O que são as imunoglobulinas?

· 4 de maio de 2019
As imunoglobulinas são uma família de proteínas que fazem parte do sistema imunológico. Descubra tudo sobre elas

As imunoglobulinas são um grupo especial de moléculas que encontramos na família das proteínas. A principal função dessa classe de biomoléculas é protetora, isto é, elas servem para proteger nosso organismo.

Essa situação geralmente ocorre antes da invasão de outros seres vivos que são reconhecidos como estranhos em nosso interior. Por exemplo, é o caso de vírus, bactérias, células que não são suas, como as de um transplante, etc. Ou seja, elas são importantes para o sistema imunológico funcionar adequadamente.

O que é a síntese de imunoglobulinas?

O sistema imune serve para defender o corpo

As imunoglobulinas também são chamadas de anticorpos, e sua síntese depende de células especializadas que fazem parte do sistema imunológico. Sua formação aumenta se os antígenos forem identificados ou percebidos.

Estas são substâncias presentes em agentes estranhos, como bactérias, vírus, etc. Graças aos estudos correspondentes, foi possível verificar que esta proteína plasmática é sintetizada pelos linfócitos B e por determinadas células plasmáticas.

Além disso, nosso sistema imunológico é muito preciso, produzindo diferentes anticorpos ou imunoglobulinas para cada antígeno. Esse recurso garante nossa sobrevivência, mas mostra falhas, como é o caso das doenças autoimunes.

Em pacientes com esse tipo de distúrbio, as imunoglobulinas reconhecem as células do paciente como “estranhas”. Depois, eles neutralizam essa aparente ameaça destruindo as células saudáveis ​​como se fossem um patógeno.

Por outro lado, as imunoglobulinas ou anticorpos normalmente usam a corrente sanguínea para se deslocar para outra região do corpo. Desta forma, elas podem viajar rapidamente para o local onde os antígenos foram localizados e destruí-los.

Por esse motivo, a equipe de saúde geralmente realiza o estudo de amostras de sangue para controlar o nível de imunoglobulinas. No entanto, em outros momentos, outras amostras de fluidos podem ser tiradas. Por exemplo, saliva ou outras substâncias, como o líquido cefalorraquidiano.

Não deixe de ler: Sistema imunológico enfraquecido. Como reconhecer?

Quais tipos existem?

Anticorpos

De acordo com suas características e funções, podemos distinguir entre vários tipos de imunoglobulinas ou anticorpos:

  • Imunoglobulinas G ou IgG

É o tipo mais numeroso de imunoglobulina. Pode-se dizer que elas são inatas e dão imunidade aos bebês desde o nascimento. Isso ocorre porque elas estão presentes na placenta da mãe. Assim, esses anticorpos são transferidos da mãe para o bebê em desenvolvimento.

A princípio, as pessoas podem encontrá-las nos próprios corpos ao longo da vida. Elas intervêm em certas tarefas essenciais, como a ativação dos fagócitos, isto é, destroem células ou detritos “ingerindo-os”.

  • Imunoglobulinas M ou IgM

Essas moléculas podem formar uma estrutura semelhante a um círculo que tem até dez locais de ligação (com antígenos). Como regra geral, eles fazem o “primeiro contato” com os novos antígenos identificados. Ativam ou promovem a ação dos macrófagos (semelhante aos fagócitos).

  • Imunoglobulinas A ou Ig A

Estas têm uma cadeia pesada de tipo alfa. Nós as encontramos na forma de monômeros, dímeros ou trímeros. Isso significa que até três unidades ou imunoglobulinas podem aparecer juntas.

Além disso, elas estão localizadas em todas as secreções corporais que têm uma função de defesa. Por exemplo, no leite materno, sangue, muco, lágrimas…

  • Imunoglobulinas E ou IgE

Esta classe de anticorpos possui uma cadeia pesada do tipo épsilon. Ao contrário dos anticorpos mencionados, eles geralmente são colocados na membrana do mastócito. Portanto, a maioria deste tipo de imunoglobulinas reside nos tecidos do corpo.

Normalmente são os receptores dos alérgenos, antígenos que provocam uma resposta muito exagerada do corpo. Eles não são substâncias perigosas em si, mas o nosso sistema imunológico os reconhece como uma séria ameaça. Eles provocam a ruptura do mastócito e a saída maciça da histamina para o organismo.

Confira também: 4 bons hábitos que ajudam a aumentar a imunidade

  • Imunoglobulina D ou IgD

Estes anticorpos são formados por cadeias pesadas delta. Eles podem ser identificados na membrana dos linfócitos B.

Esperamos que este artigo tenha sido do seu interesse e tenha resolvido algumas das suas dúvidas sobre o assunto. Em qualquer caso, não hesite em contatar a equipe médica mais próxima se você quiser saber mais sobre as imunoglobulinas.

  • Ramos-Medina, R., Corbí, A. L., & Sánchez-Ramón, S. (2012). Inmunoglobulinas intravenosas: llave inmunomoduladora del sistema inmunológico. Medicina Clinica. https://doi.org/10.1016/j.medcli.2011.11.022
  • Victor Sanabria & Abraham Landapiedra. (2007). Anticuerpos: sus propiedades, aplicaciones y perspectivas. Medicas UIS.
  • Noda Albelo, A. L., Vidal Tallet, L. A., & Rodríguez Ramos, B. (2013). Aplicaciones terapéuticas de las inmunoglobulinas humanas en Pediatría. Revista Cubana de Pediatria. https://doi.org/10.1177/1071100715603118