Protocolo autoimune: alimentação para doenças autoimunes

Caso sofra de alguma doença autoimune, você precisa fazer uma dieta de acordo com suas necessidades.

Neste artigo mostraremos algumas dicas para desenvolver um plano de alimentação correto para pessoas que sofrem de doenças autoimunes, com base no protocolo autoimune. Nesse sentido, existem alguns alimentos recomendados e outros proibidos.

Uma vez que desenvolvemos uma doença autoimune, a alimentação desempenha um dos papéis mais importantes. Saber como lidar com o nosso corpo e até, em alguns casos, tentar encontrar uma cura para o nosso sistema imunológico será fundamental.

O que são as doenças autoimunes?

Estes tipos de doenças são causadas pelo sistema imunológico. Esse sistema ataca as células do próprio organismo, portanto é o próprio sistema imunológico do corpo que age como um agressor e destrói certos órgãos e tecidos.

Até agora, mais de 80 doenças autoimunes foram detectadas. Entre elas, algumas das mais conhecidos são a doença celíaca, artrite reumatoide ou esclerose múltipla.

Mulher com artrite nas mãos

Como forma de combater os efeitos destes tipos de doenças autoimunes, existe o chamado “protocolo autoimune”. Este é composto por um conjunto de diretrizes relacionadas à alimentação.

O que é o protocolo autoimune?

Em primeiro lugar, embora este tipo de alimentação seja recomendada para pessoas que sofrem de doenças autoimunes, é totalmente adequado para todos aqueles que desejarem segui-lo. Isso ocorre porque todos os alimentos incluídos são totalmente saudáveis.

O protocolo autoimune compartilha muitos dos princípios da dieta paleolítica, mas um pouco mais refinado. Neste caso, além da eliminação de alimentos como grãos, legumes, laticínios ou produtos com adição de açúcares, o protocolo autoimune também elimina o consumo de outros por um período inicial. Estes são aqueles alimentos que podem ser inflamatórios para o nosso sistema digestivo.

Este efeito é contraproducente em pessoas cuja doença se origina precisamente de um problema imunológico. Os alimentos potencialmente irritantes que também são eliminados do plano alimentar em primeiro lugar são: ovos, oleaginosas, adoçantes artificiais, bebidas alcoólicas, especiarias, café ou cacau.

Como já dissemos, esse tipo de alimento é eliminado apenas no início da dieta. À medida que avançamos com o protocolo, vamos curando a barreira intestinal e a síndrome da permeabilidade intestinal.

Precisamente, esta é a razão pela qual nosso organismo pode atacar pela confusão das próprias células. Posteriormente, incluiremos cada um desses alimentos irritantes um a um para observar as reações inflamatórias de maneira individualizada em nosso organismo.

Outros alimentos proibidos em caso de doenças autoimunes

Em primeiro lugar, os primeiros produtos que devemos eliminar são os snacks e os produtos processados ​​industrialmente. Este tipo de alimento vai contra qualquer dieta saudável, mas será especialmente negativo no caso da pessoa sofrer de uma doença autoimune.

Hambúrguer de carne

Por outro lado, os produtos como os embutidos, carne moída ou carne de porco não são recomendados, nem podemos abusar de peixes como salmão ou atum, devido ao alto teor de metais pesados.

Resultados do protocolo autoimune

A verdade é que praticamente todas as pessoas que seguem este protocolo percebem uma melhora muito grande nos sintomas ou até mesmo uma remissão na doença. Claro, sempre dependendo do tipo de condição crônica sofrida.

Por se tratar inicialmente de doenças que não têm cura, este plano de alimentação não segue um padrão de tempo específico. Isto é, ele deve ser considerado um estilo de vida em vez de uma dieta temporária.

Alimentos saudáveis ​​contra as doenças autoimunes

Primeiramente, um grupo de alimentos recomendados contra as doenças autoimunes são aqueles que fornecem grandes quantidades de energia. Estes são os alimentos ricos em carboidratos sem glúten, como batatas, mandioca, batata-doce ou tapioca.

Estes tipos de alimentos são opções saudáveis ​​para o café da manhã de qualquer dia. Além disso, eles podem ser incluídos em sopas, cremes de verduras, saladas ou na forma de chips.

Mandioca

Por outro lado, existem alimentos ricos em gorduras saudáveis. Estes são o abacate, peixe azul, sementes e óleos vegetais. Apesar do consumo de gorduras ser mal visto, os lipídios presentes nesses produtos são essenciais para a saúde.

Deste tipo de alimento podemos obter nutrientes como ômega 3 e ômega 6, que atuam como potentes anti-inflamatórios. No entanto, neste consumo de gordura, devemos evitar alimentos fritos de qualquer tipo. Portanto, é melhor não aquecer os óleos, mas adicioná-los crus.

Recomendados para você