor se torna contínua e insuportável. Estando em repouso ou em movimento, a dor não desaparece.

Ao primeiro sinal de dor na área mencionada, é importante procurar um especialista. A razão para isso é que a tendinopatia dos adutores do quadril pode afetar significativamente a nossa qualidade de vida.

Alongar os adutores será quase impossível devido à dor, e podemos chegar ao ponto de não conseguirmos cruzar as pernas.

Tratamento

Mulher fazendo fisioterapia
Fisioterapeuta tratando uma lesão adutora.

Você também pode se interessar: Reeducação postural global: o que é e quais são seus princípios

O tratamento da tendinopatia dos adutores do quadril vai depender do grau em que a lesão for encontrada. Por esse motivo, quanto antes formos ao médico, menos agressivo será o tratamento. Vamos ver algumas possibilidades:

  • Anti-inflamatórios: são recomendados juntamente com o descanso e a realização de alguns exercícios de alongamento que permitem liberar a tensão na área. Essa abordagem é aplicada quando a tendinopatia acaba de ocorrer e ainda não está afetando a qualidade de vida do paciente.
  • Fisioterapia: complementa o exposto acima e, se houver dor durante o treinamento, pode ser uma boa ideia ir à fisioterapia, onde eles não apenas realizarão um programa para tratar a lesão, mas também para corrigir o que a causou.
  • Cirurgia: é a última das alternativas, quando a lesão já é muito grave e houve ruptura e distensão crônica na área dos adutores. Esta pode ser a razão pela qual a dor se tornou contínua.

Você já foi diagnosticado com tendinopatia dos adutores do quadril? Se você pratica alguns dos esportes mencionados, esperamos que você corrija todos os hábitos que podem levá-lo a sofrer esse tipo de lesão. Lembre-se de alongar sempre após o exercício para relaxar os músculos.

Às vezes, não tendemos a prestar muita atenção aos músculos adutores. No entanto, eles são de grande importância e nós os usamos em todos os momentos sem estarmos cientes disso. Recomendamos que, caso você sinta dor na região, não espere que ela piore e consulte um médico o mais rápido possível.

  • Gal, C. (2001). La pubalgia: prevención y tratamiento. Editorial Paidotribo.
  • Fuentes-Nucamendi, M. A., Carrillo-Muñiz, H., Bonfil-Ojeda, J. R., & Frías-Austria, R. (2011). Dolores de crecimiento. Régimen simplificado de tratamiento. Acta Ortopédica Mexicana25(2), 79-86.
  • Olivera, G., Holgado, M. S., & Cabello, J. (2001). Lesiones deportivas frecuentes en atención primaria. FMC-Formación Médica Continuada en Atención Primaria8(5), 307-320.
  • Sohier, R. (2009). Fisioterapia Analítica de la Articulación de la Cadera: Bases, técnicas y tratamientos diferenciales. Ed. Médica Panamericana.