O que é o sulforafano e quais são os seus benefícios?

O sulforafano está associado a vários benefícios para a saúde, principalmente a nível cardiovascular e cerebral. Você quer saber mais sobre ele?
O que é o sulforafano e quais são os seus benefícios?

Última atualização: 25 Agosto, 2021

O sulforafano é um composto encontrado em alguns vegetais, como o brócolis, a couve-de-bruxelas e a couve-de-folhas. É um tipo de isotiocianato que é o principal responsável pelos benefícios do consumo de vegetais crucíferos para a saúde.

Em particular, destaca-se por possuir propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antimicrobianas. Acredita-se também que ajude a prevenir doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer e autismo. O que a ciência diz sobre isso? Aqui estão todos os detalhes.

O sulforafano e suas funções no corpo

O sulforafano é um composto de enxofre do grupo dos isotiocianatos. As plantas crucíferas são uma das suas principais fontes, na forma de glucorafanina. Esta última molécula é encontrada desativada.

Para que se transforme em sulforafano, é necessária a ação da enzima mirosinase, que é ativada quando o vegetal é cortado, ralado, batido ou mastigado. Algumas bactérias no intestino também são capazes de fazer essa conversão.

Os glucosinolatos como a glucorafanina exercem um papel protetor nas plantas onde são encontrados. Eles são uma barreira protetora contra patógenos e organismos herbívoros.

Já no corpo humano, uma das suas principais funções é ativar a expressão do gene NRF2, envolvido em mais de 200 funções corporais diferentes. Por sua vez, é responsável por expressar proteínas com atividade reparadora, antioxidante, desintoxicante ou protetora celular.

O sulforafano e suas funções no corpo
O sulforafano é encontrado principalmente em vegetais crucíferos, como o brócolis.

Benefícios do sulforafano

Há vários anos, os cientistas têm se concentrado nos possíveis efeitos positivos do sulforafano para a saúde. Embora seja necessário aprofundar as pesquisas, alguns resultados são interessantes:

Prevenção do câncer

Em várias ocasiões, uma alta ingestão de vegetais crucíferos foi associada a uma menor incidência de câncer. Esta atividade é, em grande parte, derivada da presença de isotiocianatos, entre os quais se destaca o sulforafano.

Como Su, Jiang, Meng e outros autores apontam, os mecanismos envolvidos são vários. O resultado é a inibição do crescimento do tumor e a ativação da apoptose (morte das células cancerosas). Da mesma forma, devido à atividade antioxidante, é possível interromper danos ao DNA, mutações e inflamação.

São essas ações que nos permitem pensar no sulforafano como um agente quimiopreventivo em alguns tipos de câncer (bexiga, colo do útero, mama, pulmão, próstata ou cólon). Também pode melhorar a eficácia de um medicamento quimioterápico comumente usado.

No entanto, é necessário ter em mente que a maioria dos estudos foi realizada com extratos de sulforafano. Além disso, os efeitos foram observados em animais. Portanto, o possível efeito positivo em humanos é desconhecido.

Saúde cardiovascular

As doenças cardiovasculares são uma das principais causas de mortalidade e morbidade em muitos países do mundo. Por isso, reduzir seu impacto e melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas é uma questão de saúde pública.

Em relação a isso, o sulforafano tem despertado um certo interesse, visto que sua atividade antioxidante é benéfica. Estudos em humanos e animais mostraram um efeito protetor contra hipertensão, arteriosclerose e diabetes. Portanto, acredita-se que ele possa proteger contra doenças cardíacas.

Autismo

O jornal da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos publicou um estudo para avaliar o uso de sulforafano como tratamento no transtorno do espectro do autismo. Os resultados mostraram uma melhora no comportamento das pessoas afetadas.

Esse avanço estaria relacionado a uma atividade protetora contra o estresse oxidativo, inflamação e danos ao DNA. No entanto, mais pesquisas são necessárias.

Patologias neurodegenerativas

Este tem sido outro dos campos de pesquisa que possibilitou avaliar a capacidade do sulforafano de ativar diferentes respostas de proteção que poderiam prevenir a neurodegeneração. Assim, seria possível melhorar a memória e preveniria doenças como Alzheimer, Parkinson e esclerose múltipla.

Possíveis efeitos colaterais

Inicialmente, a ingestão de vegetais crucíferos que fornecem sulforafano é segura e adequada para todas as pessoas, desde que não haja alergia, intolerância ou problemas digestivos após comê-los.

Por outro lado, quando ele é tomado na forma de suplemento dietético, pode haver alguns inconvenientes. Os mais comuns são gases, diarreia e prisão de ventre. Além disso, deve-se lembrar que não existem estudos para verificar a segurança deste composto após uma ingestão prolongada ou em grandes doses.

Por isso, às vezes é melhor evitá-lo ou consultar um médico antes de ingeri-lo, principalmente no caso de mulheres grávidas e lactantes e de pessoas com doenças prévias ou em tratamento médico.

