Sistema imunológico e tratamento do câncer

26 Janeiro, 2020
O sistema imunológico também é capaz de identificar e combater componentes celulares próprios. Isso acontece quando esses componentes são anormais.
 

O sistema imunológico é um sistema de defesa complexo, cuja principal função é proteger o corpo contra agentes externos. Para isso, é importante ser capaz de diferenciar os componentes próprios dos demais. E é neste ponto que ele se torna fundamental no tratamento do câncer.

Isso porque o sistema imunológico também é capaz de identificar e combater seus próprios componentes celulares. O que ocorre quando esses componentes são anormais. É o caso das células cancerígenas, que apresentam diferenças em relação à célula normal.

É importante entender que em todos os tipos de câncer, o processo da doença consiste em algumas células do corpo começarem a se dividir sem parar e se espalhar para os tecidos próximos. Essa é uma doença perigosa, portanto, é muito importante contar com ajuda profissional para realizar um tratamento do câncer adequadamente.

Funções do sistema imunológico importantes no tratamento do câncer

Sistema imunológico se defendendo

Além de reconhecer e combater as células tumorais, o sistema imunológico também tem outras maneiras de prevenir seu desenvolvimento.

  • Protege contra infecções virais que podem levar ao desenvolvimento de tumores. É o caso, por exemplo, do vírus do papiloma humano. Entre outros, com grande potencial mutagênico, por isso sua infecção pode alterar o material genético das células.
 
  • Combate os agentes patógenos externos, eliminando-os. Quando existe uma infecção, o corpo responde desenvolvendo uma inflamação ao seu redor. No entanto, essa inflamação deve ser resolvida de maneira eficaz, pois esse ambiente às vezes pode levar ao desenvolvimento de tumores.
  • Identifica e elimina células cancerígenas. Isso é feito através de marcadores específicos.

Os antígenos de superfície

Mas, como o sistema imunológico reconhece as células cancerígenas? A resposta está nas proteínas de superfície, presentes em todas as células, chamadas antígenos de superfície.

Os antígenos de superfície das células tumorais são diferentes dos de células saudáveis. Assim, as células do sistema imunológico podem reconhecer esses antígenos e detectar quando correspondem a uma célula mutada.

As células do sistema imune capazes de realizar tal tarefa de reconhecimento são linfócitos T. Esses linfócitos T possuem uma série de receptores que detectam antígenos de superfície.

Caso você queira saber mais: O que são as imunoglobulinas?

Ciclo imunológico no tratamento do câncer

Recriação de glóbulos vermelhos e câncer

A resposta do sistema imunológico ao câncer começa com o reconhecimento das células mutadas, graças aos antígenos de superfície mencionados acima. Esses antígenos são examinados pelos linfócitos T, presentes nos linfonodos.

 

Depois disso, os linfócitos T sofrem uma série de alterações e são ativados. Isso lhes dá a capacidade de se mobilizar e viajar para os vasos sanguíneos. Através destes, os linfócitos T atingem o tumor direcionados por gradientes de concentração de certas moléculas sinalizadoras.

Quando atingem a área do tumor, os linfócitos T se infiltram na região para atacá-lo. Aqui eles reconhecem as células tumorais que apresentam certas proteínas em sua superfície e procedem à sua destruição.

Isso é alcançado graças à estimulação de outra série de células do sistema imunológico. Por exemplo, células Natural Killler (NK) ou macrófagos.

Também pode te interessar: Sistema imunológico enfraquecido. Como reconhecer?

Mecanismos de escape das células tumorais

cadeia de DNA, câncer

A razão que explica o desenvolvimento do câncer, apesar do desempenho do sistema imunológico, é que algumas células cancerígenas acumularam tantas mutações que apresentam mecanismos para impedir o funcionamento do sistema imunológico.

Esses mecanismos permitem que as células tumorais se escondam do sistema imunológico. Por exemplo, escondendo os antígenos de superfície que possam ser reconhecidos por ele.

 

Nestes casos, o sistema imunológico pode reagir graças às células Natural Killer. Elas são capazes de detectar quando uma célula perdeu seus próprios antígenos de superfície, reconhecê-la como estranha e eliminá-la.

Além disso, outro dos mecanismos que as células tumorais podem usar para impedir a ação do sistema imunológico é produzir mensageiros químicos com ação inibitória nas células imunológicas. Assim, eles criam imunossupressão em torno da área do tumor. Isso favorece a sobrevivência das células cancerígenas.

Por isso, o principal objetivo da imunoterapia é precisamente ajudar o sistema imunológico a combater células anormais. Isso pode ser conseguido com a terapia adjuvante, que utiliza anticorpos direcionados contra células tumorais, a fim de favorecer sua eliminação.