Sintomas do torcicolo muscular

13 de junho de 2019
Você acordou com o pescoço duro e com uma dor insuportável nessa região? É muito provável que seja torcicolo. Vejamos quais são os seus sintomas e os possíveis tratamentos.

O torcicolo muscular é uma contração que se produz na zona do pescoço e que geralmente aparece devido a uma má postura quando dormimos. A má posição do pescoço pode gerar rigidez e muita dor quando realizamos qualquer movimento.

De acordo com o artigo “Atualização sobre Cervicalgias mecânicas agudas”, o torcicolo muscular pode produzir-se, inclusive, por correntes de ar ou por movimentos bruscos. Por esse motivo, é tão importante cuidar de nosso pescoço para evitar esse problema tão doloroso.

O torcicolo muscular congênito

Antes de abordar a sintomatologia característica do torcicolo muscular, é importante que expliquemos o termo “torcicolo congênito”. Esta doença se refere à presença do problema desde o nascimento da criança.

No artigo “Torcicolo muscular Congênito: ponto de vista do cirurgião plástico”, esta condição provém de certa deformação no momento do nascimento. O bebê apresenta um encurtamento do músculo esternocleidomastóideo derivado de problemas durante o parto.

A única solução, nestes casos, é uma cirurgia realizada o mais cedo possível. Isso porque, o resto do corpo tentará compensar este encurtamento do músculo, provocando problemas na coluna vertebral, por exemplo.

Torcicolo congênito nos bebês

À medida que for crescendo, notaremos como a cabeça do recém-nascido se inclina mais para um lado que para o outro. No momento em que queremos endireitá-la, notaremos resistência e sintomas de dor.

Apesar de que com tratamento poderia evitar-se a cirurgia, na maioria dos casos ela é a única solução. Em todo caso, é importante seguir as indicações do médico para que a situação evolua da maneira mais favorável possível para o bebê.

Não deixe de ler: A relação entre o torcicolo e o estresse: aprenda a tratá-lo

Sintomas do torcicolo muscular

Agora que já vimos um tipo especial de torcicolo que é o congênito, veremos então os sintomas do torcicolo que todos conhecemos porque alguma vez na vida já sofremos com ele. Também vamos mostrar de que maneira podemos aliviar esse problema tão doloroso.

Movimento limitado da cabeça

Quando nos levantamos da cama depois de ter dormito durante a noite toda e sentimos uma dor muito intensa no pescoço mesmo com um movimento leve, isso é sinal de torcicolo muscular. Talvez a cabeça fique inclinada para um lado ou que tenhamos uma redução nos movimentos dessa zona do corpo.

Se apalparmos o lugar da dor, vamos notar como nessa região o músculo está rígido. Nestes casos, é importante evitar os movimentos bruscos e agasalhar bem o pescoço para controlar a temperatura da região. Podemos também massagear suavemente para reduzir o incômodo (apesar de que o alívio será só momentâneo).

Dor de cabeça

O torcicolo muscular também pode provocar dores de cabeça, principalmente se formos propensos a sofrer de enxaquecas ou cefaleias. Isto se deve à rigidez da zona e pode afetar a região cervical.

Nestes casos também é importante evitar os movimentos bruscos e tentar que a região dolorida fique em repouso. Se isso não for possível e nosso trabalho exige que nos movamos, podemos usar um colar cervical. Entretanto, o uso do colar deve aliviar a dor e não aumentá-la.

Isso também pode te interessar: Dor de cabeça noturna: qual é a razão por trás dela?

Diferença de altura entre os ombros

O último sintoma característico do torcicolo é que um ombro fica um pouco mais alto do que o outro. Isso se deve a que a intensa contração produzida no músculo faz com que a cabeça se incline para um lado e consequentemente o ombro também.

Neste caso, podem-se realizar alongamentos muito suaves e controlados para aliviar um pouco as moléstias e a dor. Também é importante evitar os movimentos bruscos. Apesar de que o ideal é o repouso e o descanso sempre que for possível.

Alongamento para aliviar torcicolo

Se optarmos pelo uso do colar ou de um colete cervical é importante que se aplique na região dolorida. Caso contrário, poderia aumentar a rigidez piorando a situação e aumentando a dor. Mesmo com o colar, os movimentos devem ser cuidadosos e lentos.

De qualquer maneira, não podemos nos esquecer de que o torcicolo melhora à medida que passam os dias. Aliás, geralmente dura como máximo 3 dias, mas com os cuidados adequados pode durar um pouco menos.

É importante manter uma boa postura para dormir, e também adquirir um travesseiro adequado e de boa qualidade. Isso certamente reduzirá as possibilidades de sofrer com o torcicolo. Entretanto, todos, alguma vez na vida já sofremos ou vamos sofrer com esse problema. Tomara que nunca aconteça com você, mas se acontecer tente seguir nossas dicas.

  • Ankha, M. E. A., Nascimento, R., Raldi, F., De Moraes, M., Ribeiro, Z., & Dos Santos, L. (2017). Traumatic bone cyst and congenital muscular torticollis: association or a chance?. Revista española de cirugía oral y maxilofacial: Publicación Oficial de la Sociedad Española de Cirugía Oral y Maxilofacial39(1), 46-49.
  • Barraquer-Bordas, L.. (1966). Los transtornos del movimiento, de la postura y del tono por patologia extrapiramidal. Arquivos de Neuro-Psiquiatria24(2), 122-139. https://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1966000200007
  • González Gil, José Manuel, González Salgado, Omar, & Barranco Martínez, Luis Felipe. (2001). Tortícolis infantil: Nuevas perspectivas en su tratamiento. Revista Cubana de Ortopedia y Traumatología15(1-2), 65-70. Recuperado en 12 de abril de 2019, de http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0864-215X2001000100013&lng=es&tlng=es.
  • Robles Gálvez, C. N. (2018). Enfoque fisioterapéutico en el tortícolis muscular congénito.