Produtos relacionados

Conforme discutido, o sulforafano também pode ser encontrado como um suplemento dietético. Sua apresentação mais comum é na forma de comprimidos ou pó, quase sempre feito de brócolis ou brotos de brócolis.

Nesse caso, trata-se de produtos com uma quantidade de sulforafano muito maior do que a encontrada nos vegetais. A glucorafanina é o seu precursor e também está disponível em cápsulas ou comprimidos. Geralmente é acompanhada de mirosinase, uma enzima necessária para ativá-la.

Inicialmente, não existem quantidades e dosagens estabelecidas como seguras. Por este motivo, é aconselhável seguir as instruções de cada fabricante e consultar sempre um especialista.

Fontes de sulforafano

Na sua forma natural, o sulforafano está presente nos seguintes vegetais:

  • Couve-de-bruxelas.
  • Brócolis.
  • Brotos de brócolis.
  • Couve-de-folhas.
  • Grelos.
  • Rúcula.
  • Couve-flor.
  • Repolho.
  • Couve-lombarda.
Corte de repolho para preparar com arroz
A melhor forma de obter o sulforafano é por meio de alimentos que o fornecem naturalmente. No entanto, eles devem ser comidos crus.

Como evitar a sua degradação na cozinha

Alguns dos compostos benéficos dos alimentos podem ser destruídos ou modificados no processo de cozimento. Esse é o caso de algumas vitaminas ou lipídios, e também do sulforafano.

Os níveis mais altos de sulforafano são encontrados em alimentos crus. No entanto, às vezes é difícil comer crucíferos sem aplicar algum tipo de cozimento. Felizmente, existem algumas dicas e práticas excelentes para evitar que ele se degrade completamente.

A melhor maneira de cozinhar todos esses vegetais é no vapor, entre 1 e 3 minutos. A fervura e todos os métodos longos com altas temperaturas devem ser evitados.

Além disso, todos os alimentos que contêm mirosinase (ativador do sulforafano) são bons companheiros para o brócolis, a couve-de-bruxelas e todas as crucíferas. Esse composto está presente em sementes de mostarda, por exemplo.

O sulforafano dos vegetais crucíferos pode ter efeitos positivos para a saúde

O sulforafano é uma molécula que está presente em alguns vegetais da família das crucíferas. Nos últimos anos, tem despertado o interesse de cientistas por suas propriedades antioxidantes e seu efeito protetor contra algumas doenças.

A melhor maneira de aproveitar todos os benefícios para a saúde é incluir vegetais crucíferos em sua dieta diária. Da mesma forma, é imprescindível acompanhá-los com a ingestão de outros vegetais variados, frutas e grãos integrais.

Isso ocorre porque todas as moléculas com efeitos positivos se complementam em suas ações. Desta forma, uma alimentação e um estilo de vida saudáveis irão promover o bem-estar e a qualidade de vida a longo prazo.

Pode interessar a você...
8 alimentos que são mais saudáveis quando consumidos crus
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 alimentos que são mais saudáveis quando consumidos crus

Há alimentos que podem ser muito mais nutritivos se consumidos crus, em seu estado 100% natural. Conheça alguns deles neste artigo.



  • Bai Y, et al. Sulforaphane protects against cardiovascular disease via nrf2 activation. Oxidative Medicine and Cellular Longevity. Octubre 2015. 407580.
  • Boseti C, et al. Cruciferous vegetables and cancer risk in a network of case-control studies. Annals of oncology. Agosto 2012. 23(8): 2198-2203.
  • Evans P. C. The influence of sulforaphane on vascular health and its relevance to nutritional approaches to prevent cardiovascular disease. EPMA Journal. Marzo 2011. 2(1): 9-14.
  • Santín-Márquez R, et al. Sulforaphane: role in aging and neurodegeneration. Geroscience. Octubre 2019. 41(5): 655-670.
  • Singh K, et al. Sulforaphane treatment of autism spectrum disorder (ASD). PNAS. Octubre 2014. 111(43): 15550-15555.
  • Su X, et al. Anticancer activity of sulforaphane: the epigenetic mechanisms and the nrf2 signaling pathway. Oxidative Medicine and cellular longevity. Junio 2018. 5438179.
  • Vermeulen M, et al. Bioavaialabity and kinetics of sulforaphane in humans after consumption of cook versus raw broccoli. Journal of Food Chemical and Agriculture. 2008. 56(22): 10.505-10.509.
  • Wang G.C, et al. Impact of thermal processing on sulforaphane held from broccoli (Brassica oleracea L. spp italica). Journal of agricultural and food chemistry. Julio 2012. 60(27): 6743-8.
  • Yagishita Y, et al. Broccoli or sulforaphane: is it the source or the dose that matters? Molecules. Octubre 2019. 24(19): 3593